Dezessete curiosidades sobre a Colecao Vaga-Lume 3
Notícias

Dezessete curiosidades sobre a Colecao Vaga-Lume

Publicado no homoliteratus

Era início dos anos 70.

Um vaga-lume usando boina e tênis estampava todos os livros da série Vaga-Lume, da Editora Ática, que, por sua vez, estavam presentes nas estantes de todo o Brasil.

Luminoso – o nome do vaga-lume em questão – apresentava os enredos dos mais de 70 livros lançados pela editora, se utilizando de expressões como “tudo joinha?” e “supimpa!”.

A série Vaga-Lume foi (e ainda é) um estrondoso sucesso, sendo uma das principais responsáveis pela formação de dezenas de milhares de leitores Brasil afora.

Eu sou um deles, e você provavelmente também é.

Por isso, reuni aqui algumas curiosidades sobre esta coleção, que em 2013 comemora 41 aninhos de vida e pura vitalidade editorial.

1. A série Vaga-Lume foi lançada pela Editora Ática na virada de 1972 para 1973, e é composta de romances voltados ao público infantojuvenil.

"A Ilha Perdida", de Maria José Dupré

“A Ilha Perdida”, de Maria José Dupré

2. A editora não divulga números, mas estima-se que somente a obra A Ilha Perdida, de Maria José Dupré, já ultrapassou a marca de 2,2 milhões de exemplares vendidos.

3. A série ajudou, e muito, a fortalecer e consagrar a Editora Ática, que recentemente informou que pretende relançar a coleção em formato digital.

4. Um dos maiores sucessos da série, O Escaravelho do Diabo, de Lúcia Machado de Almeida (1910-2005), foi lançado primeiramente em 1956 como um folhetim da revista O Cruzeiro.

5. Inicialmente, a série se caracterizava pela presença de obras já consagradas, de autores idem. Já na segunda década após seu lançamento, tanto os textos quanto os autores passaram a ser inéditos.

6. Um destes autores inéditos era Marçal Aquino.

7. Quando foi convidado para escrever por Fernando Paixão, editor da série na época, Marçal era repórter do Jornal da Tarde e nunca havia escrito uma linha sequer para o público infantojuvenil.

"O escaravelho do diabo", de Lúcia Machado de Almeida

“O escaravelho do diabo”, de Lúcia Machado de Almeida

8. Em contrapartida, outro escritor da série, Marcelo Duarte, nunca publicou nenhum livro de ficção fora da coleção Vaga-Lume. O jornalista, escritor e dono da Editora Panda Books publicou seus cinco livros de ficção na série, e vendeu mais de 240 mil exemplares.

9. Em 1980, quando foi informado pelos editores responsáveis pela Coleção Vaga-Lume sobre a tiragem pretendida para seu livro, um atordoado escritor de pseudônimo Marcos Rey não acreditou. Os editores da Ática reiteraram: 120 mil exemplares.

10. Marcos Rey, pseudônimo de Edmundo Nonato, era nesta época um escritor já reconhecido de contos e romances adultos, porém estava acostumado com tiragens que não ultrapassavam três mil exemplares.

11. A aposta em Marcos Rey foi alta – e certeira. O Mistério do Cinco Estrelas, de 1981, vendeu mais de 2,5 milhões de exemplares. O autor escreveu o livro em dois meses.

12. Atualmente, porém, os mais de 15 livros lançados por Marcos Rey estão fora da coleção Vaga-Lume.

13. Um dos criadores da série, Jiro Takahashi, hoje editor do selo Prumo, da Editora Rocco, afirma que o sucesso da coleção se deu por conta de uma série de fatores, sendo o principal deles o baixo preço dos livros. Altas tiragens permitiam preços muito baixos, que por sua vez facilitavam a adoção das obras por escolas.

14. Outro ponto importante para a aceitação em sala de aula eram os encartes chamadosSuplementos de Trabalho, que traziam atividades didáticas ligadas ao livro.

"O mistério do cinco estrelas", de Marcos Rey

“O mistério do cinco estrelas”, de Marcos Rey

15. Milton Rodrigues Alves, um dos ilustradores da série, conta que, para ilustrar O Caso da Borboleta Atíria, passou muitas e muitas horas em um Museu de Zoologia. “Não tínhamos internet, e a melhor maneira de saber a forma de um Dynastes Hercules era indo ao Museu”, conta Milton.

