707 – Amarcchi (Resenha)

Obra: 707

Autora: Amarcchi (pseudônimo)


User do Wattpad: @amarcchi

Gênero: Romance

Sinopse: A vida de Zahara estava de cabeça para baixo: menos de um mês antes de mudar de cidade, seu namorado a deixou, após dois anos de relacionamento. Convencida de que a faculdade de Artes Cênicas seria boa para ela, Zahara não esperava se meter em um problema infinitamente maior que um término de namoro: o início de um casamento.
Para acobertar uma pequena mentira que se tornou gigante, do Vice-Reitor da Universidade, Zahara e Conrado – seu professor de Teatro – não têm outra escolha a não ser passar a dividir o mesmo teto, no apartamento 707.

Uma verdade universalmente conhecida é que a primeira vez a gente nunca esquece.

O primeiro coração partido, a primeira faculdade e, é claro, o primeiro casamento com um completo estranho.



Essas são algumas das primeiras vezes de Zahara, que, aos dezoito anos, acaba de ingressar no curso dos seus sonhos: Artes Cênicas. Para melhorar, ela irá dividir o dormitório com sua melhor amiga, Lola. É nesse momento que você acha que o clichê começa, mas não. Toda boa história tem um velho clichê, mas eles não são necessariamente nossos inimigos. Quem nunca esbarrou em um cara idiota que derramou café sobre você e, não obstante, descobriu que o mesmo ministrava a matéria principal do seu curso? O desprezo entre Zahara e o diretor da peça a qual ela quer desesperadamente ser a atriz principal é mútuo.

Zahara não gosta de Conrado e Conrado não gosta de Zahara. Ponto.

Todo mundo tem um melhor amigo que fala mais do deveria, se você não tem, você é esse amigo. Para a infelicidade de Za, Lola é essa amiga e acaba jogando na mesa a fatídica frase que irá mudar radicalmente a sua vida:

— O sonho de vida de Zahara é ser Julieta na peça. […] Ela mataria alguém para que pudesse ser a principal.

Conrado, metido em uma confusão dentro da reitoria da Universidade, vê ali a oportunidade perfeita de conseguir manter seu emprego intacto e oferece o papel de Julieta à Zahara. Entretanto, quando o capeta lhe oferece algo, pode apostar que ele quer algo em troca. De cara, a proposta é negada, afinal, Za se preparou desde pequena para isso, todavia, nos quarenta e cinco do segundo tempo a garota volta atrás e é aí que tudo começa a ficar interessante.

Casada aos dezoito e obrigada a permanecer dentro dessa farsa por longos seis meses, Zahara não só tem que esconder de todos, inclusive Lola, o matrimonio, como também tem de lidar com as fases de Conrado. Às vezes gentil e simpático, outrora estressado e grosseiro, mas sempre misterioso.

Com uma escrita leve e gostosa de acompanhar, 707 é o típico livro que você começa a ler e não quer mais parar. Contando com vinte e seis capítulos, a autora nos apresenta a mente confusa de uma garota que teve seu coração partido e teme apaixonar-se novamente, uma garota cuja ações são carregadas de consequências, humor e reflexões. Sobretudo, uma garota humana que erra, que usa o ex namorado como uma segunda opção e que se arrepende. Além de todos os empecilhos construídos pela própria garota, ainda há os construídos por Conrado e seu passado.

O que o 707 uniu, nenhum ex namorado (e namorada?) pode separar. Certo?

 

Link para 707

Nota: ♥♥♥♥♥ na falta de estrelinha vai coração mesmo.

Até a próxima, guys!

With love, Juls

 

 

Leia Mais
E se os Minions fossem personagens da cultura pop?