Resenha: O Falso Príncipe, Jennifer A. Nielsen 19

Resenha: O Falso Príncipe, Jennifer A. Nielsen

Um fantasia perfeita para todas as idades

O Falso Príncipe é o primeiro livro da aclamada Trilogia do Reino. A trilogia infanto-juvenil da americana Jennifer A. Nielsen que conseguiu, de uma maneira simples, trazer toda uma atmosfera de aventura e ação e um protagonista viciante de se acompanhar.

Eu fiquei muito feliz em descobrir esse livro. Sabe quando você encontra um livro, que você não sabe se vai ser bom ou não, mas decida dar uma chance mesmo assim e ele se revela uma grande surpresa? Eu sei que você sabe, porque momentos assim te fazem querer mais do que nunca o próximo volume. E eu não consegui parar de ler sobre a jornada de Sage e dos outros dois garotos nas mãos de Conner, que estava em busca de um jovem para se passar pelo príncipe perdido, Jaron, e assumir o trono de Carthya



Os personagens são bem simples e a simplicidade da história, misturada com a narrativa e personalidade agitada e arrogante de Sage, fazem com que Jennifer crie uma ótima fantasia. Adoro quando os autores percebem que não precisam fazer algo gigantesco para nos conquistar. Eles só precisam ser fieis a seus personagens e ao que querem contar e nossa autora acertou em cheio. Ela criou uma fantasia que jovens leitores vão amar e alguns adultos podem querer demais acompanhar.

Na verdade, não me surpreende que um dos roteiristas de Game of Thrones estava envolvido na adaptação um tempo atrás. Não sei como está os direitos da obra, mas adoraria ver Sage e todos os outros na telona, anda mais com aquela reviravolta no final. Finais como esses merecem ser contados nos cinemas.

Resenha: O Falso Príncipe, Jennifer A. Nielsen 20

 

Capa
80
Enredo
85
Narrativa
90
Personagens
80
Nota dos Leitores:1 Vote
76
84

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Leia Mais
Resenha: O Falso Príncipe, Jennifer A. Nielsen 30
Dark: 1° Temporada | Crítica da Série