Na era digital, tudo é muito rápido. A comunicação é instantânea e publicar nunca foi tão acessível. Porém, não existe venda sem marketing. Comece a pensar no seu livro como um produto e entenda: ninguém compra o produto que não conhece.

            Todos os dias, escritores desistem por não estarem satisfeito com seus números, no Wattpad a narrativa é comum. Desde “ninguém lê o que eu escrevo” a culpar outros gêneros e estilos literários pela falta de leitores. Pensando nisso, separamos algumas dicas para divulgação, para tirar você, escritor, do “flop” em divulgações.

1) Perca a vergonha.

Você pode ser o próximo grande Machado de Assis e seu livro pode ter tudo para ser um best-seller, mas se você não vender seu peixe, ninguém vai saber disso. Divulgar é preciso, não é implorar por atenção, é parte do seu trabalho.

Observação: mesmo que você seja a reencarnação de Machado de Assis, ou o próximo grande nome do gênero tal, ou o próximo número 1 na lista de Mais Vendidos, por favor, não saia dizendo isso por aí. Não diga coisas que competem ao seu leitor dizer. Uma coisa é as outras pessoas te elogiarem, outra é você se intitular assim. É deselegante e bem boçal.

2) Pessoas leem pessoas.

Pessoas compram pessoas. É incrível a quantidade de gente que primeiro te acha interessante e depois passa a achar o teu produto interessante. Para o caso do Facebook (que é com o que eu tenho mais experiência) ainda há um algoritmo doido que faz a sua publicação aparecer para outras pessoas de acordo com a relevância.

Em outras palavras: quanto mais você interage, mais chance tem de alcançar um potencial novo leitor.

Não sejam estranhos nos grupos, ou na própria timeline, que só aparecem aqui para divulgar e xau. Uma regrinha nesse sentido, em especial para a sua Timeline é poste coisas da sua vida também, perca o medo de se expor. Foi-se o tempo que o escritor era essa figura mitológica com oclinhos e uma máquina de datilografar.

Há uma parte complicada nisso que é, quanto mais você se expor, mais você também pode afastar outras pessoas. Pense na sua imagem ao fazer isso, não é preciso construir um personagem ao seu redor, mas saiba filtrar. Há coisas que vale à pena dizer, outras não.

 

3) Uma imagem vale mais que mil palavras.

Por mais torto que isso possa parecer, letras não vendem livros. Imagens fazem isso bem melhor. Imagens com trechos? Perfeito. Só fica atento, não é legal trechos imensos numa imagem, além da fonte ter que ser pequena para caber, fica cansativo. Você tem 2 segundos (na verdade, um pouco menos) para chamar a atenção de alguém no Facebook. Você acha que um texto grande vai funcionar? São só 2 segundos!

Que os jogos comecem!

Uma dica dentro da dica: se não sabe como escolher trechos e já tem alguns poucos leitores, peça para eles te dizerem as frases que mais os tocaram. Dá pra descobrir frases ótimas que a gente nem tinha pensado desse jeito.

4) Crie uma identidade visual.

Não precisa, necessariamente, ser algo com o PhotoShop ou qualquer ferramenta de edição. Às vezes o mesmo filtro do Instagram basta. É só ter consistência. Uma das melhores divulgadoras no Wattpad Brasil usa de memes para divulgar, todos eles com um tema: comunismo. O tema, é óbvio, é abordado na história e fica fácil lembrar de Dias Vermelhos, da Érika Batista, só de bater os olhos em qualquer outro post sobre o assunto.

Tenha um padrão no texto escrito, a mensagem não precisa ser grande, apenas eficaz.

Essa história de ter um padrão não é à toa. Ter um padrão faz com que as pessoas passem a enxergar sua história em outras coisas. Elas podem não te ler, mas estão constantemente lembrando do que você escreve por uma combinação de elementos visuais.

5) Participe de concursos.


Você pode até não ganhar nada, mas pensa comigo: se a pessoa tem que avaliar teu livro, ela tem que ler (ou assim a gente espera), mesmo que você não ganhe o concurso, há um leitor ali. Sabe o que isso significa? Visualizações subindo, babe.


6) Resenhas!

