CCXP19 | Protagonismo feminino é destaque em coletiva do filme Aves de Rapina

Na manhã desta quinta-feira, 6 de dezembro, o elenco de Aves de Rapina, Margot RobbieMary Elizabeth Winstead, Ella Jay Basco, Jurnee Smollet-Bell Rose Perez, estavam reunidas junto da diretora do filme Cathy Yan e dos produtores Sue Kroll e Bryan Unkeless na coletiva do filme Aves de Rapina – Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa para conversar sobre o que podemos esperar do filme de origem do grupo.

+ CCXP 2019: Saiba tudo o que aconteceu no painel de Aves de Rapina!



A ideia do filme surgiu logo após o enorme sucesso da personagem Arlequina, interpretada por Margot Robbie, no filme Esquadrão Suicida. Entretanto, o roteiro de Christina Hodson (roteirista do filme) é uma nova perspectiva da cidade de Gotham, um mundo mais colorido e divertido, e claro, muito mais feminino. 

Essa não é a Gotham sombria e escura de Batman, essa é a Gotham de Arlequina.

Hodson trabalhou junto de Margot Robbie para a criação da personagem e desse novo universo. As inspirações vieram da vontade da atriz em reconhecer que ainda havia muito o que explorar na personagem.

Eu sentia que ainda havia muito o que brincar com a personagem, então eu ainda tinha muito trabalho pra fazer isso acontecer. Eu também queria muito vê-la interagir com outras mulheres, principalmente com um grupo de mulheres, acho que ela sempre quis ter um grupo feminino. Eu comecei à fazer algumas pesquisas nos quadrinhos pra ver como isso seria possível. Eu comecei a conversar com a Christina imediatamente, e ela foi perfeita em captar a essência dos quadrinhos, o que era muito importante pra mim. Eu tinha diversas ideias do que eu queria que ela fosse e a Christina criava, de uma maneira incrível, diversas maneiras delas se tornarem realidade.

Sobre as cenas de ação, o elenco comentou que a ideia era criar individualidades nos estilos de luta que, segundo Margot Robbie, também ajuda quando se trata de contar a história, visto que suas habilidades, quando juntas, se completam, assim formando um grupo habilidoso — contribuindo assim para um aspecto mais visceral de cada personagem.

Arlequina acabou se tornando um modelo de feminino após a estreia de Esquadrão Suicida, mesmo havendo controvérsias quanto à isso. Margot Robbie comentou sobre a problematização.
É uma situação complicada. Eu me sinto responsável em estar colocando algo positivo no mundo, seja produzindo, atuando ou o que seja. Eu fico pensando se estou levando uma mensagem positiva, se vai ajudar o mundo se tornar um lugar melhor. Se as mulheres irão questionar o mundo e se isso permitirá um crescimento. Mas eu não entendo porquê as pessoas se relacionam com a Arlequina, eu sei porquê amo ela e entendo suas falhas, mas não sei se as pessoas criam uma relação com ela por ela não ser perfeita, e talvez devêssemos honrar mais as imperfeições, as forças apesar das circunstâncias. Acho que essa a mensagem acaba sendo mais empoderadora que alguém que é perfeito o tempo todo.
Mary Elizabeth Winstead, que interpreta a Caçadora, adicionou sobre sua empolgação em poder ver um grupo de anti-heroínas no cinema.
Homens puderam ver isso por vários anos e de diversas maneiras, em adaptações de quadrinhos e de outras formas. Nós poderemos ver suas fraquezas, o que as fazem serem interessantes e poderosas.
Jurnee Smollett-Bell. a Canário Negro, também comentou sobre a representatividade do filme.
O que queremos é ver o mundo refletido no cinema, nós queremos ver nossas imperfeições, inseguranças, não queremos apenas ver a mulher perfeita porque não somos assim. Como Mary disse, os homens podem ser eles mesmos nas telas. E toda a produção foi feita para que fossemos apenas nós mesmas.
Rosie Perez finalizou o tópico dizendo que Aves de Rapina não fica atrás de nenhum outro filme do mesmo gênero, e que isso sim é uma representatividade feminina.
Nós somos mulheres complexas e não somos objetificada nesse filme.

Leia Mais
Blood, uma história sobre médicos e vampiros | Resenha do Dorama