‘O Projeto Rosie’ do autor Graeme Simsion é um lad-lit supergostoso de se ler. E para quem não sabe, lad-lit é um subgênero de chick-lit no qual o narrador sempre será o “mocinho”. Só que Don Tillman não é um mocinho qualquer. Ele é geneticista, tem trinta e nove anos, é solteiro e altamente metódico acerca de sua vida, todas suas atividades são cronometradas e anotadas em agendas e mais agendas, a expressão “deixa a vida me levar” é totalmente desconhecida e se conhecida seria facilmente rechaçada pelo nerd da vez. Além de muito racional, o professor tem uma grande dificuldade em se relacionar com as pessoas, uma das maiores provas é sua solteirice extrema aos quase quarenta anos. Para sair dessa situação ele elabora O projeto Esposa que consiste em um enorme questionário destinado à pretendentes que, supostamente, estão na mesma situação de Don. Tudo ia razoavelmente bem, até que de repente Rosie Jarman se depara com o professor. Bem, os dois não tem nada a ver, mas, como dizem por aí, os opostos se atraem, não é mesmo? Vamos ver… Será que Don terá sorte nessa caçada à esposa perfeita? E Rosie, o que uma suposta garçonete teria em comum com o sistemático e estranho geneticista? 

 

» Siga o Burn Book no Facebook Instagram e no Twitter e receba todas novidades dos livros, filmes e séries! «

(…) Durante toda a minha vida fui criticado pela minha suposta falta de emoção, como se isso fosse um defeito absoluto. As interações com os psiquiatras e psicólogos partem da premissa de que eu deveria estar ”mais em contato” com as minhas emoções. O que eles realmente querem dizer é que eu deveria me levar por elas. Sou perfeitamente capaz de detectar, reconhecer e analisar as emoções. Esta é uma competência útil e que eu gostaria de aperfeiçoar. De vez em quando podemos desfrutar uma emoção, mas precisamos ser vigilantes para que as emoções não nos prejudiquem.

 
‘O Projeto Rosie’ sempre esteve em minha lista de livros a serem lidos pelo simples fato de o mocinho ser parecido ( quase igual) com Sheldon Copper de The Big Bang Theory. Sou apaixonada pelo seriado e personagem, sendo assim, por que não ler? Pois bem, li e supercurti a história, Graeme Simsion conseguiu criar um romance que embora seja clichê e previsível, é engraçado, inteligente e bem construído. Sua narrativa em somatória à escrita apenas tornou a leitura única e singela.
Não posso dizer que o livro em si foi uma surpresa no quesito enredo e elaboração de personagens, como já disse, ele é bem clichê e previsível. Porém, há clichês bons e clichês ruins que não valem a pena. Neste caso ‘O Projeto Rosie’ cumpriu seu papel de maneira leve e muito perspicaz. Não que a escrita seja culta ou algo do tipo, mas estamos falando de um personagem cujo Q.I excede o limite da normalidade, então é claro que teríamos uma abordagem no mínimo astuciosa. 
 
A construção do relacionamento amoroso entre Don e Rosie é permeada por muitas risadas e situações digamos que, constrangedoras para os leitores, por vezes revirei os olhos para várias chatices do protagonista e me perguntei se alguma mulher teria paciência para relevar ou até mesmo aderir à sua vida manias no mínimo curiosas, no entanto, tudo nessa vida precisa de um equilíbrio, não é mesmo? Então, posso dizer que o que sobra no Don falta na Rosie, e só por este motivo fica fácil ter aquela torcida em cima do casal. Claro que nem tudo foi assim tão fácil o autor trouxe para dentro da história algumas problemáticas antes do final feliz. E para descobrir, você terá que ler, óbvio que não entregarei tudo assim de mão beijada rs.  
 
Enfim, mesmo gostando muito do livro em geral, assumo que senti falta de um melhor aproveitamento na reta final da história, tive uma leve impressão de que o autor correu um pouco com o desfecho. Sabe quando gostamos demais de um livro e esperamos aquele epílogo? É, não teve. De qualquer forma, Graeme Simsion deixou mensagens que precisam ser levadas em consideração. Ele mostrou que nem sempre aquilo que queremos é de fato aquilo que precisamos ter. Às vezes nós nos preocupamos com tantos detalhes insignificantes, que deixamos o mais importante de lado e, geralmente, o que é essencial está debaixo dos nossos olhos, por isso, temos que enxergar e não apenas olhar.  
 
E é isso, se você está a fim de rir e ler uma boa uma comédia romântica se jogue na leitura, você não se arrependerá. Logo mais lerei a continuação da duologia, ‘O Efeito Rosie’. Até mais!

 


Resenha | O Projeto Rosie, Graeme Simsion
4.0Pontuação geral
Capa
Enredo
Narrativa
Personagens
Votação do leitor 1 Voto

Deixe sua opinião aqui :)