A Fera 
Autora: Alex Flinn 
Páginas: 320
Editora: Galera Record 
Resenha por: Guilherme Cepeda
Mais Informações: Skoob
 
 
 
 
 

 

“O livro de Alex Flinn é uma adaptação moderna do conto de fadas A Bela e a Fera. Ao invés de castelos e relógios falantes, o cenário é a cidade de Nova York. A arrogância do protagonista Kyle Kingson, um jovem rico e inteligente, faz com que ele seja amaldiçoado pela colega de classe Kendra após humilhá-la na frente de toda a escola. Transformado numa aberração e rejeitado pelos pais, Kyle passará uma temporada exilado no Brooklyn, onde precisará descobrir a beleza em si e só assim, possivelmente, quebrar a maldição.

 

Olá leitores do Burn Book. Hoje estou aqui para fazer a resenha da versão Brasileira do livro “A Fera” da autora Alex Flinn, publicado pela Galera Record aqui no Brasil. Como a versão nacional não sofreu muitas alterações (tirando a capa), tanto na diagramação, na tradução e na adaptação de algumas partes importantes do livro não vi muitas diferenças, e resolvi completar a resenha de Beastly (pra quem acompanha o blog, sabe que eu li em inglês a um tempinho e já tinha postado a resenha anteriormente) portanto as partes referentes a versão Brasileira estão em Negrito, ok?

Sentimentos são como uma canção para a Bela e a Fera . 
 
Sempre fui viciado em filmes da Disney, principalmente em Toy Story, Rei Leão entre outros, e para minha surpresa, descobri que A Bela e a Fera ía ter uma adaptação atual e se transformaria em um livro chamado Beastly . 
Conheci o livro pela Eli do blog Grintmess, que me falou do livro, e fiquei super viciado nele, precisava comprá-lo com urgência, mas o Book Depository demorou um mês para entregar. Fiquei sofrendo na vontade de conhecer a historia de Beastly, mas quando o livro chegou, li em 1 dia e meio, devorei o livro literalmente, e por ser em inglês, 1 dia e meio foi o meu recorde. 
 
Todos vocês devem conhecer a historia da Bela e a Fera (para os que não conhecem, em que mundo vocês viveram quando eram crianças?) Beastly é um “remake” atual, que se passa na cidade do Nova York. 
 
Ao contrario do clássico da Disney, é Kyle ( A Fera ) que narra a historia . Kyle é tudo o que uma garota sonha , loiro, olhos azuis, rico, musculoso, alto e popular. ( O Típico donitão de filme americano, que as garotas se apaixonam mas que quando vão ver, sempre têm um defeito³).Assim como outros, Kyle não se sente bem a menos que humilhe todos aqueles que não são populares e ricos como ele, agindo como um garoto egoísta, arrogante e que não se importa com ninguém. 
 
Até que um dia ele conhece Kendra, uma garota feia, gorda, de cabelos verdes com um ar misterioso. Não é o tipo de garota que chamaria a atenção de Kyle, mas mesmo assim ele resolve humilha-la na frente de toda a escola. Como lição, ela o transforma em uma fera. Pelos por todo o corpo, garras e presas. Uma Fera igual à Fera de A Bela e a Fera mesmo, e para quebrar o feitiço, ele tem que encontrar alguém que o ame como ele realmente é, não importando aparência ou status, e sim o que a pessoa é por dentro.Mas ainda existe um porém,ele também deve amar essa pessoa ou será uma besta para sempre. 
 
"Eu era uma besta.
Me olhei fixamente no espelho. Eu era um animal… não completamente lobo
ou urso ou gorila ou cachorro, mas sim alguma horrível espécie que andava
ereta, que era quase humana, mas não completamente. As presas tinham
crescido na minha boca, meus dedos tinham se transformado em garras e
pelos cresciam por cada poro. Eu, que tinha depreciado pessoas com migalhas
ou mal hálito, era um monstro. "
 
O livro é bem parecido com o filme, tanto que eu conseguia prever os acontecimentos do livro. Existe uma rosa, um espelho, uma bruxa, um feitiço que transforma o “príncipe” em Fera, e quando ele já não vía mais esperanças para quebrar o feitiço, ele conhece Linda Owens, uma menina ruiva e com sardas no rosto. Lindy é uma garota viciada em livros, com problemas familiares por parte do pai, e que acaba conquistando Kyle e se tornando a única possibilidade de quebrar o feitiço.
A única diferença que eu notei da historia real para o livro, é a presença do pai de Kyle, que para recompensa-lo da tudo do bom e do melhor para ele, mas mesmo assim não agrada o suficiente, transformando ele em um garoto mimado.
"Algo que meu pai tinha me ensinado desde cedo, e com freqüência, era a agir como se nada me afetasse. Quando se é especial, como nós, as pessoas devem notá-lo."
 
