Os Jovens Titãs em Ação! Nos Cinemas | Crítica 5
Críticas de FilmesCinema

Os Jovens Titãs em Ação! Nos Cinemas | Crítica

Em Jovens Titãs em Ação! Nos Cinemas, Robin (Manolo Rey), Ciborgue (Eduardo Borgerth), Estelar (Luiza Palomanes), Ravena (Mariana Torres) e Mutano (Charles Emmanuel) percebem que todos os super-heróis estão estrelando filmes. Nada mais justo que eles terem seu próprio longa, não é mesmo? Pois é, apenas na cabeça deles. Todos veem os Jovens Titãs como uma piada indignos de serem chamados de super-heróis. Eles decidem mudar essa imagem achando um arqui inimigo grandioso, é aí que entra Slade (Ricardo Schnetzer) e seu controle da mente.

Quando Jovens Titãs em Ação! estreou como série, foram feitas inúmeras críticas pela abordagem mais infantil de personagens muito amados. O roteiro de Aaron Horvath e Michael Jelenic reúne todos esses comentários de forma muito inteligente ao longo de toda história e transforma toda essa imaturidade em um ponto forte. É aí que cai aquele preceito de que personagens que já conhecemos só podem ser retratados de uma forma. 

Apesar de todo o humor, a animação tem mensagens muito sólidas. Primeiramente sobre os blockbusters que são produzidos, muitas vezes, sem uma preocupação com seu conteúdo – perceba isso na cena sobre o filme do Batmóvel. Depois, ele nos lembra de sempre rir de nos fracassos e transformá-los em algo positivo. 

Os Jovens Titãs em Ação! Nos Cinemas | Crítica 6

Falando sobre a abordagem dada, se a série é muito infantil, essa animação é ideal para todos os públicos. Na verdade, os fãs que acompanham a DC Comics a muitos anos se sentirão muito confortáveis graças a todas as referências feitas, principalmente porque são encaixadas com um propósito. Ou seja, não é aquele fanservice de graça.

Também não poderia faltar aquela brincadeira saudável com a Marvel, não é mesmo? Ela já aparece no início da animação com aquela famosa entrada com as folhas dos quadrinhos. Depois somos surpreendidos por Stan Lee que participa da sátira sobre a obsessão dos fãs com suas aparições nos filmes.

A dublagem fica por conta de nomes já conhecidos pelo público, o que agradecemos. Em um bate-papo com a imprensa, eles falaram sobre como a dublagem tem crescido no país e como adoram receber um feedback para que saibam onde melhorar. Lembrando do importante trabalho dos tradutores, que adaptam as falas para a realidade brasileira, e dos diretores de dublagem, que ajudam os profissionais a darem o tom e a interpretacão certa para as vozes.

Os Jovens Titãs em Ação! Nos Cinemas | Crítica 7

A trilha sonora brincará em muitos momentos com o público. Originalmente composta por Jared Faber, ela possui melodias divertidas, sinceras e animadas. Também precisamos citar Take on Me do banda norueguesa A-ha, em uma dupla referência ao clipe e ao longa De Volta Para o Futuro.

Jovens Titãs em Ação! Nos Cinemas é uma ótima opção para as famílias se divertirem e esquecerem aquela mania chata que existe no mundo geek de resistir a novos pontos de vista. Se a DC Comics e a Warner Bros. abraçaram isso, por que você também não pode?

Observação: possui cenas pós-créditos.

Distribuidora: Warner Bros.

Estreia: 28/08/2018

*Encontrou algum erro na matéria? Avise-nos

Ouça o último episódio do BurnCast:

Você pode ouvir BurnCast no Burn Book, no Spotify, no Castbox, no Google Podcasts, no Apple Podcasts, no Deezer, na Amazon Music ou no aplicativo de sua preferência. Assine ou siga o BurnCast, para ser avisado sempre que tiver novo episódio no ar.


Os Jovens Titãs em Ação! Nos Cinemas | Crítica 8


Viviane Oliveira
Tecnóloga em Projetos Mecânicos desde 2017, estudante de Jornalismo, cosplayer, cosmaker, redatora freelancer desde 2016, amante da Mulher Maravilha e de Star Wars.

    Você pode gostar de:

    Mais Posts em:Críticas de Filmes

    Leave a reply

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.