16. O Escaravelho do Diabo, de Lúcia Machado de Almeida, em breve sairá das estantes diretamente para as telas de cinema. A obra está em fase de pré-produção, e terá direção de Carlos Milani. O filme já tem até um site: www.oescaravelhododiabo.com.br

17. E O Escaravelho do Diabo não é o único. O Mistério do Cinco Estrelas (1981), O Rapto do Garoto de Ouro (1982) e Um Cadáver Ouve Rádio (1983), todos de Marcos Rey, tiveram seus direitos adquiridos pela produtora RT Features, e começam a ser filmados no final de 2013. A previsão de estreia é julho de 2014.

E para encerrar, diz aí, leitor: qual dos livros da série Vaga-Lume é o seu preferido?

Fonte

*Encontrou algum erro na matéria? Avise-nos

Ouça o último episódio do BurnCast:

Você pode ouvir BurnCast no Burn Book, no Spotify, no Castbox, no Google Podcasts, no Apple Podcasts, no Deezer, na Amazon Music ou no aplicativo de sua preferência. Assine ou siga o BurnCast, para ser avisado sempre que tiver novo episódio no ar.


Dezessete curiosidades sobre a Colecao Vaga-Lume 4


Guilherme Cepeda
Guilherme Cepeda é podcaster, blogueiro e escritor. Pós-Graduado em Marketing e apaixonado por tecnologia e literatura desde sempre, em 2010 resolveu criar um blog para compartilhar sua opinião com os amigos. Jamais imaginaria que o projeto chegaria tão longe, tornando-se hoje o Burn Book, um dos maiores portais de literatura jovem do Brasil. Escreveu em co-autoria os livros da série Minha Vida, e em seu trabalho mais recente, já pela Editora Burn Books, publicou o conto “Estarei em Casa para o Natal” na antologia que leva o mesmo nome, também foi publicado em outras antologias pelas Editoras Wish, Villa-Lobos e Rouxinol. Guilherme é co-criador do Podcast “BurnCast”, o qual é responsável pela edição, pós-produção e roteiro há mais de um ano.

Você pode gostar de:

Mais Posts em:Notícias

9 Comments

  1. Sempre adorei a série Vaga-Lume. Mas adorava ainda mais os livros do Marcos Rey, era incríveis para mim. E foi com eles que comecei a sair do infantil e ir para o infanto juvenil. Adoro os livros O mistério do cinco Estrelas, Sozinha no mundo, O diabo no porta-malas, Um rosto no computador,entre outro!! Adorei saber estas curiosidades. Parabéns!!!

  2. Eu adorava…
    Perigos em alto mar, muitooo bom!!

  3. Nossa que interessante essas curiosidades, não aprendi a ler por essa serie mas quando comecei a ajudar na biblioteca como amiga da escola quando adolescente aprendi a amar essa serie e li quase todos os livros dela hehe

    bjos
    My recent post Liberta-me

  4. O meu preferido é O Caso da Borboleta Atíria.

  5. Minha família possui uns 20 livros dessa coleção, e eu li todos, sem poder escolher meu preferido! Haha! Muito legal as curiosidades

  6. Gosto muito desta serie! Adorei O Escaravelho do Diabo e Aventura no Imperio do Sol.
    My recent post Surpresa no Dia Nacional do Livro

  7. Nunca curti muito a coleção vaga-lume, mas cheguei a ler vários títulos entre a 3ª-5ª série… Acho que até tenho uns dois aqui. Mas, entre eles, realmente, tem títulos muito bons. O Escaravelho do Diabo com certeza é um deles. Ansioso para ver como ficará o tal filme!

  8. Inesquecível, pegava um atrás do outro na biblioteca da escola! Marcos Rey era meu escritor favorito da coleção.
    Fiquei superfeliz em saber que haverá adaptações cinematográficas, e também que a Ática pretende relançar os livros em formato digital.

    Um beijo, Livro Lab
    My recent post 5 motivos para ler Stephanie Perkins

  9. Oi Guilherme, li muitos destes livros na época de escola, e ainda tenho alguns deles.
    Bjs, Rose.

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.