As “mulheres furiosas” de Laura Dern

Texto baseado no artigo “Laura Dern’s furious women”, da Vulture (Publicado na página Dias de Cinefilia)

Em 2011, a HBO colocou em plena Sunset Boulevard um outdoor enorme com o rosto de Laura Dern, furiosa e com a maquiagem escorrendo, como parte da divulgação da série ENLIGHTENED. A série contava a história de uma executiva que, depois de implodir sua vida profissional e se reencontrar na reabilitação, decide refazer sua vida e se vingar da companhia que a explorou e a arruinou. A HBO queria que a personagem fosse “menos agressiva”, mas Laura e Mike White (co-criador e ator da série) bateram de frente com a emissora.



Na época do anúncio na Sunset Boulevard, uma jornalista perguntou a Laura se ela não se sentia desconfortável em ter seu rosto chorando com a maquiagem toda desfeita colocado ao lado de campanhas da Gucci e modelos superproduzidas. Laura respondeu: “É o meu maior orgulho como atriz.”

Enlightened foi aclamada pela crítica e rendeu a Laura uma indicação ao Emmy e uma vitória no Globo de Ouro. A série teve uma segunda temporada, impulsionada pela crítica e pela vitória de Laura no Globo, mas a audiência foi minúscula e o programa foi cancelado. Para alguns, Enlightened abriu caminho para outros shows centrados em mulheres inconformadas e transgressoras, como Girls e Fleabag.

“Eu sempre fui atraida pelas personagens que têm raiva e profundidade”, disse Laura. Filha de dois atores indicados ao Oscar – Bruce Dern e Diane Ladd – Laura sempre foi a atriz que se dedicava a papeis que nem sempre atraiam a simpatia do público. Ela foi indicada ao Oscar por As Noites de Rose, onde interpreta uma ingênua prostituta. Ela foi boicotada por mais de um ano por viver uma personagem lésbica na série Ellen nos anos 90. Depois de estourar com Jurassic Park, Laura implorou para Alexander Payne escalá-la como protagonista de Ruth em Questão, uma comédia sobre aborto. Na primeira página do roteiro, a personagem aparece usando drogas enquanto está grávida de cinco meses.

Bruce, pai de Laura, a aconselhou profissionalmente. “Você faz escolhas que parecem ser muito difíceis agora, mas quando você chegar aos 40 e 50, você vai ter construído uma carreira muito diferente. Quando chegar lá, você vai poder fazer a personagem que quiser.”

Laura não entendeu o que o pai quis dizer na época, mas hoje sabe que ele estava certo. Aos 50 anos de idade, Laura interpretou apenas esse ano uma gama enorme de personagens, que vai da diretíssima Diane em Twin Peaks à Vice Almirante Amilyn Holdo em Star Wars.

20 anos depois de ser boicotada da TV e seis anos desde que sua personagem em Enlightened era “furiosa” demais para o gosto do público, Laura venceu o Emmy pela minissérie BIG LITTLE LIES, onde interpreta Renata Klein, uma mãe superprotetora que o público amou odiar.

“Uma das coisas mais legais de fazer Big Little Lies é que Nicole Kidman e eu temos a mesma idade. Nós duas nos unimos e pensamos ‘dane-se, vamos nos divertir nisso.'”

“A coisa mais legal de agora, desses últimos anos, é que só foi acumulando em mim esse sentimento de estar a toda disposição e de amar atuação mais do que nunca.”




» Siga o Burn Book no Facebook Instagram e no Twitter e receba todas novidades dos livros, filmes e séries! «

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Leia Mais
Trailer de A Bela e a Fera, com Emma Watson, é exibido na D23