As Golpistas | Crítica 19
Críticas de Filmes

As Golpistas | Crítica

Devido à crise financeira que abalou Wall Street em 2008, as strippers Destiny, interpretada por Constance Wu, e Ramona, interpretada por Jennifer Lopez, notam o declínio na quantidade de clientes na boate em que trabalham, que passa a afetar sua própria rentabilidade. Em consequência disso, ambas decidem iniciar um plano, junto de outras amigas, para aumentar o seu faturamento.

Embora recebam nomes diferentes, o enredo de As Golpistas é uma história real, baseado em uma entrevista concedida por ambas à jornalista Jessica Pressler, que no filme recebe o nome de Elizabeth e é interpretada por Julia Stiles, do New York Magazine.

As Golpistas | Crítica 20

A trama utiliza de alguns elementos jornalísticos para a sua construção, mesmo que não seja um filme do gênero, para criar uma maior naturalidade — uma naturalidade que não apenas deixa o filme fluir como também auxilia na criação de uma amizade carismática entre as protagonistas.

Diversos aspectos da trama da vida das ex-strippers são abordados, mas sobretudo em sua amizade, que é a força motora para todos os acontecimentos centrais, engrandecendo a narrativa do filme.

As Golpistas | Crítica 21

A amizade é um dos fatores mais carismáticos do filme — que de modo geral apresenta muito carisma, e consegue ser muito divertido. É fácil aceitar aquele mundo pelas pessoas que estão nele.

Mesmo que se trate de uma história sobre a vida noturna, As Golpistas consegue se adequar mas ainda inovar dentro do gênero, evitando grandes estereótipos ao mesmo tempo que consegue criar um universo feminino com vida própria e totalmente feminista, dando representatividade para um dos milhares de universos femininos existentes, apresentando e dando voz à personagens com suas próprias características e independência, mas ainda palpáveis e realistas.

As Golpistas | Crítica 22

A direção de Lorene Scafaria consegue unir todos os elementos com muita fluidez, fazendo com que o filme se adapte às constantes mudanças no enredo, passando ao espectador um sentimento muito intimista, o envolvendo em cada acontecimento. 

As Golpistas é um filme sobre amizade, sobretudo a força feminina. Talvez não deva ser considerado um filme para temporada de premiações como está sendo sugerido, mas é inegável sua eficácia em seu enredo e direção, se tornando um dos filmes memoráveis de 2019 — especialmente para mulheres. 

Ouça o último episódio do BurnCast:

Você pode ouvir BurnCast no Burn Book, no Spotify, no Castbox, no Google Podcasts, no Apple Podcasts, no Deezer, na Amazon Music ou no aplicativo de sua preferência. Assine ou siga o BurnCast, para ser avisado sempre que tiver novo episódio no ar.


As Golpistas | Crítica 23


O que você achou desse Post?

LOL
0
GOSTEI
0
AMEI
0
CONFUSO
0
Engraçado
0
Lais Alves
23 anos de muita paixão por cinema, pizza e de passar raiva em Summoner's Rift.

    Você pode gostar de:

    Mais Posts em:Críticas de Filmes

    Leave a reply