A Freira | Crítica 6
CinemaCríticas de Filmes

A Freira | Crítica

Uma história muito peculiar em que podemos pensar em mil e um finais…

Escrita por James Wan, mesmo de Invocação do Mal e Invocação do Mal 2 e Gary Dauberman, participando também de IT: A Coisa, Annabelle e Annabelle 2, suas bases para criar uma obra como A Freira.

A história começa em uma pequena cidade localizada na Romênia, em que uma freira suicida-se e acaba sendo encontrada por Frenchie (Jonas Bloquet), um jovem que fazia as entregas na igreja levando os mantimentos da semana.

A trama acaba desenvolvendo-se cada vez mais com a chegada da Irmã Irene (Taissa Farmiga) e do Padre Burke (Demian Bichir), por ordem do Vaticano, para investigarem o ocorrido.

A Freira é um filme spin-off da Invocação do Mal, tentando regredir a história para mostrar como o demônio de Irmã Victoria (Bonnie Aarons) surgiu.

A história tem uma base boa, mas acaba se perdendo por querer focar em muitos elementos para construir sua narrativa, com isso o filme perde muito a ideia de terror e acaba levando para o lado da ação e suspense, pois ficamos esperando por algo que acaba não acontecendo.

Quanto ao cenário, as luzes foram muito bem implementadas para a ambientação, trazendo mais suspense, aflição e terror.

Vale a ida ao cinema para assistir. Indico até para quem não curte o gênero de terror pois no final você pode surpreender-se.

*Encontrou algum erro na matéria? Avise-nos

Ouça o último episódio do BurnCast:

Você pode ouvir BurnCast no Burn Book, no Spotify, no Castbox, no Google Podcasts, no Apple Podcasts, no Deezer, na Amazon Music ou no aplicativo de sua preferência. Assine ou siga o BurnCast, para ser avisado sempre que tiver novo episódio no ar.


A Freira | Crítica 7







Guilherme Cepeda
Guilherme Cepeda é podcaster, blogueiro e escritor. Pós-Graduado em Marketing e apaixonado por tecnologia e literatura desde sempre, em 2010 resolveu criar um blog para compartilhar sua opinião com os amigos. Jamais imaginaria que o projeto chegaria tão longe, tornando-se hoje o Burn Book, um dos maiores portais de literatura jovem do Brasil. Escreveu em co-autoria os livros da série Minha Vida, e em seu trabalho mais recente, já pela Editora Burn Books, publicou o conto “Estarei em Casa para o Natal” na antologia que leva o mesmo nome, também foi publicado em outras antologias pelas Editoras Wish, Villa-Lobos e Rouxinol. Guilherme é co-criador do Podcast “BurnCast”, o qual é responsável pela edição, pós-produção e roteiro há mais de um ano.

Você pode gostar de:

Mais Posts em:Cinema

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.