Resenha: Convergente, de Veronica Roth 16

Resenha: Convergente, de Veronica Roth


Veronica Roth sua, sua … assassina!!! Sério, se torcer convergente vai pingar sangue.

Sempre achei que a Suzanne Collins não tinha dó dos personagens e saia riscando de uma listinha quem ia morrer ou não, mas a Veronica se superou. Convergente (com essa tradução estranha) é o terceiro e último volume da trilogia Divergente, distopia que estourou no Brasil e arrastou uma legião de fãs desde Jogos Vorazes.



“… Todo mundo tem algum mal dentro deles, e o primeiro passo para amar alguém é reconhecer o mesmo mal em nós mesmos, assim seremos capazes de perdoá-lo.”

Uma escolha pode te transformar: Os personagens são bem desenvolvidos, porém a autora quis elevar Tris e Tobias a outro nível nesse livro e acabou não dando muito certo. Além dos personagens, muita coisa mudou, inclusive nas facções e no mundo de Divergente.

Uma escolha pode te destruir: Sim, esse livro vai te destruir. Por mais que eu estivesse preparado devido aos spoilers, as cenas de ação e acontecimentos desse livro me surpreenderam e muito. 

A narrativa da autora ajuda um pouco, ela optou por alternar os pontos de vista entre os protagonistas, e com isso temos mais movimento e interação com o leitor durante o desenvolvimento do livro.

Essa questão dos pontos de vista pode contar como spoiler para algum leitor desavisado e revelar lados imaturos e totalmente confusos de alguns personagens, como por exemplo, quando o personagem Tobias (4) está narrando, parece um adolescente de quinze anos que não sabe o que quer da vida. Já Tris se mostrou uma personagem nos dois primeiros livros, e em Convergente mudou totalmente (ao meu ver negativamente).

Uma escolha vai te definir: Como definir convergente em uma palavra? Essa é simples, o livro é bom, mas ao mesmo tempo confuso. Se por um lado foi bom saber mais sobre o mundo de Divergente, por outro lado a autora deixou a peteca cair e fez uma mistura de coisas que acabaram resultando num livro confuso e mal trabalhado.

Fazia tempo que eu não via uma trilogia desse patamar acabar desse jeito.  Recomendo para todos os leitores que acompanham a trilogia desde o começo e também para aqueles que gostam de um livro diferente, principalmente para os leitores que adoram distopias.

E um última coisa: Veronica Roth, favor não escrever nenhum SPIN-OFFS tentando justificar o final da série. Grato!


Resenha: Convergente, de Veronica Roth 17

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Leia Mais
Resenha: Convergente, de Veronica Roth 27
Resultado | Promo: De Volta a Magia