Confira a capa de “Hold me closer”, spin-off de Will & Will, escrito por David Levithan

MTV divulgou a capa de “Hold me closer” spin-off de Will & Will, escrito por David Levithan. O livro-musical de Tiny Cooper será lançado pela Galera Record no Brasil. 

10407728_10152700265722713_1063128550287180484_n




 

Confira a entrevista completa com o autor David Levithan, e descubra mais detalhes sobre o livro. 

Como você teve a ideia de escrever um musical inteiro em forma de romance?

Tudo começou com “Will & Will: um nome, um destino”, quando o musical de Tiny Cooper se tornou uma parte muito importante, senão a parte mais importante, da trama. Certamente, John e eu nos divertíamos muito fazendo nossas paródias de números musicais para o livro. Assim que terminamos, eu disse ao John que adoraria que esse musical um dia fosse um musical de verdade e para nós nos aprofundarmos nele. Ele disse “Você tem minha bênção – vai fundo!” Eu me lancei no projeto quase na mesma hora, mais ou menos quando “Will & Will” foi lançado, e desenvolvi um primeiro ato e o enviei a John. Nós conversamos sobre ele, e depois a vida entrou no caminho, e eu estava intimidado pelo segundo ato, então demorou muito mais do que eu pensei, mas eu sempre imaginei que seria muito divertido se fosse um musical em forma de romance assim como um romance em forma de musical, então espero que funcione como ambos.

Então se parece com um script de verdade, com direcionamento de palco e tudo?

Sim. Basicamente, é como se fosse ser produzido, mas obviamente, sendo Tiny quem ele é, ele encheu um pouco mais de linguiça nas direções de palco e na cenografia do que talvez Tony Kushner faria. Então você pega um pouco da história pelas direções que Tiny dá sobre como retratar sua própria infância e adolescência.

Você estudou alguns musicais para descobrir como escrever um?

É quase assustador o quanto eu sou amador quando se trata de musicais – eu sou um frequentador de musicais, mas não tão obcecado por eles quanto talvez alguns dos meus amigos teatrais sejam. Eu realmente não queria fazê-lo seguindo algum tipo de fórmula. O bom é que é pra ser realmente a versão de um garoto de 16 anos de um musical, então Tiny conhece algumas regras mas não tantas, o que permite eu me safar com algumas regras mas não tantas. Há os divertidos grandes números e os números mais lentos, mas tenho certeza que a proporção não é a que a maioria dos diretores musicais recomendaria.

Obviamente, a imaginação de Tiny é bem colorida – como isso é demonstrado no musical?

Eu posso revelar que o final do primeiro ato é um trio com Tiny, sua babá lésbica e o fantasma de Oscar Wilde. Isso basicamente resume a inspiração de Tiny e, por extensão, a minha.

Como os leitores podem saber como são as melodias das músicas? Vai haver partituras?

Não. Essa é a grande interrogação no momento. Eu acho que idealmente, nós vamos proceder em dois níveis: eu tenho alguns compositores em mente que adoraria ver se eles gostariam de compor algumas das músicas, mas ao mesmo tempo, eu estou realmente interessado na ideia de ter a contribuição do público para o musical quando o livro sair, e realmente deixar os leitores fazerem suas próprias versões das músicas e postá-las no YouTube ou compartilhá-las, fazendo a trilha sonora do jeito deles. Eu não quero que seja inteiramente pré-concebido. Poderia haver uma versão oficial, mas eu espero que haja diversas versões não oficiais. Eu sei que algumas versões das músicas de “Will & Will” já existem, então seria só encorajar os leitores, especialmente os mais jovens, a brincar com elas se quiserem.

Quais são os musicais da Brodway favoritos de Tiny, e por extensão, os seus?

Tiny está sempre se referindo a alguns musicais como pilares. Eu acho que Kinky Boots foi o primeiro musical que eu vi e pensei “Tiny adoraria esse musical”. Eu acho que se Tiny fosse a Nova Iorque agora… Tenho certeza de que ele gostaria deOnce, ele tiraria algum proveito de Motown, mas eu acho que Kinky Boots é o que faria Tiny pirar. Tudo, desde Rent a Spring Awakening, até mais antigos, Sound of Music, eu acho que Tiny se apoia em todos esses. Eu gosto mais dos musicais indie, como Once ou Passing Strange, que eu amei. Mas para Tiny, são os que tem os grandes números.

Qual foi a contribuição de John Green em tudo isso?

Bom, eu escrevi o primeiro ato, mostrei-o a ele e nós conversamos sobre, e obviamente as músicas que ele escreveu em “Will & Will”, ou os trechos de letras que ele escreveu nos capítulos dele, estão todos em “Hold me Closer”. Eu definitivamente estava adaptando e expandindo uma parte do trabalho dele, mas quando eu terminei de escrever o segundo ato e finalmente tinha esse romance-musical, musical-romance, antes que eu enviasse ou mesmo mostrasse a alguém, eu enviei para ele e disse “Aqui está o que eu fiz, o que acha?” e deixei as portas abertas. Ele foi maravilhoso e me deu apoio, dizendo “Quer saber, você está mesmo incorporando Tiny Cooper, vai fundo!”. Obviamente, se ele tivesse discordado ou hesitado de alguma forma, eu teria desistido. Tiny Cooper começou em um dos capítulos de John, e eu intensamente o coloquei em meus capítulos. Nós sempre brincamos que ele foi criado por dois pais em “Will & Will”. Neste caso em particular, um pai conseguiu a guarda para colocá-lo em um musical.

the great

via The Hollywood Report – Stephan Lee. / Tradução: Bárbara Waida / Créditos: Carpe Libri

Leia Mais
Copa do Mundo: hora de lembrar os Supercampeões