Olá leitores do Burn Book, Sou a Ale e fui como representante do blog assistir a pré estréia de Cowboys & Aliens uma cortesia da Galera Record em parceria com a Paramount Pictures. 

A organização foi excelente a Vivi chegou mais cedo e distribuiu os ingressos para o pessoal que estava na lista não teve fila nem bagunça foi tudo super tranqüilo, algo bem VIP mesmo (com direito a refrigerante e pipoca na faixa). Queria agradecer o Gui por essa oportunidade e para a Galera que deveria mais vezes fazer isso, pois foi uma experiência diferente muito legal.

 
 
 
 
 
 
 
Cowboys & Aliens 

Gênero: Ação/Ficção Cientifica
Ano: 2011
Duração: 118 minutos

 

 

 

 

 

Cowboys & Aliens é um filme adaptado das HQ’s de Scott Mitchell Rosenberg e começa muito bem, mostrando Jake Lonergan (Daniel Craig) acordando no meio do deserto com amnésia, seminu, com a fotografia de uma moça ao seu lado e um bracelete de metal em seu pulso e depois de um momento três pistoleiros o encontram e depois de uma breve luta ele já tem roupas e armas para seguir seu destino. Logo ele chega a uma cidade do velho oeste onde ele conhece os demais personagens da história como a Ella Swenson (Olivia Wilde) e o Woodrow Dolarhyde (Harrison Ford). Mas logo que os alienígenas entram em cena tudo o que imaginei que o filme seria mudou completamente.

Os habitantes da cidade não pareciam tão chocados e surpresos com a aparição deles, coisas que deveriam ter sido respondidas foram esquecidas (seria um presente de Damon Lindelof um dos roteiristas?), na sua busca pelos habitantes seqüestrados eles estão seguindo o rastro de um alien, do nada aparecem índios e então eles decidem achar o covil deles tentando recuperar a memória de Jake através de um ritual (não teria sido mais fácil continuar seguindo o alien?). A ação que eu tanto esperava no filme foi um tanto “sem graça” digamos assim. Fora que vemos umas 30 pessoas na batalha e do nada esse número parece triplicar. Resumindo o filme é bem dedutível.

Mas tenho que parabenizar a equipe de efeitos especiais e quem fez o design das naves com seus ganchos, da “nave mãe” e do navio invertido além da belíssima direção de fotografia feita por Matthew Libatique (Cisne Negro). O diretor Jon Favreau perdeu a chance de fazer um trabalho incrível já que tinha em mãos um elenco de ponta e um belo orçamento só achei desnecessário ter contratado 5 roteiristas para adaptação da drama.

Eu esperava muito mais do filme, mas se você gosta de algo nesse gênero e não ligar para a história em si será uma boa distração.
 

 

Deixe sua opinião aqui :)