Resenha: Gone – Medo, Michael Grant

Michael Grant mostra o quão poderosa é a sua história, no quinto livro da série Gone, uma história que o próprio Stephen King já se mostrou muito fã. Na verdade, não é difícil ver jovens leitores começando o gosto pela leitura com Grant e, já mais velhos, pulando para King, pelo modo devastador que ambos contam suas histórias. Eles realmente sabem como tirar o melhor dos seus personagens.

Em Medo, as coisas estão mudando. No LGAR não existe tranquilidade e todos já estão acostumados a coisas estranhas, mas tudo pode piorar, quando uma força começa a distorcer as crianças, e uma estranha presença ameaça jogar Praia Perdida na mais pura escuridão. Será que Caine, Sam, Albert e Edilio conseguem manter a paz num mundo onde não existe nada, a não ser trevas? 


O livro é facilmente devorável. Grant é um dos melhores autores young adult dessa geração. A força de suas palavras só se iguala ao potencial da sua história. Mesmo com personagens poder de atirar raios, erguer objetos, criar ilusões e lutar contra coiotes mutantes, eles são muito reais. Dá para imaginar o LGAR surgindo, caso uma parte do mundo se visse preso nessa situação: não seria bonito, mas é gostoso de se acompanhar.

Só que, com tudo acontecendo naquela cúpula, nós ainda temos que saber o que aconteceu com o mundo lá fora. Tivemos apenas um pequeno vislumbre, e é agora que Grant nos mostra mais do que pedimos no seu penúltimo livro. Ainda falta mais um livro para sabermos como vai acabar essa jornada.

A editora responsável pela publicação no Brasil, a Galera Record, ainda não tem data para publicação dos próximos livros no país, sendo que Light foi lançado em 2013. Quem sabe com as novas sequências Monster e Villain, edições já lançadas em 2017 e 2018, e a novo livro previsto para outubro de 2019, Hero, a editora não se anima em trazer para cá?

4.3

Leia Mais
Datas de lançamento das continuações de “Avatar: O último dominador de ar” e “A Lenda de Korra”são divulgadas