Shazam! | Crítica 19
Críticas de FilmesCinemaLink na Bio

Shazam! | Crítica

Lembram quando anunciaram Deadpool lá em 2016, e todo mundo ficou com um pé atrás, mas no fim, foi uma grande surpresa de tão bom? Foi mais ou menos essa mesma formula que a DC usou para criar o novo super-herói da franquia: Shazam!

Dirigido por David F. Sandberg (Quando as Luzes se Apagam e Annabelle 2) e roteiro de Henry Gavden, Shazam! chega aos cinemas com a difícil missão de agradar fãs e continuar o legado curto da nova geração de filmes bons da DC, precedido de Mulher Maravilha e Aquaman. E o filme consegue entregar tudo o que prometeu: uma história interessante e boa risadas.

Shazam! | Crítica 20

Zachary Levi está maravilhoso no papel de uma criança presa em um corpo de adulto. Shazam! foge do esteriótipo de herói sério e se comporta como o adolescente que é: imaturo e brincalhão. O ator falou um pouco sobre sua experiência interpretando o herói:

“Foi demais! Eu sou uma criança no corpo de um adulto. Eu ainda leio graphic novels, jogo videogame, amo aventuras, sempre fui muito otimista e realmente amo personagens que tem muito coração, até mesmo quando estou jogando algum game. Eu sempre quero ser o cara legal. Até hoje eu sou muito entusiasmado e poder interpretar um garoto é basicamente perfeito. Quem não ficaria empolgado, como adulto, por ser escalado como um super herói e não ter que esconder isso? Eu sei que Henry Cavill e Ben Affleck ou qualquer um que seja escalado como esse heróis mais sérios ficam animados no set, mas hora de gravar precisam ficar mais sérios e tal. Eu não precisei fazer nada disso. Então é super divertido”.

Shazam! | Crítica 21

+ Warner anuncia próximos filmes de heróis da DC Comics

Alias, ponto positivo para a escolha dos atores. Ashar Angel e Zachary Levi conseguem ser a mesma pessoa em corpos diferentes. Freddy Freeman, interpretado pelo Jack Dylan Grazer (It) é, claramente, a representação de todos nós, fãs de super-heróis. Mark Strong (Kingsman) nos trás um supervilão com ideais distorcidos e passado que justifica (mas não muito) seus atos.

Shazam! | Crítica 22

Sandberg conseguiu contar uma história engraçada sobre a origem de um herói não tão popular quanto seus parceiros de franquia, e sem ser maçante. No final, Shazam! não é só mais um filme de herói. É um filme sobre união, sobre confiança e a importância de estar cercado de pessoas que nos amam.

Shazam! já está disponível nos cinemas!

Ouça o último episódio do BurnCast:

Você pode ouvir BurnCast no Burn Book, no Spotify, no Castbox, no Google Podcasts, no Apple Podcasts, no Deezer, na Amazon Music ou no aplicativo de sua preferência. Assine ou siga o BurnCast, para ser avisado sempre que tiver novo episódio no ar.


Shazam! | Crítica 23


O que você achou desse Post?

LOL
0
GOSTEI
0
AMEI
0
CONFUSO
0
Engraçado
0
Samyra Matt
Formada em Comunicação e Ux Design, e apaixonada por cultura nerd desde que se entende por gente. Sonha em um dia, viajar para a escócia e atravessar pelas pedras, para o século XVIII. Apaixonada por comida e Netflix.

Você pode gostar de:

Mais Posts em:Críticas de Filmes

Leave a reply