Resenha: Limiar, da autora Jessica Warman

ARTE_limiar.indd

 

 

 

Limiar
Autora: Jessica Warman
Editora: Galera Record
Páginas: 392
Classificação: 4/5  estrelas

 

 

 

 

A escrita de Jessica Warman é intrigante, e por escolher não ler a sinopse de Limiar antes de começar o livro, eu não tinha ideia do que me aguardava entre as páginas desse livro. (tirando o fato que uma garota morreria afogada )

Limiar narra a história de Liz Valchar, uma adolescente mimada que sempre teve tudo e não podia reclamar da vida. Junto com seus cinco melhores amigos, a protagonista resolve comemorar seu aniversário no iate particular da sua família, mas ao acordar, tem uma grande surpresa.

Como já indica a capa do livro, Liz acorda e vê nada mais nada menos que o seu corpo boiando, mas não se recorda como foi parar ali e pior ainda, agora ela se tornou um fantasma.

"No primeiro dia depois que morri, tive que me concentrar muito para me levar a uma lembrança. E, quando estava assistindo a uma delas, ela parecia muito distanciada da minha consciência no presente". (p. 65)

Jessica Warman colocou em Limiar uma espécie de jornada espiritual, e para comprovar este argumento apresento o personagem Alex, um menino que morreu um ano antes em um acidente de carro, e junto com Liz eles vão tentar solucionar o mistério da morte dela e tentar descobrir o que realmente aconteceu naquela noite.

Liz me incomodou (e muito), por ser egocêntrica e em algumas passagens se preocupar mais com o estado da sua roupa e cabelo, do que com o próprio corpo boiando na sua frente. Já Alex era o ponto de equilíbrio da história, aquele personagem que você se identifica e quer saber mais sobre ele.

A autora soube levar bem a história com discussões sobre bullying e suas consequências, também mostrou que mesmo as pessoas mais ‘perdidas’ podem ver um outro lado da vida e acabar mudando seu ponto de vista.

"Desde a minha morte, as pessoas comentam com frequência sobre o que ia querer para elas. Muitas dessas vezes se enganaram. … Tudo o que eu quero é que vivam. Que sigam em frente com a compreensão de que cada momento é precioso, cada dia é uma bênção. Que vejam a vida pelo que ela realmente é: uma série de possibilidades infinitas, não só de grandes sofrimentos, mas também de grandes alegrias". (p. 388)

Limiar é um livro que meche com o psicológico, e ao mesmo tempo que é um livro de entretenimento, faz você pensar em várias questões da vida. Recomendo para os leitores que buscam um livro diferente, principalmente se você gosta de livros que misturam suspense e um pouco de romance adolescente.

Resenha escrita por Guilherme Cepeda – Burn Book ©

Leia Mais
‘O Magico de Oz’ sera adaptado para a TV e mostrara Dorothy na fase adulta