É complicado entregar nosso trabalho a alguém cuja função vai ser avaliá-lo. Eu mesma sou paranoica com muita coisa nas minhas histórias, mas saber que a gente também pode errar é necessário. Ter quem leia e te aponte prós e contras é ótimo. Você precisa de feedback e ele nem sempre vai ser 100% positivo.

Às vezes vão aparecer babacas no caminho, o importante é respirar fundo, lembrar que homicídio ainda é crime previsto no código penal, esquecer as técnicas de esconder corpos e seguir em frente.

7) Não divulguem em excesso.

Principalmente quando se lida com grupos e até no próprio feed. Esses dias vi uma regrinha de 80/20. 80% do tempo interagindo, 20% divulgando.

Ninguém está em uma rede social para comprar algo e, na maior parte dos grupos de escritores, você não é a estrela do show. Ninguém tá sozinho nesse palco e todo mundo quer seus 5 minutos de aplauso, então interaja, ajude, converse. Deixe ups nas publicações dos amiguinhos. FAÇA AMIGOS, ou pelo menos pequenas parcerias. A ajuda mútua é vital nesse negócio. Pare de enxergar o colega como concorrência e passe a enxergá-lo como parceiro. Vocês dois podem subir as leituras juntos, se trabalharem para isso.

E não ache que todo mundo é obrigado a conhecer teu trabalho. Eu participo de grupos com milhares de pessoas, se a décima parte deles me lesse, eu já teria 100 vezes mais leituras que agora.

Em redes como Facebook, Instagram e outras, tá todo mundo tentando. Uns já estão há mais tempo nessa estrada, já conhecem os macetes, os atalhos. Você vai aprender a trilhar o seu caminho também. Respire fundo e tente não sufocar ninguém.

8) Tenha paciência.

É difícil. Difícil entender que seu bebê, o projeto da sua vida, não vai fazer sucesso da noite pro dia. Seus números não vão subir, por via de regra, vertiginosamente por causa do esforço que você colocou nele. Eu demorei mais de 6 meses para alcançar 4 mil visualizações. Eu divulgo todo dia. Sei que tem gente que no mesmo tempo já chegou a 10 mil. Sei que tem quem já alcançou muito mais.

Isso faz a minha história melhor ou pior que a do coleguinha? NÃO. Histórias diferentes vão obter retornos diferentes. Há histórias mais comerciais e menos comerciais e isso não tira a qualidade de nenhuma delas.

Observação: Não culpe o sucesso dos outros. Às vezes seu livro não é comercial, às vezes você precisa aprender a se comunicar com o seu público. Estamos todos aprendendo, sempre.

9) Divirta-se no meio do caminho

Sabe aquele dia que você acorda sem querer mais nada? Quando você abre qualquer site para montar uma imagem legal e só consegue pensar nos últimos 5 posts sem retorno e só pensa em jogar tudo para o alto e deixar para lá? Então… Divulgar é estressante. É exaustivo. Essa vontade de nem tentar mais bate vez por outra e você precisa aprender a lidar com ela.

Por experiência própria, todo dia eu tento pensar em algo novo e tem dia que eu não consigo. Quem conhece minhas montagens percebe que passo horas fazendo-as. Contudo, às vezes falta tempo, falta inspiração e falta até vontade. O essencial é amar sua história e se divertir a cada divulgação (até as flopadas). Ou então você vai largar isso em dois tempos.

10) Seja legal.

Por legal, não digo extrovertido. Digo educado. Você não faz mais que sua obrigação, mas ter gentileza é preciso (e deixo essa dica para caso alguém tenha se esquecido disso).

Bônus: Aprenda a identificar seu público-alvo.

Quem são seus potenciais leitores? Para quem você escreve? Percebeu algo em comum nas pessoas que te leem? Quanto mais você descobre sobre o seu leitor, mais você sabe sobre como chamar a atenção dele. Sim, isso requer esforço, dedicação, observação e muito tempo, mas é válido e faz parte do processo de divulgação. Sendo até o ponto chave que separa uma boa divulgação de algo inefetivo.

Tem mais alguma dica a acrescentar? Fala pra gente!

Deixe sua opinião aqui :)

Sem mais artigos