o ultimo lobisomem Resenha: O Ultimo Lobisomem, de Glen Duncan

 

 
 
 
 
 
 
 
O Último Lobisomem
Autor: Glen Duncan
Editora: Record
Número de Páginas: 336
Resenha por: Guilherme Cepeda

 

 
 
 
 
 
Jake Marlowe é um lobisomem. Ele é sarcástico e tem crises existenciais. Durante duzentos anos, ele vagou pelo mundo escravizado por seus apetites lunáticos e atormentado pela memória de seu primeiro e mais monstruoso crime. Agora, último de sua espécie, ele perdeu a vontade de viver. Mas enquanto Jake se prepara para morrer – ele é o troféu final de uma organização que caça seres sobrenaturais -, um assassinato violento e um encontro extraordinário mergulham-no diretamente de volta à busca desesperada pela vida – e pelo amor. 

O Último Lobisomem é um livro único. Nele acompanhamos a vida de Jake, o ultimo lobisomem de sua espécie, que se encontra em total decadência. O livro é uma espécie de diário de Jake, com todas as suas loucuras e devaneios sobre a vida que já não faz mais sentido, já que ele tinha apenas uma certeza, ele seria o próximo.

Uma última lua cheia – então, tudo terminará.

Glen Duncan construiu "O Último Lobisomem" de uma forma clássica, tanto que o livro é considerado uma versão atualizada de Drácula, de Bram Stocker, mas com um lobisomem como protagonista. A história é contada do ponto de vista de Jake, no caso temos um livro narrado por um lobisomem, e não por caçadores ou afins que estamos cansados de ver por ai.

Com Jake, Glen Duncan criou o lobisomem do século XXI – um homem cujos feitos só podem ser descritos como mosntruosos, mas que, de alguma forma mágica, são profundamente humanos. 

A narrativa é rica em detalhes, e o autor proporcionou ao leitor uma imersão no mundo lupino, acompanhando de perto os pensamentos de Jake. A transformação de Jake em Lobisomem é perfeitamente detalhada, Glen não poupou nenhum detalhe, e seguiu a risca o lema foder-matar-comer. O livro é direcionado a um publico mais adulto, cheio de sensualidade e cenas mais “calientes”. Pode assustar alguns leitores de primeira viagem, mas faz tudo parte da trama, e quem ler vai entender. O único ponto negativo (não pra mim) que alguns podem encontrar no livro, é a velocidade e quantidade de pensamentos desconexos de Jake transmitidos ao mesmo tempo, para mim foi mais como uma narrativa de tirar o fôlego, não conseguia parar de ler até chegar ao próximo capitulo, no entanto em alguns momentos a história pode se tornar um pouco cansativa.

Um dos romances mais originais, audaciosos e assustadores dos últimos anos. 

A edição da Record está impecável, desde a tradução até a adaptação de algumas piadas e o tom de sarcasmo usado por Jake. A diagramação do livro foi muito bem feita, e alguns capítulos são diferentes dos outros, apenas com algumas frases, e destaque nos pensamentos. A capa é toda trabalhada num tom sombrio, mas mesmo assim não perde o brilho e passa a ideia da transição entre as luas, que tem tudo a ver com o enredo do livro.

O último lobisomem é um mix de ação, thriller, loucura, sensualidade e romance bem balanceados. Indico para todos os leitores que gostam de uma leitura diferenciada, com um tom clássico mas ao mesmo tempo atual, e principalmente para os amantes de histórias sobrenaturais.

"Uma voz monstruosamente talentosa." – Guardian

 

 Resenha: O Ultimo Lobisomem, de Glen Duncan

About Guilherme Cepeda


Guilherme Cepeda resenhista e fundador do Burn Book. Hiperativo, Escorpiano, Geek, leitor compulsivo, viciado em Paramore e ainda acredita na magia da Disney. Está cursando o primeiro período de Marketing e tentando levar uma vida aparentemente "normal".