O Que Te Faz Mais Forte | Crítica 4
Críticas de FilmesCinema

O Que Te Faz Mais Forte | Crítica

O Que Te Faz Mais Forte é baseado no livro homônimo de Jeff Bauman e Bret Witter. Diferente de O Dia do Atentado, o longa não preocupa-se com o ato de terrorismo em si, mas nos efeitos causados a vida de um homem depois do dia 15 de abril de 2013.

Jeff Bauman (Jake Gyllenhaal) é um torcedor assíduo do Boston Red Sox e, sempre que possível, está no bar com a família e amigos para acompanhar o time. Em um dia de jogo, ele reencontra a ex-namorada Erin Hurley (Tatiana Maslany), que tenta angariar fundos para correr na Maratona de Boston. Bauman resolve ajudar a ex e promete estar na linha de chegada para esperá-la.

No dia 15 de abril, duas explosões acontecem na maratona. Jeff é atingido por uma delas e perde suas duas pernas. Assim ele começa sua batalha de vida e sua trajetória como símbolo nacional.

É incrível como os estadunidenses encontram-se de lados opostos num minuto e, de repente, usam termos como “nós contra eles”. É como se os atos de terrorismo os transformasse nos mocinhos automaticamente. No entanto, logo em seguida, eles celebram mortes como se fossem espetáculos. Esse patriotismo desenfreado é tratado sem pudor pelo diretor David Gordon Green.

O Que Te Faz Mais Forte | Crítica 5

A necessidade do herói americano não é de hoje e está longe de acabar. O roteiro de John Pollono e a direção de Green tendem a inovar ao mostrar a realidade por trás dessa figura. As aparências, os traumas, a mídia e o homem por trás do herói são expostos numa verdade nua e crua. Ao pedir para que alguém seja a imagem daquele movimento elas esquecem o quanto estão fazendo uma vítima reviver o pior dia de sua vida. 

Sobre as atuações, a riqueza do longa é Jake Gyllenhaal. Cheio de trejeitos, intenso e seguro, ele passa a confusão psicológica que seu personagem sofre ao tentar ser o herói que todos clamam. Sua parceira de cena, Tatiana Maslany acompanha seu ritmo de forma perspicaz e constrói uma relação muito sincera entre os dois. O resto do elenco, infelizmente, parece perdido e deslocado e afeta o espaço dos dois atores mencionados.

Os efeitos especiais cumpriram seu papel de forma brilhante, principalmente na hora de mostrar ou ocultar as pernas de Bauman. O humor negro também é outro elemento de destaque no filme, principalmente quando as piadas são feitas pelo próprio Jeff, que tenta achar na comédia um conforto para si e para os outros em volta. 

O Que Te Faz Mais Forte é uma obra contraditória, o que é decepcionante. Primeiramente vemos como Jeff Bauman sofre ao ser identificado como símbolo do Boston Strong,  mas por fim ele encontra a paz quando aceita tal título. Ser fora dos padrões poderia ter sido sua maior força, mas David Gordon Green preferiu ser apenas mais um filme do herói americano.

Distribuidora: Paris Filmes

Data de estreia: 08/02/2018

*Encontrou algum erro na matéria? Avise-nos

Ouça o último episódio do BurnCast:

Você pode ouvir BurnCast no Burn Book, no Spotify, no Castbox, no Google Podcasts, no Apple Podcasts, no Deezer, na Amazon Music ou no aplicativo de sua preferência. Assine ou siga o BurnCast, para ser avisado sempre que tiver novo episódio no ar.


O Que Te Faz Mais Forte | Crítica 6


Viviane Oliveira
Tecnóloga em Projetos Mecânicos desde 2017, estudante de Jornalismo, cosplayer, cosmaker, redatora freelancer desde 2016, amante da Mulher Maravilha e de Star Wars.

    Você pode gostar de:

    Mais Posts em:Críticas de Filmes

    Leave a reply

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.