Resenha: Convergente, de Veronica Roth 3
Resenhas

Resenha: Convergente, de Veronica Roth

Veronica Roth sua, sua … assassina!!! Sério, se torcer convergente vai pingar sangue.

Sempre achei que a Suzanne Collins não tinha dó dos personagens e saia riscando de uma listinha quem ia morrer ou não, mas a Veronica se superou. Convergente (com essa tradução estranha) é o terceiro e último volume da trilogia Divergente, distopia que estourou no Brasil e arrastou uma legião de fãs desde Jogos Vorazes.

“… Todo mundo tem algum mal dentro deles, e o primeiro passo para amar alguém é reconhecer o mesmo mal em nós mesmos, assim seremos capazes de perdoá-lo.”

Uma escolha pode te transformar: Os personagens são bem desenvolvidos, porém a autora quis elevar Tris e Tobias a outro nível nesse livro e acabou não dando muito certo. Além dos personagens, muita coisa mudou, inclusive nas facções e no mundo de Divergente.

Uma escolha pode te destruir: Sim, esse livro vai te destruir. Por mais que eu estivesse preparado devido aos spoilers, as cenas de ação e acontecimentos desse livro me surpreenderam e muito. 

A narrativa da autora ajuda um pouco, ela optou por alternar os pontos de vista entre os protagonistas, e com isso temos mais movimento e interação com o leitor durante o desenvolvimento do livro.

Essa questão dos pontos de vista pode contar como spoiler para algum leitor desavisado e revelar lados imaturos e totalmente confusos de alguns personagens, como por exemplo, quando o personagem Tobias (4) está narrando, parece um adolescente de quinze anos que não sabe o que quer da vida. Já Tris se mostrou uma personagem nos dois primeiros livros, e em Convergente mudou totalmente (ao meu ver negativamente).

Uma escolha vai te definir: Como definir convergente em uma palavra? Essa é simples, o livro é bom, mas ao mesmo tempo confuso. Se por um lado foi bom saber mais sobre o mundo de Divergente, por outro lado a autora deixou a peteca cair e fez uma mistura de coisas que acabaram resultando num livro confuso e mal trabalhado.

Fazia tempo que eu não via uma trilogia desse patamar acabar desse jeito.  Recomendo para todos os leitores que acompanham a trilogia desde o começo e também para aqueles que gostam de um livro diferente, principalmente para os leitores que adoram distopias.

E um última coisa: Veronica Roth, favor não escrever nenhum SPIN-OFFS tentando justificar o final da série. Grato!

*Encontrou algum erro na matéria? Avise-nos

Ouça o último episódio do BurnCast:

Você pode ouvir BurnCast no Burn Book, no Spotify, no Castbox, no Google Podcasts, no Apple Podcasts, no Deezer, na Amazon Music ou no aplicativo de sua preferência. Assine ou siga o BurnCast, para ser avisado sempre que tiver novo episódio no ar.


Resenha: Convergente, de Veronica Roth 4


Guilherme Cepeda
Guilherme Cepeda é podcaster, blogueiro e escritor. Pós-Graduado em Marketing e apaixonado por tecnologia e literatura desde sempre, em 2010 resolveu criar um blog para compartilhar sua opinião com os amigos. Jamais imaginaria que o projeto chegaria tão longe, tornando-se hoje o Burn Book, um dos maiores portais de literatura jovem do Brasil. Escreveu em co-autoria os livros da série Minha Vida, e em seu trabalho mais recente, já pela Editora Burn Books, publicou o conto “Estarei em Casa para o Natal” na antologia que leva o mesmo nome, também foi publicado em outras antologias pelas Editoras Wish, Villa-Lobos e Rouxinol. Guilherme é co-criador do Podcast “BurnCast”, o qual é responsável pela edição, pós-produção e roteiro há mais de um ano.

Você pode gostar de:

Mais Posts em:Resenhas

10 Comments

  1. Quanta revolta hein, eu ainda estou lendo mas já sei que morre muita gente, oh vida

    bjos

    1. Oi Taty 🙂

      É que ela acabou com o livro mesmo, motivo da revolta kkkk

      Obrigado pelo comentário

      Bjs

      1. Sacanagem acabar com a estoria no último livro né, a serie estava tão boa hehe

        bjos

  2. Eu já estou preparada por causa do master spoiler que deram (e até perdi um pouco a vontade de ler por causa disso – mas ainda quero ler em breve), acho que a Veronica foi MUITO corajosa em fazer o que ela fez.

    Acho que a Tris mudou bastante ao longo da série. Em “Insurgente” eu já percebi uma insegurança bem maior que no primeiro livro….

    Também sinto que vou ficar inconformada com “Convergente” hahaha
    Beijos,

    Déia!

    Own mine

  3. Aderei a serie, só o ultimo livro que eu não goestei quando ela morreu!!

  4. Estou com muita vontade de ler ele, mas confesso que sou muito apegada aos personagens e depois que soube de vários spoilers sobre o livro meio que desanimei um pouco. Vou ler mesmo assim, só espero que a morte dela tenha valido a pena.

  5. Oi adorei
    sua resenha…mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei… se
    trata de um livro arrebatador…ele coloca em cheque os maiores dogmas
    religiosos de todos os tempos…..e ainda inverte de forma brutal as teorias
    cientificas usando dilemas fantásticos; Além de
    revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história…..acesse o link da livraria
    cultura e digite reverso…a capa do livro é linda ela traz o universo de
    fundo..abraços.

  6. Eu gostei do livro, mas foi o menos bom da trilogia e pra que o filme em duas partes? Clarooo que achei uma morte desnecessária e achei que quem merecia não morreu. A autora viajou em algumas partes… achei o Tobias infantil tb… ah, sei lá, eu já tava preparada qdo iniciei a leitura, por isso não me decepcionei.

  7. Eu gostei do livro, mas foi o menos bom da trilogia e pra que o filme em duas partes? Clarooo que achei uma morte desnecessária e achei que quem merecia não morreu. A autora viajou em algumas partes… achei o Tobias infantil tb… ah, sei lá, eu já tava preparada qdo iniciei a leitura, por isso não me decepcionei.

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.