Aceitação. Se pudesse definir esse livro “Extraordinário” em uma palavra, essa seria a ideia central do livro. August é um personagem tocante e tenho certeza que essa história baseada em fatos reais emocionará muitos leitores.

Sei que não sou um garoto de dez anos comum. Quer dizer, é claro que faço coisas comuns. Tomo sorvete. Ando de bicicleta. Jogo bola. Tenho um Xbox. Essas coisas me fazem ser comum. Por dentro. Mas sei que as crianças comuns não fazem outras crianças comuns saírem correndo e gritando do parquinho. Sei que os outros não ficam encarando as crianças comuns aonde quer que elas vão. Se eu encontrasse uma lâmpada mágica e pudesse fazer um desejo, pediria para ter um rosto comum, em que ninguém nunca prestasse atenção.

Extraordinário é sobre um garoto que nasceu com “pequenas anomalias” que deformaram parte de seu rosto e tornou o pequeno August um membro diferenciado da sociedade. Desde criança, ele se sentia deslocado em todos os lugares que passava, era como se ele fosse um norte de uma bússola e as pessoas se sentiam atraídas a olhar para ele.

August é um personagem cativante, e sua visão do mundo é inspiradora. R.J. Palacio me fez refletir sobre fatos do cotidiano e relaciona-los com a vida de August. Pensar que as coisas mais simples causam grandes discussões que não leva a nada. A vida é para ser vivida intensamente, não importa a sua origem, cor de pele, condição física, religião e outros fatores que infelizmente levam as pessoas a terem algum tipo de preconceito com os outros.

Pediria para poder andar na rua sem que as pessoas me vissem e depois fingissem olhar para o outro lado. Sabe o que eu acho? A única razão de eu não ser comum é que ninguém além de mim me enxerga dessa forma.

A autora deu uma verdadeira lição de moral nos leitores, não é atoa que o livro é um sucesso mundial e criou uma corrente anti-bullyng. A narrativa é alternada entre vários personagens do livro que estejam ligados direta ou indiretamente a August e seu “mundo”. Analisando o personagem principal do livro, penso que August queria ser apenas mais um na multidão, pois ao contrario das pessoas que querem se destacar a todo o momento, o maior desejo de August era passar despercebido e viver uma vida normal ao lado de seus familiares e amigos. R.J. Palacio tratou de questões muito delicadas nesse livro, e transformou extraordinário em um livro para todas as idades. 

Dependendo do seu momento de vida, o livro vai te trazer uma mensagem diferente. Confesso que me emocionei em três partes chaves do livro que significaram muito para mim, não vou comentar aqui para não estragar a montanha russa de emoções proporcionada por essa história, mas aconselho que vocês preparem os lencinhos antes de começar a história de August.

Outro ponto interessante de Extraordinário é o professor de August. Durante as suas aulas, ele escolhe um preceito e pede para os alunos discutirem e criarem os seus próprios preceitos para seguirem no mês. Comecei a seguir essa tradição e sigo alguns preceitos desde que tive a oportunidade de ler o livro. 

Esse preceito significa que deveríamos ser lembrados pelas coisas que fazemos. Elas importam mais do que tudo. Mais do que aquilo que dizemos ou do que nossa aparência. As coisas que fazemos sobrevivem a nós. São como monumentos que as pessoas erguem em honra dos heróis depois que eles morrem. Como as pirâmides que os egípcios construíram para homenagear os faraós. Só que, em vez de pedra, são feitas das lembranças que as pessoas têm de você. 

A arte gráfica do livro está perfeita. Acredito que a Editora Intrínseca optou por trocar a capa de Extraordinário pela semelhança da capa original de “Wonder” com o livro “A Culpa é das Estrelas”. Não sei se alguém já notou isso, mas por diversas vezes cheguei a confundir a lombada das versões americanas nas livrarias. A capa vermelha não perdeu o charme, deu apenas mais um tom para a história.

Você é lindo, não importa o que digam.
Palavras não podem derruba-lo
Você é lindo de todas as formas
Sim, palavras não podem derruba-lo.
– Christina Aguilera, “Beautiful”

O que eu mais gostei no livro foi à personificação e os vícios de August. A autora inseriu vários elementos da cultura pop e incluiu uma playlist com músicas para acompanhar Extraordinário no final do livro. O ponto alto da história são as várias citações e momentos chaves relacionados à Star Wars, um dos vícios de August. Preciso dizer que quero mais?

Recomendo o livro para todos os fãs de uma história inspiradora, e para todas as idades. A obra de R.J. Palacio não é apenas um livro, é um presente, que se me permitem dizer Extraordinário.

Confira o Book trailer do livro:

Deixe sua opinião aqui :)