Eu gostei muito do livro, não conseguia parar de ler Beastly. A Autora Alex Flinn acertou em tudo no livro, na construção da trama, no desenvolvimento e no ambiente transformando Beastly numa adaptação que deu certo.
Os personagens são perfeitos, Kyle e Lindy têm características marcantes, e o romance não se torna uma coisa cansativa pelo contexto da historia, e sim uma historia de superação, e transformação de Kyle um adolescente egoísta e mimado, em um menino que compreende os sentimentos de Lyndy, e aprende a amar as pessoas do jeito que elas são.
 
Outro ponto interessante, é que Alex Flinn introduziu na historia clássicos da literatura, como Orgulho e Preconceito , O fantasma da Ópera , O retrato de Dorian Gray, Os miseráveis, O corcunda de Notre Dame , Jane Eyre e uma série de outros clássicos são citados durante o livro. Ela também cita versos de William Shakespeare, que de certa forma tem sua importancia no decorrer da historia.
 
Uma das características marcantes do livro, é uma sala de bate-papo, onde Kyle se encontra com outras pessoas que vivem histórias de conto de fadas ( entre os capítulos temos uma espécie de anexos com os conversar de Kyle com estes personagens) que vivem o lado ruim da historia. Temos uma Rã ( ou seria um sapo?) que procura um beijo de amor de uma princesa para voltar a ser príncipe e uma menina que me lembrou muito a Ariel, de A Pequena Sereia, que dá sua voz para a Bruxa Úrsula, para ficar com o Príncipe Encantado.
Sapo: é smpre assm q comça”.
 
Essa parte era um pouco confusa na versão americana, mas foi perfeitamente adaptada e traduzida pela Galera Record na versão Brasileira. O sapo usa muitas abreviações, e em inglês pelo menos pra mim, foi um pouco difícil decifrar todas as gírias e abreviações que ele usava no bate papo.
 
O livro é divido em seis partes (O príncipe e a bruxa, A fera, O Castelo, O intruso no jardim, Lapsos de tempo, outono e inverno e Felizes para sempre) deixando a leitura ainda mais leve. A Narrativa é super bem trabalhada, fugindo um pouco do padrão das narrativas femininas. Beastly tem como protagonista Kyle, um dos poucos personagens principais masculinos que eu já tive a oportunidade de ler, sem contar Harry Potter, Eragon, Artemis Fowl e Percy Jackson. A leitura é super rápida e gostosa, tanto que quando eu fui ver já tinha acabado o livro sem perceber. Ç_Ç 
 
O final é maravilhoso, não me deixou nem um pouco insatisfeito com o desfecho da historia, mesmo que algumas pessoas digam isso, pra mim Beastly tem o final perfeito, pena que não tem continuação. 
 
“Durante o resto das nossas vidas, iremos à escola, ao trabalho, tomaremos o café da manhã e assistiremos tevê, mas vamos saber que existe mágica no mundo, mesmo que a gente não consiga enxergar”.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
A fera (Beastly) estreou nos cinemas brasileiros em agosto, com Vanessa Hudgens, Alex Pettyfer e Mary-Kate Olsen nos papéis principais.
 
O filme estreou nos Estados Unidos em 6 de março levando imediatamente o romance para a lista de mais vendidos do New York, na qual permaneceu por 18 semanas consecutivas.
 
Vanessa Hudgens recebeu o prêmio Estrela do Amanhã na Convenção de Cinema de Los Angeles por sua atuação no filme.” 
 
Para quem quiser conferir o teaser do filme, é só clicar aqui. A adaptação do filme não foi fiel ao livro, mudaram muitos elementos essenciais e marcantes da história, o que na minha opinião acabou com a magia do livro, portanto fica a dica: Leia o livro e veja o filme depois, ok?
 
– Outras Capas
 
 
– Comparação entre A Bela e a Fera e Beastly 
 
 
E pra terminar, uma imagem marcante do clássico da Disney, que encantou gerações e fez parte da minha infância. 
 

 

Deixe sua opinião aqui :)