Uma história de terror que conseguiu ir muito além do gênero

It – A Coisa é o mais novo filme de terror desse semestre e com certeza é o melhor. Baseado no clássico de Stephen King, nós nos lembramos porque ele ainda é um dos maiores contadores de história de todos os tempos e porque os criadores de Stranger Things beberam tanto da fonte que King criou. Esse filme mostrou o que há de melhor da sua fase clássica.

Focado em Bill Denbrough (Jaeden Lieberher) e no resto do Clube dos Perdedores, vemos como as crianças lidam com o palhaço Pennywise (Bill Skarsgård), uma entidade sombria que assombra a cidade e todos os pequenos, depois do desaparecimento do irmão de Bill.

O filme consegue assustar e ser envolvente em seu enredo nas horas certas. O diretor Andy Muschietti traz todo um peso para a vida de nossos protagonistas que você não vê em muitas obras de terror e posso dizer que é isso que torna esse filme único. Muitos podem dizer que não é tão difícil deixar as pessoas apreensivas com um palhaço assassino, mas você precisa de muito mais do que apenas um bom mostro para que um filme te prenda, mesmo que o monstro seja tão incrível quanto esse.

Pennywise em muitos momentos se torna um reflexo dos problemas e dilemas das crianças, que encontram um no outro uma família que pode sobreviver a tudo, e Skarsgård não deixa mesmo as coisas fáceis para eles. Ele fez um trabalho incrível como o palhaço demoníaco e assassino. Em alguns momentos era tão infantil quanto as crianças e em outros a incarnação do mal. Toda a trilha sonora e a escolha da direção ajudaram a deixar seus momentos assustadores bem sufocantes. Até mesmo quem não se assusta fácil vai tomar uns sustos.

No final, It – A Coisa é mais uma ótima produção dessa nova fase dos filmes de terror. Estou mais do que ansioso para o segundo filme.

It - A Coisa | Crítica
83%Pontuação geral
Personagens 85%
Enredo 80%
Fotografia 85%
Efeitos Especiais 75%
Trilha Sonora 90%
Votação do leitor 2 Votos
91%

Deixe sua opinião aqui :)