Sem Tempo Para Morrer | Diretor queria que filme se passasse na cabeça de Bond 3
Cinema

Sem Tempo Para Morrer | Diretor queria que filme se passasse na cabeça de Bond

007: Sem Tempo Para Morrer mostrará a última aventura de Daniel Craig na pele do famoso agente secreto James Bond. Diretor do filme, Cary Joji Fukunaga revelou em uma entrevista que tinha uma ideia diferente para a trama: fazer com que a história se passasse quase toda na cabeça do protagonista. 

Em entrevista para a Interview Magazine, o cineasta lembrou que Bond tem uma agulha espetada em sua cabeça em 007 Contra Spectre (2015). 

Eu tinha essa ideia de que o filme se passaria no covil do vilão do filme anterior”, disse Fukunaga. “Tem uma cena em que uma agulha entra na cabeça de James Bond para fazer ele esquecer e ele escapa milagrosamente com um ‘relógio bomba’. E aí, ele e a personagem de Léa Seydoux explodem o lugar e salvam o dia. Eu pensei ‘e se tudo que acontecer até o final do segundo ato estiver na cabeça dele?’”.

Confira a sinopse do filme:

James Bond (Daniel Craig) se aposentou da vida de agente, mas sua paz é interrompida quando seu velho amigo Felix Leiter (Jeffrey Wright), que trabalha na CIA, pede sua ajuda, o que coloca Bond na trilha de um novo vilão armado com uma perigosa tecnologia. Voltam ainda ao elenco Léa Seydoux como Madeleine, Ralph Fiennes como M e Ben Whishaw como Q.

A estreia do longa está prevista para 25 de novembro de 2020.

Ouça o último episódio do BurnCast:

Você pode ouvir BurnCast no Burn Book, no Spotify, no Castbox, no Google Podcasts, no Apple Podcasts, no Deezer, na Amazon Music ou no aplicativo de sua preferência. Assine ou siga o BurnCast, para ser avisado sempre que tiver novo episódio no ar.


Sem Tempo Para Morrer | Diretor queria que filme se passasse na cabeça de Bond 4


Guilherme Cepeda
Guilherme Cepeda é podcaster, blogueiro e escritor. Pós-Graduado em Marketing e apaixonado por tecnologia e literatura desde sempre, em 2010 resolveu criar um blog para compartilhar sua opinião com os amigos. Jamais imaginaria que o projeto chegaria tão longe, tornando-se hoje o Burn Book, um dos maiores portais de literatura jovem do Brasil. Escreveu em co-autoria os livros da série Minha Vida, e em seu trabalho mais recente, já pela Editora Burn Books, publicou o conto “Estarei em Casa para o Natal” na antologia que leva o mesmo nome, também foi publicado em outras antologias pelas Editoras Wish, Villa-Lobos e Rouxinol. Guilherme é co-criador do Podcast “BurnCast”, o qual é responsável pela edição, pós-produção e roteiro há mais de um ano.

Você pode gostar de:

Mais Posts em:Cinema

Leave a reply