Patty Jenkins, diretora de Mulher-Maravilha, deu uma declaração ao livro The Art and Making of The Film elogiando o trabalho do ator Chris Pine no papel de Steve Trevor, interesse romântico da heroína no filme solo da Mulher-Maravilha. 

Chris Pine foi uma escalação especial e raro. Nós queríamos um homem que fizesse um verdadeiro paralelo com Diana. Um espírito gigante que é o tipo de homem que alguém aspira ser, mas que não tem medo de ser complexo e de elogiar outro. Ele é o tipo de homem que as mulheres querem acreditar que existe lá fora. Ele também é um dos melhores atores com quem eu já trabalhei.

Além disso, Patty Jenkins também falou sobre a importância do personagem no filme para aflorar aspectos em Diana (Gal Gadot) que não deveriam ser suprimidos da protagonista.

Eu me sinto como uma das coisas ironicamente mais sexistas que aconteceu com as heroínas por tanto tempo é que eles tinham histórias universais tiradas delas. Então, os super-heróis do sexo masculino poderiam ter Lois Lane. Eles podem ter amor, Eles podem ter vulnerabilidade, eles podem ter complexidade. Mas as super-heroínas, ou personagens fortes femininas, precisam assumir que nunca precisam de ninguém. Isso não é justo para ninguém. Nenhum ser humano é uma ilha assim.

Mulher-Maravilha já está em cartaz no Brasil.

via Omelete

Deixe sua opinião aqui :)