Três Anúncios Para Um Crime | Crítica

Em Três Anúncios Para Um Crime será contada a história de Mildred Hayes (Frances McDormand), uma mulher inconformada com a ineficácia da polícia em encontrar o culpado pelo brutal assassinato de sua filha. Hayes decide chamar atenção para o caso não solucionado alugando três outdoors em uma estrada raramente usada. A inesperada atitude repercute em toda a cidade e suas consequências afetam várias pessoas, especialmente a própria Mildred e o Delegado Willoughby (Woody Harrelson), responsável pela investigação.

Se esse longa fosse ser resumido em uma palavra seria “sulista”. Desde o humor negro americano, que não é de gosto universal, até a trilha sonora de Carter Burwell que nos lembra dos clássicos filmes de faroeste e também faz uso de músicas cowntry. 

O roteiro original de Martin McDonagh, vencedor do  Golden Globe Awards 2018, ultrapassa todas as expectativas. Não se iluda: o objetivo dele não é resolver o caso da jovem Angela Hayes, mas mostrar o impacto sofrido pela cidade de Ebbing. Uma aura de vingança, ódio e sentimentos ressentidos rege a vida de todos os personagens envolvidos e os faz ter atitudes que alternam entre admiráveis e totalmente condenáveis, o que faz com que haja o questionamento sobre a dicotomia do bom e do mau.

Vencedor do SAG Awards 2018, o elenco de Três Anúncios Para Um Crime não poderia ter uma composição mais rica. Woody Harrelson deu a vida a um delegado característico das pequenas cidades americanas, sempre muito envolvido e amado pela comunidade, com uma família amorosa e com uma sabedoria guardada no olhar; Peter Dinklage teve pouquíssimo espaço em tela, mas forneceu bons momentos em suas interações com Frances McDormand. Em meio a uma equipe riquíssima dois nomes destacam-se e cativam o público.

Primeiramente, falaremos de Frances McDormand. É necessário tomar fôlego aqui para falar de sua atuação e personagem. Foi como ver uma cavaleira de faroeste, algo que não existem precedentes, pronta para se vingar através da força bruta e da inteligência. Essa é uma mulher que dificilmente se deixa abalar na frente dos outros, mas em seus momentos de solidão pode desabar diante da dor da perda. McDormand conquistou por esse papel as estatuetas do Golden Globe Awards, Critics’ Choice Awards e SAG Awards, por isso, é possível dizer que o maior prêmio do cinema é apenas uma questão de tempo.

Sam Rockwell interpretou o personagem com maior crescimento durante o longa e provocará uma divisão de opiniões. Ele é um policial racista, violento e extremamente indisciplinado, mas isso tudo esconde frustrações de seu passado que moldaram o homem visto hoje (não que elas sirvam de desculpas para seus atos). Seu personagem, Jason Dixon, e Mildred Hayes encontram-se em lados opostos na maior parte do tempo mas, por fim, percebem que têm um inimigo em comum. Rockwell, como McDormand, tem tido ótimo desempenho nas premiações e isso pode se repetir no Oscar.

A autenticidade de Três Anúncios Para Um Crime vem desde seu título original (Three Billboards outside Ebbing, Missouri) e se estende ao trazer seus personagens complexos, seus preconceitos, seus crimes, seus dramas pessoais e seus pontos de vistas extremos. Com esse western moderno o público questionará suas certezas sobre vingança e sobre cometer, ou não, um crime.

Personagens100
Enredo100
Trilha Sonora100
Fotografia100
Nota dos Leitores:1 Vote3
100

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

More Stories
As Crônicas de Nárnia: Reboot é oficializado e “A Cadeira de Prata” será produzido!