Resenha | Anna e o Homem das Andorinhas, Gavriel Savit 3
ResenhasLivros

Resenha | Anna e o Homem das Andorinhas, Gavriel Savit

Ambientado na Polônia em meio à Segunda Guerra Mundial, Gavriel Savit nos traz um livro leve e bem poético. Assumo que iniciei minha leitura esperando algo mais doído e profundo, entretanto, a mensagem que o autor quis passar em muito se difere do cenário pútrido e entristecedor que a Guerra deixou eternizado em nossos corações. Senti que o autor quis levantar e nos ensinar que mesmo em um mundo permeado pelo caos, há sim a possibilidade de encontrar pessoas ( seres ) boas (bons ) e dispostas (os) a nos amar e proteger em troca de nada. Simples assim.

A história é narrada em terceira pessoa, porém voltada diretamente às inclinações de Anna, uma garotinha judia de sete anos que se vê perdida no mundo após o repentino embora iminente desaparecimento de seu pai. Ela pouco entende e sabe que seu país está em Guerra, tampouco conhece as inúmeras diferenças entre os alemães e judeus. Sendo assim, em seu inocente modo de pensar, as coisas logo mais voltariam ao normal. Os dias passam, e Anna está com fome, frio e ansiosa pela volta do pai, no entanto, em seu lugar, ela conhece O homem das Andorinhas, e de alguma forma a protagonista se sente protegida e disposta a acreditar nas sábias palavras proferidas por este homem misterioso de aparência estranha, e a partir daí o enredo ganha capítulos envolventes e tocantes.
Como Anna conseguirá sobreviver a um mundo em perigo? E o Homem das Andorinhas, ela poderá confiar no desconhecido?

“Os homens que tentam entender o mundo sem a ajuda das crianças são como homens que tentam fazer pão sem a ajuda do fermento.”

Assim que finalizei minha leitura, demorei cerca de uns trinta minutos para degustar tudo que li, sobretudo o final um tanto diferente e questionador. Agora, com todos os meus pensamentos no lugar, posso dizer que “Anna e o Homem das Andorinhas” cumpriu seu papel. Ele conseguiu me envolver e até surpreender. Desde o início me vi concentrada e curiosa no que se refere ao seu desenrolar… assumo que esperava um pouco mais a respeito da Guerra e seus adjacentes, senti que muitos relatos foram explanados superficialmente, um pano de fundo como este não deve ser meramente relatado, porém, creio que o diferencial da história esteja justamente aí, Gavriel não queria trazer a conhecida trama permeada por tragédias e mortes coletivas, ele queria mostrar aos leitores algo suave e um tanto mágico. Mostrou que mesmo em meio à Guerra, é possível acreditar, sonhar e amadurecer.

A construção e o crescimento de seus persongens acontece de forma ritmada e levemente detalhada, aos poucos, vamos conhecendo a personalidade de cada um e todos seus medos enrustidos. Uma grande dúvida acerca dos protagonistas gira em torno da real identidade do Homem das Andorinhas, o “homem” que muito sabe sobre a vida e nada compartilha sobre si mesmo. Confesso que viajava a todo momento entre a realidade e a fantasia, afinal, quem ele era? Ele era real?

“Não, sei o que o senhor não vai me contar nada, e talvez seja melhor assim, talvez seja isto que faça a coisa toda funcionar, este fingimento, mas isso não me impede de querer saber. Tenho que ser honesto, não faço a menor ideia de quem o senhor seja debaixo disso, de quem seja a criaturazinha, puxando todos os cordões desse boneco gigante vestido de armadura. A única coisa que sei é que seu iídiche é bom demais.”

E para encerrar, leia este livro livre de qualquer pretensão, não espere um enredo inesquecível ou avassalador. Gavriel Savit tem uma escrita inteligente que nos chama para a vã reflexão diária. Leia e anote os poéticos preceitos sobre a vida deixados pelo Homem das Andorinhas. Eles irão tocar o seu coração.

*Encontrou algum erro na matéria? Avise-nos

Ouça o último episódio do BurnCast:

Você pode ouvir BurnCast no Burn Book, no Spotify, no Castbox, no Google Podcasts, no Apple Podcasts, no Deezer, na Amazon Music ou no aplicativo de sua preferência. Assine ou siga o BurnCast, para ser avisado sempre que tiver novo episódio no ar.


Resenha | Anna e o Homem das Andorinhas, Gavriel Savit 4







Guilherme Cepeda
Guilherme Cepeda é podcaster, blogueiro e escritor. Pós-Graduado em Marketing e apaixonado por tecnologia e literatura desde sempre, em 2010 resolveu criar um blog para compartilhar sua opinião com os amigos. Jamais imaginaria que o projeto chegaria tão longe, tornando-se hoje o Burn Book, um dos maiores portais de literatura jovem do Brasil. Escreveu em co-autoria os livros da série Minha Vida, e em seu trabalho mais recente, já pela Editora Burn Books, publicou o conto “Estarei em Casa para o Natal” na antologia que leva o mesmo nome, também foi publicado em outras antologias pelas Editoras Wish, Villa-Lobos e Rouxinol. Guilherme é co-criador do Podcast “BurnCast”, o qual é responsável pela edição, pós-produção e roteiro há mais de um ano.

Você pode gostar de:

Mais Posts em:Resenhas

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.