Zumbilândia 2 - Atire Duas Vezes | Crítica 3
Críticas de FilmesCinemaLink na Bio

Zumbilândia 2 – Atire Duas Vezes | Crítica

Após 10 anos do primeiro filme, em Zumbilândia 2 – Atire Duas Vezes reencontramos o grupo formado por Columbus (Jesse Eisenberg), Tallahassee (Woody Harrelson), Wichita (Emma Stone) e Little Rock (Abigail Breslin) buscando novos lugares e itens para a sua sobrevivência. Até que eles decidem ir para a Casa Branca, encontrando novas pessoas e mais desafios.

A sequência aposta na mesma fórmula cômica que seu antecessor, assim como no fator nostalgia em toda a trama — propositalmente ou não — relembrando tudo o que fez certo no primeiro filme, brincando com os acontecimentos anteriores, esteriótipos e reiterando como aquela família disfuncional é tão divertida.

As mudanças em Zumbilândia 2 são notáveis, mas de forma alguma transformam em uma sequência menos interessante. Desta vez, a trama não foca exclusivamente nos protagonistas, ainda que os acontecimentos sejam em torno deles, apresentando novos personagens e atualizando o universo do filme, com novos tipos de zumbis e, claro, maneiras de matá-los.

Resultado de imagem para zombieland 2 gif

O interessante dos novos personagens, especialmente Madison (Zoey Deutch), é que eles vão além de simples alívios cômicos, mas de fato são os catalisadores para as mudanças ao decorrer do filme. Esses personagens são o ponto de partida e o ponto de chegada, sendo totalmente funcionais.

E embora sejam funcionais, os personagens novos não escapam do tom sarcástico e estereotipado do filme. Além de Madison, responsável pela maioria dos momentos humorísticos do filme, temos Berkeley (Avan Jogia) que se torna o par romântico de Little Rock, um típico personagem de comédias adolescentes, mas isso não faz com que eles tenham menos personalidade.

Resultado de imagem para zombieland 2 gif

Zumbilândia 2 tem, novamente, personalidade, especialmente por sua força ser centrada em seus personagens. Desta vez, encontramos o grupo fragmentado em alguns momentos, provando a força individual de cada um, e como o filme conhece bem os personagens que tem em mãos — especialmente pela evolução dos mesmos.

O filme se torna uma grande homenagem ao filme de 2009, ao mesmo tempo que prova que consegue ser diferente, único e independente — e com cenas de ação ainda maiores. Talvez não se faça necessário, mas Zumbilândia 2 é uma sequência consegue superar seu antecessor.

E não levante da cadeira assim que o filme terminar! Zumbilândia 2 – Atire Duas Vezes tem uma imperdível cena pós-créditos.

*Encontrou algum erro na matéria? Avise-nos

Ouça o último episódio do BurnCast:

Você pode ouvir BurnCast no Burn Book, no Spotify, no Castbox, no Google Podcasts, no Apple Podcasts, no Deezer, na Amazon Music ou no aplicativo de sua preferência. Assine ou siga o BurnCast, para ser avisado sempre que tiver novo episódio no ar.


Zumbilândia 2 - Atire Duas Vezes | Crítica 4







Lais Alves
23 anos de muita paixão por cinema, pizza e de passar raiva em Summoner's Rift.

    Você pode gostar de:

    Mais Posts em:Críticas de Filmes

    Leave a reply

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.