Dia do Cinema Brasileiro: confira 11 filmes para assistir nas plataformas de streaming 4
Cinema

Dia do Cinema Brasileiro: confira 11 filmes para assistir nas plataformas de streaming

O Dia do Cinema Brasileiro é celebrado na sexta-feira, 18. Aproveitamos essa data especial e gravamos um episódio para o nosso Podcast com o diretor Pedro Vasconcelos, falamos sobre o Cinema Brasileiro, cinema drive-in, e um panorama do mercado de entretenimento pós COVID-19.

Com diversos filmes nacionais disponíveis nas plataformas de streaming, o jornal O Povo preparou uma lista com algumas produções para maratonar na data. Confira!

Bacurau

Bacurau fala sobre um grupo armado até os dentes determinado a apagar do mapa o vilarejo do título, uma minúscula comunidade encravada no interior do sertão pernambucano de população bastante heterogênea, em termos de raça, cor e identidade de gênero. A população oferece forte resistência às ambições de um político corrupto da região, símbolo de forças conservadoras dentro de um Nordeste plural.
Onde: no Telecine Play

+ Bacurau será transmitido gratuitamente no YouTube nesta quinta (18)

Aquarius

Clara (Sônia Braga) é a única moradora do antigo prédio “Aquarius”, localizado na orla da praia de Boa Viagem, em Recife. Há décadas vive no edifício, que foi o cenário para tantas memórias afetivas de sua trajetória. Sua relação com o lugar, porém, começa a ser ameaçada pela especulação imobiliária. Ao redor, todos os apartamentos já foram comprados, menos o dela. A personagem principal passa a receber ofertas frequentes do engenheiro Diego (Humberto Carrão) para se mudar, mas ela resiste. Dirigido por Kleber Mendonça Filho, o longa-metragem mostra a tensão entre o excessivo investimento de imóveis e a luta pela manutenção da história da cidade.
Onde: na Netflix

Minha Mãe É Uma Peça

Dona Hermínia (Paulo Gustavo) é uma mulher superprotetora com seus filhos já adultos, Marcelina (Mariana Xavier) e Juliano (Rodrigo Pandolfo). Divorciada do ex-marido (Herson Capri), a personagem convive diariamente com os problemas que o matrimônio trouxe. Um dia, ela descobre que seus filhos pensam que seu jeito hiperativo é um incômodo. Por isso, sai de casa sem avisar a ninguém. Em uma busca cômica pelo retorno da mulher ao lar, o enredo foca nas subjetividades presentes na família. Dirigido por André Pellenz, “Minha Mãe É Uma Peça” é um filme baseado na peça homônima escrita e estrelada pelo ator Paulo Gustavo. A adaptação já conta com outras duas continuações.
Onde: no Telecine Play e na Globoplay

Flores Raras

A década é 1950. No período, Juscelino Kubitscheck prometia o desenvolvimento industrial do país. A atual capital de Brasília começava a ser construída. No meio dessa revolução tecnológica, surgia também a Bossa Nova e seus grandes nomes, como Tom Jobim, João Gilberto e Vinícius de Moraes. Entre tantas novidades no cenário brasileiro, o filme “Flores Raras” conta a história de amor entre a poetisa americana Elizabeth Bishop (Miranda Otto) e a arquiteta Lota de Macedo Soares (Glória Pires). Dirigido por Bruno Barreto, o longa-metragem mostra a trajetória real das duas mulheres que se apaixonaram no Rio de Janeiro.
Onde: na Amazon Prime Video

Que Horas Ela Volta?

Quantas mulheres trabalham longas horas como empregada doméstica em casas de classe média alta? Quantas delas deixaram seus filhos no interior, enquanto tentam a estabilidade financeira na capital? Apenas no título, “Que Horas Ela Volta?” já evoca uma imagem recorrente. Val (Regina Casé) sai de Pernambuco para São Paulo com o objetivo de trabalhar e deixa a filha, Jéssica (Camila Márdila), com o avô. Anos depois, a jovem tenta fazer o vestibular no mesmo lugar que a mãe mora. Em uma tentativa de recuperar a relação distante, as duas convivem no lar dos empregadores de Val. Mas a convivência gera atritos.
Onde: na Globoplay

Verônica

Verônica (Andréa Beltrão) é uma professora de escola pública no Rio de Janeiro. Em determinado dia, percebe que a família de um aluno, Leandro (Matheus de Sá), não foi buscá-lo depois da aula. Ela decide levá-lo para a casa, mas, ao chegar no local, percebe que os pais do menino foram assassinados por traficantes. Com direção de Maurício Freitas, o filme de suspense e ação mostra a aventura da mulher que tenta proteger a criança, que está sendo perseguida por traficantes e também por policiais.
Onde: na Amazon Prime e no Look

