Companhia lança seu primeiro livro diretamente em POD

‘Entre sonhos e tempestades’, livro que adapta a obra de Shakespeare para crianças, chega diretamente aos consumidores via impressão por demanda.

Lançar um livro requer investimentos. Um dos maiores deles – se não o maior – é com a impressão. Mas e se imprimisse só depois de vender? Essa é a lógica da impressão por demanda (ou POD, do inglês Print on Demand).

Nesse modelo, o livro só é impresso depois de vendido. Isso favorece o fluxo de caixa da editora e permite manter um livro no mercado, mesmo não tendo ele em estoque. O que parece ser muito bom para livros de fundo de catálogo pode, às vezes, funcionar para lançamentos. É que está testando a Companhia das Letras com o livro Entre sonhos e tempestades, de Rui de Oliveira. À venda desde a última sexta-feira (18) em marketplaces como o da AmazonMercado Livre e Estante Virtual, o livro é produzido, vendido e entregue na casa do leitor final pela UmLivro, plataforma de POD da Meta.

“Livros infantis demandam custos de produção altos e o POD surgiu como um caminho para viabilizar esse livro especificamente”, disse Fabiana Roncoroni, gerente de produção da Companhia das Letras.

“A qualidade que o POD se revelou para livros em quatro cores nos surpreendeu. Ficamos muito satisfeitos com a qualidade e, embora o custo tenha sido mais alto [do que se fosse impresso em offset], foi o que tornou esse livro viável, sobretudo nesse momento de crise”, completou.

Outra coisa que Fabiana apontou como vantagens nesse caso foi a operação de venda e logística que é tocada diretamente pela UmLivro. “Sem esses recursos, o POD não atinge todo o potencial que ele tem”, comentou.

A relação entre a Companhia e a UmLivro começou no ano passado, quando a editora resolveu testar a plataforma com o livro Biblioteca à noite, do argentino Alberto Manguel.

“A Companhia tem um catálogo vasto. Nosso backlist é muito forte. Por isso, há alguns anos, a gente tem estudado [o POD], mas sempre se esbarrava na questão do custo e da qualidade. No ano passado, fizemos esse teste. Nas primeiras horas, o livro atingiu vendas surpreendentes. O mais importante foi que o leitor procurou e achou. Saber que ele encontrou o que estava buscando tem sido muito bacana”, completou Fabiana.

Anselmo Bortolin, CEO da Meta, lembra que colocar um lançamento na plataforma não estava no radar da Companhia no começo das conversas. “Demos segurança e eles comprovaram a nossa qualidade. Isso abriu um grande leque de oportunidades. Estamos muito felizes e acreditamos que vai trazer muitos resultados”, disse orgulhoso ao PublishNews.

A gerente de produção revelou que a estratégia da Companhia é mesmo colocar o máximo do seu fundo de catálogo em POD.

“A gente não está conseguindo atingir o número [de títulos disponível em impressão por demanda] porque, em muitos casos, tem que mexer no contrato, demonstrar para o autor que a gente vai continuar tendo a qualidade pela qual a Companhia sempre prezou, mesmo na impressão por demanda. Estamos trabalhando fortemente para mudar isso”, disse.

via publishnews

Leia Mais
Novo livro sobre Star wars revela mistérios sobre a Aliança Rebelde