O Chamado 3 | Crítica 6
Críticas de Filmes

O Chamado 3 | Crítica

Samara retorna num filme que não vai fazer muita falta.

O diretor espanhol F. Javier Gutiérrez e o produtor Akiva Goldsman se unem para contar mais uma vez a história de Samara Morgan (Bonnie Morgan) em O Chamado 3, um filme que parece muito mais um remake do que uma continuação dos filmes de Naomi Watts.

Focando na jovem Julia (Matilda Lutz), seu namorado Holt Anthony (Alex Roe) e o professor Gabriel Brown (Johnny Galecki), Javier procura explorar a mitologia que já conhecemos na era digital, em que você pode ver tudo que quiser em questão de segundos. É até interessante o modo como vemos Gabriel se utilizar da fita para poder criar um tipo de culto na faculdade de Holt.

O Chamado 3 | Crítica 7

Infelizmente as coisas boas pararam por aí. O filme tenta criar um clima de suspense, no entanto, falha em nos fazer sentir o medo dos personagens ou se quer nos importar com eles. Dá para ver como atores até tentaram nos fazer ser levados por essa nova mitologia, mas faltava alguma coisa para eu não ficar vendo as horas passarem no celular.

O Chamado 3 | Crítica 8

O filme acaba te pegando mesmo no final com seu desfecho e os verdadeiros motivos de Samara sendo relevados. Talvez tenha sido só eu, mas o longa me pareceu muito mais um filme para TV do que algo para as telonas.

Se você não é fã dos filmes anteriores talvez seja melhor esperar O Chamado 3 chegar no Netflix.

Confira o trailer:

 [[youtube https://www.youtube.com/watch?v=CBMFh3WgL4w]]

*Encontrou algum erro na matéria? Avise-nos

Ouça o último episódio do BurnCast:

Você pode ouvir BurnCast no Burn Book, no Spotify, no Castbox, no Google Podcasts, no Apple Podcasts, no Deezer, na Amazon Music ou no aplicativo de sua preferência. Assine ou siga o BurnCast, para ser avisado sempre que tiver novo episódio no ar.


O Chamado 3 | Crítica 9


Guilherme Cepeda
Guilherme Cepeda é podcaster, blogueiro e escritor. Pós-Graduado em Marketing e apaixonado por tecnologia e literatura desde sempre, em 2010 resolveu criar um blog para compartilhar sua opinião com os amigos. Jamais imaginaria que o projeto chegaria tão longe, tornando-se hoje o Burn Book, um dos maiores portais de literatura jovem do Brasil. Escreveu em co-autoria os livros da série Minha Vida, e em seu trabalho mais recente, já pela Editora Burn Books, publicou o conto “Estarei em Casa para o Natal” na antologia que leva o mesmo nome, também foi publicado em outras antologias pelas Editoras Wish, Villa-Lobos e Rouxinol. Guilherme é co-criador do Podcast “BurnCast”, o qual é responsável pela edição, pós-produção e roteiro há mais de um ano.

Você pode gostar de:

Mais Posts em:Críticas de Filmes

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.