Entre Nós

A viagem de um grupo de sete amigos era para ter sido só uma diversão. Jovens, eles carregavam grandes ideais para o futuro que ainda estava por vir. Por isso, resolvem escrever cartas para a posterioridade, com o objetivo de imaginar como eles estariam anos depois. Esse sentimento inocente, porém, acaba repentinamente, com a morte de um dos integrantes durante a viagem. Com histórias marcadas pela dor, os personagens resolvem se encontrar após uma década para lerem os textos. Dirigido por Paulo Morelli e por Pedro Morelli, o filme traz uma narrativa simples para situações densas.
Onde: na Globoplay

Elis

Elis Regina foi uma das mais importantes cantoras da Bossa Nova, estilo que surgiu em meados da década de 1950. Intérprete de músicas internacionalmente famosas, como “O Bêbado e o Equilibrista”, “Como Nossos Pais” e “Águas de Março”, sua voz é aclamada até hoke. A obra biográfica da artista, dirigida por Hugo Prata, ganha vida com a interpretação de Andreia Horta. O longa-metragem retrata a vida de Elis a partir do início da sua carreira, aos 18 anos, quando se muda para o Rio de Janeiro. Perpassa sua profissão, a ascensão na música, a fama e a vida pessoal até o momento de sua morte, em 1982.
Onde: na Telecine Play e na Globoplay

Como Nossos Pais

Dirigido por Laís Bodanzky, “Como Nossos Pais” é uma demonstração dos tantos conflitos que famílias enfrentam. Rosa (Maria Ribeiro), que é filha de Clarice (Clarisse Abujamra) e Homero (Jorge Mautner), não tem uma relação estável com seus pais. Os dois são intelectuais divorciados, que tem ideias progressistas e livres. Enquanto isso, Rosa é conservadora e vive uma vida sem emoções. A infelicidade que carrega por causa de seu cotidiano não é o único problema: o casamento com Dado (Paulo Vilhena) enfrenta adversidades por causa do crescimento das duas filhas. O filme mostra as frustrações de uma mulher que não teve suas idealizações de juventude concretizadas.
Onde: na Netflix

O Barato de Iacanga

Festival de Águas Claras foi um evento musical que teve quatro edições entre as décadas de 1970 e 1980. Conhecido como o “Woodstock brasileiro”, aconteceu em uma fazenda de Iacanga, no interior de São Paulo. Diversos nomes da música brasileira participaram, como Os Mutantes, Alceu Valença, Luiz Gonzaga e João Gilberto. Esse movimento cultural está registrado no documentário “O Barato de Iacana”, disponível na Netflix. Apesar do pouco material que resta da época, o longa-metragem conta com entrevistas e outros recursos para trazer uma perspectiva histórica do festival.
Onde: na Netflix

O Homem do Futuro

Protagonizado por Wagner Moura e Alinne Moraes, “O Homem do Futuro” é uma típica comédia romântica. O personagem João é um físico que dirige um grande projeto científico brasileiro. Mas os traumas que aconteceram há 20 anos, após a traição de sua ex-namorada, Helena, o tornaram uma pessoa difícil. A partir da construção de uma máquina do tempo, tenta voltar ao passado para mudar os fatos que aconteceram. Dirigido por Cláudio Torres, o filme está disponível na Netflix.
Onde: na Netflix

*Encontrou algum erro na matéria? Avise-nos

Ouça o último episódio do BurnCast:

Você pode ouvir BurnCast no Burn Book, no Spotify, no Castbox, no Google Podcasts, no Apple Podcasts, no Deezer, na Amazon Music ou no aplicativo de sua preferência. Assine ou siga o BurnCast, para ser avisado sempre que tiver novo episódio no ar.


Dia do Cinema Brasileiro: confira 11 filmes para assistir nas plataformas de streaming 5







Guilherme Cepeda
Guilherme Cepeda é podcaster, blogueiro e escritor. Pós-Graduado em Marketing e apaixonado por tecnologia e literatura desde sempre, em 2010 resolveu criar um blog para compartilhar sua opinião com os amigos. Jamais imaginaria que o projeto chegaria tão longe, tornando-se hoje o Burn Book, um dos maiores portais de literatura jovem do Brasil. Escreveu em co-autoria os livros da série Minha Vida, e em seu trabalho mais recente, já pela Editora Burn Books, publicou o conto “Estarei em Casa para o Natal” na antologia que leva o mesmo nome, também foi publicado em outras antologias pelas Editoras Wish, Villa-Lobos e Rouxinol. Guilherme é co-criador do Podcast “BurnCast”, o qual é responsável pela edição, pós-produção e roteiro há mais de um ano.

Você pode gostar de:

Mais Posts em:Cinema

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.