Resenha: Extras, de Scott Westerfeld. 8
Resenhas

Resenha: Extras, de Scott Westerfeld.

Resenha: Extras, de Scott Westerfeld. 9
 
 
 
 
 
 

Autor: Scott Westerfeld
Ano: 2012
Série: Feios
Páginas: 416
Resenha por: Guilherme Cepeda

 

 

 

A Era da Perfeição ficou no passado. A libertação promovida graças aos esforços de Tally Youngblood deu fim a uma cultura onde a beleza e as modificações cerebrais, que transformavam todos em avoados, eram a base do sistema. Nesse novo mundo onde Aya Fuse — não apenas uma Feia de 15 anos, mas uma Extra — tenta sobreviver, existe uma coisa muito mais importante e poderosa do que a beleza: a fama.
"Às vezes a sabedoria da multidão era apenas uma barulheira."
 

Fama. Desde os tempos primórdios, o ser humano tem a necessidade de se destacar, mostrar que não é apenas mais um individuo na multidão, que pode e quer se destacar de alguma forma dos outros. Originalmente, Fama, vem do verbo phánai, “dizer, espalhar pela palavra”, e a palavra também tem suas referencias mitológicas, que se encaixam mais ainda no contexto do livro, levando em conta que Fama era uma deusa romana que vivia num palácio de bronze com dispositivos que capturavam tudo. Qualquer ruído ou manifestação, por mais baixo que fosse, chegava ao palácio da Deusa. É nessa linha de pensamento, que começo a resenha de Extras, do autor Scott Westerfeld.

A história se passa em uma cidade asiática onde a fama tornou-se o bem mais valioso. Quanto mais famoso você é, mais vantagens e bens valiosos você tem. Westerfeld usou isso como uma apologia à sociedade americana, a qual nos espelhamos e recebemos toneladas de conteúdos diariamente.
 
Em Extras, somos apresentados a Aya, uma garota de 15 anos que ocupa a 451.611º posição, na tabela que mede a popularidade das pessoas, ela tende a fazer tudo para se destacar para ser notada, e realizar o sonho da maioria das pessoas de sua cidade, ser famosa.
 
Para alcançar a fama, Aya se envolve com as “As ardilosas”, um grupo de meninas relativamente famoso devido tanto as seus feitos inusitados, quanto ao anonimato de suas integrantes. Aya não perde a oportunidade e publica uma matéria sobre o grupo, que acaba atraindo a atenção de todos, e coloca em risco sua própria vida devido a uma descoberta que pode afetar drasticamente a vida no planeta.
 
Assim como os outros livros da série Feios, extras tem um ritmo envolvente e Scott Westerfeld prepara uma história cheia de ação, romance, aventura, traição, reviravoltas e surpresas que incluem o reaparecimento de alguns personagens dos livros anteriores (não vou dizer quais para não acabar com a graça do livro neh :)). Os personagens secundários são muito bem desenvolvidos, e acabam se interligando uma hora ou outra na história, ajudando a transformar a narrativa em algo prazeroso de ler, mas ao mesmo tempo com um toque de criticas e mensagens relativas à sociedade atual.
 
A ideia de uma economia baseada em popularidade parece coisa de um futuro distante, mas não está tão longe dos dias atuais. Podemos comparar o conceito criado por Scott Westerfeld com o mundo cibernético a qual estamos conectados. Nos dias de hoje, é raro encontrar uma pessoa que não tenha uma conta no twitter, um blog ou até mesmo um “vlog” no youtube, todas essas ferramentas são englobadas no conceito de “rede social” para interagir com os outros usuários, mas ao mesmo tempo rola uma disputa pra ver quem tem o maior número de seguidores ou é mencionado por um ídolo/alguém mais famoso que você.
 
Extras é um livro que proporciona boas horas de entretenimento aos leitores, se você leu os outros livros da série feios, não pode deixar de ler Extras, e se você não leu? O que você está esperando? Corra para a livraria mais próxima e seja bem vindo ao brilhante mundo criado por Scott Westerfeld. 

"Tão emocionante quanto os livros anteriores, é uma paródia brilhante sobre a obssessão do mundo moderno pela fama." New York Times
 
Resenha: Extras, de Scott Westerfeld. 10
 
Confira o primeiro capítulo de Extras aqui

 
Na sequencia, a capa da edição especial UK, e a capa americana de "Extras".
 
Resenha: Extras, de Scott Westerfeld. 11Resenha: Extras, de Scott Westerfeld. 12

 

*Encontrou algum erro na matéria? Avise-nos

Ouça o último episódio do BurnCast:

Você pode ouvir BurnCast no Burn Book, no Spotify, no Castbox, no Google Podcasts, no Apple Podcasts, no Deezer, na Amazon Music ou no aplicativo de sua preferência. Assine ou siga o BurnCast, para ser avisado sempre que tiver novo episódio no ar.


Resenha: Extras, de Scott Westerfeld. 13


Guilherme Cepeda
Guilherme Cepeda é podcaster, blogueiro e escritor. Pós-Graduado em Marketing e apaixonado por tecnologia e literatura desde sempre, em 2010 resolveu criar um blog para compartilhar sua opinião com os amigos. Jamais imaginaria que o projeto chegaria tão longe, tornando-se hoje o Burn Book, um dos maiores portais de literatura jovem do Brasil. Escreveu em co-autoria os livros da série Minha Vida, e em seu trabalho mais recente, já pela Editora Burn Books, publicou o conto “Estarei em Casa para o Natal” na antologia que leva o mesmo nome, também foi publicado em outras antologias pelas Editoras Wish, Villa-Lobos e Rouxinol. Guilherme é co-criador do Podcast “BurnCast”, o qual é responsável pela edição, pós-produção e roteiro há mais de um ano.

Você pode gostar de:

Mais Posts em:Resenhas

7 Comments

  1. PRECISO LER, TIPO NOW. Mas cadê o dinheiro p comprar? HAHA
    Bela resenha xD

    1. Oi Rafa
      Leia, vale super a pena \o\

      Obrigado pelo comentário

      Abraços

      Att. Guilherme

  2. Me empolguei para valer quando li os três primeiros parágrafos da sua resenha. Cheguei a pensar: "caralho, Extras deve ser, então, o melhor da série!" Mas aí veio essa história de popularidade, desse grupo das ardilosas… Não sei, a animação caiu um pouquinho. Ainda tenho altas expectativas para com Extras – e ainda preciso ler Specials -, mas eu espero que o Westerfeld continue no caminho da distopia, e não numa espécie de Gossip Girl do futuro.

    1. Hey Spider o/
      Eu fico entre Perfeitos e Especiais, não sei porque kkkk
      Essa história da popularidade é o ponto crítica do livro, o Westerfeld usa um como base em cada livro da série, e o da popularidade e tudo conectado foi o desse livro, mas nada que afete a história, tanto que em certo ponto do livro isso fica pra segundo plano.

      Obrigado pelo comentário

      Abraços

      Att. Guilherme

  3. jah faz mto tempo que qro ler essa série, parece ser ótima! assim que der vou correndo na livraria comprar o primeiro livro!


    hangover at 16

  4. Um tema um tanto serio para se por em livro com romances, aventuras, ação… Bom, deve ser no mínimo diferente! Quero le-lo pois a resenha nao bastou! =p

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.