Warcraft - O Primeiro Encontro de Dois Mundos | Crítica 3
Críticas de Filmes

Warcraft – O Primeiro Encontro de Dois Mundos | Crítica

O filme que prometia começar uma nova fase de adaptações de jogos para a telona, mas será que ele foi tudo que prometeu?

Warcraft – O Primeiro Encontro de Dois Mundos é o tipo de filme que deixou fãs esperando loucamente para ver esse mundo finalmente ganhando vida de uma maneira grandiosa, e foi exatamente isso que aconteceu. Como não sou fã dos jogos, ou qualquer outro tipo de material, não vou poder falar sobre a fidelidade da adaptação, somente do filme em si.

Warcraft-orc-leader-384715-1000x509

Em termos de grandeza, o diretor Duncan Jones não teve problema em nos mostrar como esse mundo é grande e cheio de possibilidades. Ele realmente conseguiu nos vender a ideia de um universo cinematográfico, que com certeza a Legendary Pictures pretende trata-lo da mesma forma que a Marvel trata o seu.

Infelizmente, faltou muito para ser um grande começo. Duncan falha do mesmo modo que muitos diretores quando quiseram trabalhar com muitos personagens ao mesmo tempo, ou seja, não conseguiu equilibrar o tempo entre todos. Sir Anduin Lothar (Travis Fimmel), Garona (Paula Patton), Durotan (Toby Kebbell) e Khadgar (Ben Schnetzer) são personagens que até conseguem nos cativar ao longo de sua jornada, mas o filme tem uma narrativa tão rápida, que pode ser tanto algo positivo quanto negativo, infelizmente, nesse caso não ajudou muito. Ás vezes tudo ocorre tão rápido que você nem temos tempo de absorver o que está acontecendo.

É só depois que os personagens são introduzidos que a narrativa fica mais sólida e vemos cenas de ações impecáveis. Mesmo com um CGI um tanto duvidoso, não dá para negar como o diretor conhece cada um dos seus personagens e sabe bem do que são capazes. Certas reviravoltas que ele decidiu realizar ajudaram muito o enredo.

warcraft-56

Infelizmente, o filme fica muito entre o sério e o infantil e não consegue se decidir qual seguir. Eu queria muito ter entrado de cabeça na história, mas foram tantas tramas e subtramas que o filme acabou perdendo o foco. Somente no final voltamos a ficar presos nos assentos e esperando pela continuação.

O modo como eles finalizaram o enredo deixou espaço para muita coisa. Só temos que esperar para ver se eles terão chance de nos levar para mais uma aventura, se possível corrigindo alguns erros, ou essa será a última vez que estaremos em Warcraft.

Confira o trailer abaixo:

[[youtube https://www.youtube.com/watch?v=Dqvz8w-latE]]

*Encontrou algum erro na matéria? Avise-nos

Ouça o último episódio do BurnCast:

Você pode ouvir BurnCast no Burn Book, no Spotify, no Castbox, no Google Podcasts, no Apple Podcasts, no Deezer, na Amazon Music ou no aplicativo de sua preferência. Assine ou siga o BurnCast, para ser avisado sempre que tiver novo episódio no ar.


Warcraft - O Primeiro Encontro de Dois Mundos | Crítica 4







Guilherme Cepeda
Guilherme Cepeda é podcaster, blogueiro e escritor. Pós-Graduado em Marketing e apaixonado por tecnologia e literatura desde sempre, em 2010 resolveu criar um blog para compartilhar sua opinião com os amigos. Jamais imaginaria que o projeto chegaria tão longe, tornando-se hoje o Burn Book, um dos maiores portais de literatura jovem do Brasil. Escreveu em co-autoria os livros da série Minha Vida, e em seu trabalho mais recente, já pela Editora Burn Books, publicou o conto “Estarei em Casa para o Natal” na antologia que leva o mesmo nome, também foi publicado em outras antologias pelas Editoras Wish, Villa-Lobos e Rouxinol. Guilherme é co-criador do Podcast “BurnCast”, o qual é responsável pela edição, pós-produção e roteiro há mais de um ano.

Você pode gostar de:

Mais Posts em:Críticas de Filmes

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.