Ainda não estamos no Rio, mas estamos acompanhando tudo o que está acontecendo no maior evento literário do Brasil. A Bienal Internacional do Livro começou sua 18ª edição, nesta quinta-feira, dia 31, com centenas de atrações para os mais diversos públicos.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Geek &Quadrinhos

Grande novidade deste ano, o Geek & Quadrinhos foi um verdadeiro sucesso no primeiro dia da Bienal do Livro. Um espaço novo, multiuso criado para receber todo o universo de superpoderes e conflitos fantásticos. Os óculos de realidade virtual foram a atração mais procurada, reunindo uma legião de curiosos, desde crianças a adultos que paravam para viver a experiência de realidade aumentada. A área de 200 m² contou também com jogos de tabuleiros, como RPG.

A Batalha Ilustrada, com Emerson Lopes e Viviane Marchetti, ajudou os participantes a criar dois novos super-heróis – a Mulher Sushi e o Dinossauro Humanoide Alienígena –, que surgiram da imaginação das crianças. Para encerrar as atividades do espaço, o escritor e ilustrador Affonso Solano, um dos maiores nomes do cenário Geek nacional e curador do espaço, comandou um bate-papo sobre o “politicamente correto” com o designer gráfico Carlos Ruas, criador da webcomics “Um sábado qualquer”.


“O bate papo ‘Brincando com Deus’ abrange o que é considerado certo e o que é considerado errado. Até que ponto o humor pode ir e qual o limite do politicamente correto. Carlos Ruas é um especialista em falar sobre religião em suas webcomics, um tema bastante polêmico e, por isso, é importante abrir este debate”, explicou Solano.

Café Literário

No Café Literário, com curadoria de Rodrigo Lacerda, uma conversa mediada pela jornalista Mànya Millen reuniu representantes de três das mais importantes editoras brasileiras da atualidade, cada uma delas com uma trajetória muito particular: Zahar, Companhia das Letras e Editora 34.

Diferentes também são os perfis dos editores que participaram do debate. Cristina Zahar, filha de Jorge Zahar, umas das lendas da indústria do livro no Brasil, que herdou a missão de dar continuidade à obra do pai e já encaminha a transmissão da responsabilidade para a próxima geração.

Luís Schwarcz, fundador da Companhia das Letras, a editora que revolucionou o mercado brasileiro nos anos 1990; e Alberto Martins que depois de colaborar em diversas casas editoriais, ligou-se à Editora 34, participando da sua consolidação como uma das mais respeitadas do país.

Em seguida, ainda no Café Literário, houve uma homenagem ao livreiro Sérgio Machado, presidente do Grupo Editorial Record, que faleceu em 2016. Participaram da mesa, Sônia Machado, irmã de Sérgio e atual presidente do Grupo, e os escritores Lya Luft, Edney Silvestre e Eduardo Spohr. A mediação foi da jornalista Leda Nagle.

Arena #SemFiltro

A Arena #SemFiltro é um espaço que também atrai o público jovem. No primeiro dia, Rafael Vitti, Yasmin Gomlevsky, Charles Peixoto, e João Doederlein declamaram poesias com a mediação da poetisa Viviane Mosé.  Um encontro com diferentes gerações de poetas teve como objetivo mostrar que independentes das inúmeras plataformas usadas antigamente e atualmente, todas possuem a mesma finalidade, expressar sentimentos ou situações do cotidiano. 

 

Gostaram? Fiquem ligados aqui no site que estamos acompanhando tudo de pertinho.


Deixe sua opinião aqui :)

Sem mais artigos