O Destino de Júpiter | Crítica 3
Cinema

O Destino de Júpiter | Crítica

Os irmãos Wachowskis retornar ao cinema numa trama que se sustenta mais pelo seu visual.

Por incrível que pareça eu acabei gostando de O Destino de Júpiter, mesmo com a opinião arrasadora dos críticos. Eu até entendo por que eles caíram tanto em cima desse filme. O enredo não conseguiu se sustentar por si só, e acho que muitos sentiram que esse tipo de filme devia ser lançado entre os blockbusters. O filme carrega uma atmosfera de “filme arrasa quarteirão de verão” desde o primeiro tiro de Caine até o fim.

No enredo temos nossa heroína, Júpiter ( Mila Kunis), que descobre ser a reencarnação de uma poderosa figura da família Abrasax, que controla diversos mundos; sendo que a terra é apenas uma pequena parte das fazendas intergaláticas – acho que esse seria o nome certo. Quando Júpiter descobre que é a herdeira a terra, e que está entrando em conflito com os planos da família, o ex-Legionário, Caine ( Channing Tatum) é sua última esperança de sobreviver.

O filme então segue uma aventura no espaço, cheia de ação como a maioria dos blockbusters. Se bem que o visual superou muitos filmes desse estilo. Quando disse que esse filme se sustentou pelos efeitos, eu não estava brincando. Eles são tão fenomenais, que deixam as perseguições e as cenas de ações impossíveis de desviar o olhar. É tão bonito o mundo dos irmãos Wachowskis que eu não tenho palavras para descrever aquela mitologia.

Infelizmente o enredo não ajudou. Foi muito simplório e com pouco desenvolvimento de personagens. Os irmãos preferiam deixar as perseguições substituir qualquer crescimento que a história podia ter.

Não me leve a mal, eu gostei. Esse tipo de filme é para você desligar o cérebro e se deixar levar pela beleza dos cenários e as cenas de ação, e não acho que tenha nada de errado com isso. Não acho que todos os filmes do mundo tem que fazer você pensar, é bom se desligar um pouco.

Eu recomendo O Destino de Júpiter a todos que queriam descansar um pouco.

Confira o trailer abaixo:

[[youtube http://www.youtube.com/watch?v=7MD4oceNxmQ]]

*Encontrou algum erro na matéria? Avise-nos

Ouça o último episódio do BurnCast:

Você pode ouvir BurnCast no Burn Book, no Spotify, no Castbox, no Google Podcasts, no Apple Podcasts, no Deezer, na Amazon Music ou no aplicativo de sua preferência. Assine ou siga o BurnCast, para ser avisado sempre que tiver novo episódio no ar.


O Destino de Júpiter | Crítica 4


Guilherme Cepeda
Guilherme Cepeda é podcaster, blogueiro e escritor. Pós-Graduado em Marketing e apaixonado por tecnologia e literatura desde sempre, em 2010 resolveu criar um blog para compartilhar sua opinião com os amigos. Jamais imaginaria que o projeto chegaria tão longe, tornando-se hoje o Burn Book, um dos maiores portais de literatura jovem do Brasil. Escreveu em co-autoria os livros da série Minha Vida, e em seu trabalho mais recente, já pela Editora Burn Books, publicou o conto “Estarei em Casa para o Natal” na antologia que leva o mesmo nome, também foi publicado em outras antologias pelas Editoras Wish, Villa-Lobos e Rouxinol. Guilherme é co-criador do Podcast “BurnCast”, o qual é responsável pela edição, pós-produção e roteiro há mais de um ano.

Você pode gostar de:

Mais Posts em:Cinema

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.