Crianças tocando o terror numa sátira ao bullying

Danilo Gentili é um nome que desperta alegria e ódio em muitas pessoas, então seu filme não podia ser diferente. Se unindo ao diretor Fabrício Bittar, o humorista mais polêmico do momento usou de base seu livro para contar a história de Pedro (Daniel Pimentel) e Bernardo (Bruno Munhoz) e como eles quebraram todas as regras no maior ano de suas vidas, de um jeito que vai deixar muitos de queixo caído.

Como se Tornar o Pior Aluno da Escola tecnicamente é muito bem feito. O filme é muito contido, mas o diretor tenta ao máximo deixa-lo bem dinâmico, algo essencial para a molecada. A edição só complementa seu trabalho e não nos deixa um momento sequer entediados no assento.

A dupla de protagonistas é muito boa e o filme consegui trazer um pouco da nostalgia das comedias que víamos na Sessão da Tarde muito por causa deles. O elenco em si faz muito bem seu trabalho e novos talentos já podem ser vistos.

Infelizmente, a história possui alguns problemas. Os roteiristas tentam mostrar ao máximo como a escola pode ser uma prisão e que está tudo bem falhar ás vezes, mas eles nunca entram ao fundo disso. Somos mais levados pelo humor das cenas com alguns vislumbres da ideia central. Isso pode ser um problema para aqueles que não curtem um humor negro e o filme é humor negro ao extremo.  

No final, Como se Tornar o Pior Aluno da Escola é um filme que vai bem polêmico com assuntos que estão sendo muito debatidos nos dias de hoje. Com seu humor ácido, consigo ver muitos se divertindo com essa história e outros bem irritados.


Nosso querido Carlos Villagrán pelo menos vai deixar muitos felizes só por estar lá.


» Siga o Burn Book no Facebook Instagram e no Twitter e receba todas novidades dos livros, filmes e séries! «

Como se Tornar o Pior Aluno da Escola | Crítica
73%Pontuação geral
Personagens 75%
Enredo 65%
Fotografia 75%
Efeitos Especiais 70%
Trilha Sonora 80%
Votação do leitor 4 Votos
78%

Deixe sua opinião aqui :)

Sem mais artigos