Missão Impossível: Nação Secreta |Crítica

Tom Cruise retorna para fazer o que ele faz de melhor: O impossível.

Missão impossível – Nação Secreta é o quinto filme de Tom Cruise como o agente da IMF, Ethan Hunt. Pegando o gancho que o final do último nos deu, Ethan e sua equipe estão atrás do Sindicato, uma organização terrorista que ninguém até agora conseguiu provar a existência. Mas o que ele não sabia é o quão perigosos  eles poderiam ser. Talvez ele finalmente tenha achado um adversário a altura.


Esse filme foi um pouco diferente do que eu esperava. Desde Missão Impossível – Protocolo Fantasma, estava esperando um filme mais divertido, bem no estilo blockbuster, com piadas e cenas engraçadas, mas acabei sendo entregue a um filme que abraçou maios o gênero de espionagem. Não que o último não tenha sido um filme de espionagem, mas você conseguia ver a diferença entre esses dois. Nação Secreta abraçou mais o estilo James Bond e Ethan usou mais a inteligência para conseguir derrotar o vilão.

E que vilão foi esse. Ele não foi nenhum pouco memorável, e as vezes me irritava, mas ele conseguiu desafiar Hunt de uma maneira que o agente não conseguia pega-lo. Os dois eram os lideres de suas organizações e viveram uma constante batalha mental para ver quem pegava o outro primeiro. Isso eu gostei muito.

O resto da equipe tbm fez um bom trabalho. Jeremy Renner ( William Brandt), Simon Pegg ( Benji Dunn), Ving Rhames ( Luther Stickell) e a nova garota Rebecca Ferguson ( Ilsa Faust) foram perfeitos no filme ao lado de Cruise.

Claro que o filme teve seus problemas e eu achei algumas partes previsíveis e um tanto lentas, mas me diverti muito com essa pegada mais clássica. O final foi surpreendente. E é claro que Tom Cruise foi o grande motivo desse filme ter sido incrível.

Confira o trailer do filme abaixo:

 [[youtube http://www.youtube.com/watch?v=49fTQo6xBzo]]
Personagens 80
Enredo 85
Fotografia 75
Efeitos Especiais 85
Trilha Sonora 75
Nota dos Leitores:0 Votes0
80

Leia Mais
O fenômeno “Aquaman”