Ana Rosa, uma das colaboradoras da Record, negra, 23 anos, foi vítima de comentários racistas, ontem, ao publicar um vídeo sobre um dos livros da editora, no Instagram da empresa.

Foi chamada de “macaca, neguinha feia” e por aí vai. A moça chorou muito. Mas não abaixou a cabeça, fez a denúncia em redes sociais e vai à delegacia:

– Doeu e ainda dói, mas não foi a primeira vez e nem será a última que serei marcada pelo racismo. Mas isso não quer dizer que deixarei passar batido. Seguimos forte e seguimos lutando. E se algo do tipo acontecer com você, não se cale! Você tem voz e ela merece ser ouvida! – desabafou.

A Record enviou uma nota de repúdio ao racismo. Como se sabe, preconceito é crime! Confira a nota abaixo:

Uma das colaboradoras do Grupo Editorial Record foi vítima de comentários racistas, ao publicar um vídeo sobre um de nossos livros no Instagram da empresa. O Grupo Editorial Record repudia toda e qualquer agressão racista, homofóbica ou machista e considera inaceitável que isso tenha ocorrido em nosso espaço virtual. Toda vez que isso acontecer vamos buscar identificar os autores e tomar as ações legais cabíveis e incentivamos os nossos leitores a fazerem o mesmo, caso passem por uma situação semelhante. O Grupo Editorial Record é uma editora plural, que preza pela diversidade e pela inclusão de todas as minorias. Ataques deste tipo não serão tolerados nas nossas mídias sociais.


» Siga o Burn Book no Facebook Instagram e no Twitter e receba todas novidades dos livros, filmes e séries! «

via oglobo


Deixe sua opinião aqui :)