Resenha: O Jogo da Mentira, de Sara Shepard 3
Resenhas

Resenha: O Jogo da Mentira, de Sara Shepard

O Jogo da Mentira
 
 
 
 
 
Título: O Jogo da Mentira
Autor: Sara Shepard
Nº de páginas: 360
Editora: Rocco
Tradutor: Joana Faro
 
 
 
 
 
 
 
 

Sinopse:

O jogo vai começar. Primeiro volume da nova série da autora de Pretty Little Liars, que ficou mais de 50 semanas no ranking do The New York Times e vendeu mais de cinco milhões de exemplares, O Jogo da mentira acompanha a história de duas gêmeas separadas ao nascer e unidas por um misterioso assassino. Com uma trama ainda mais intrincada e sombria, que tem início quando Emma resolve trocar de lugar com a irmã, a série repete a trajetória de sucesso de PLL, com um enredo repleto de suspense, intrigas e reviravoltas de tirar o fôlego, e uma bem-sucedida adaptação para a TV.

—-

Sara Shepard cria mistérios adolescentes como ninguém, se ela não conseguiu me prender com os livros de Pretty Little Liars, em O Jogo da Mentira não conseguia largar o livro e virava as páginas freneticamente em busca de mais detalhes sobre o mistérios das gêmeas.  

Em O Jogo da Mentira somos colocados no meio do mundo do luxo, casas enormes, carros caríssimos e adolescentes com a vida que todo mundo sempre desejou. No meio de tudo isso, Emma, uma garota simples descobre que tem uma irmã gêmea perdida, o único problema é que: Sutton está morta.

Eu queria chorar. Eu queria gemer. Mas tudo o que eu podia fazer era seguir Emma em um estado mudo de choque e pânico. Era como se fosse um daqueles sonhos terríveis onde eu estava caindo, caindo, caindo e caindo do topo de um prédio bem alto. Eu sempre tentei gritar por alguém pra me segurar, mas ninguém nunca respondeu.

Emma toma o lugar de Sutton e vive o deu “sonho adolescente” e ao mesmo tempo segue as pistas do possível assassinato de sua irmã gêmea e os mistérios que envolvem os seus amigos mais próximos, pois todos são suspeitos.

Emma é uma personagem que se destaca por sua simplicidade e inteligência no decorrer da trama, ela foi jogada num mundo novo e mesmo assim não se perdeu. Já Sutton é um pouco fútil, o tipo de garota que não se importa muito com a vida e só quer saber de curtir. A “fusão” das duas resultou numa combinação interessante, com opiniões opostas e situações que tenho certeza que se a Sutton pudesse iria querer voar no pescoço de Emma.

Sara Shepard desenvolve uma narrativa instigante e deixa o leitor curioso para desvendar o mistério, que não aparece tão cedo, pois ela gosta de escrever (e muito), tanto que “O jogo da mentira” já tem 6 volumes publicados nos Estados Unidos, e se ela seguir a mesma linha de Pretty Little Liars, tem mais livros vindo por ai.

O que chamou minha atenção em “O jogo da Mentira” é que o livro é narrado do ponto de vista de Sutton, a irmã gêmea que está morta. Ela tem uma conexão com Emma e seus comentários são hilários, ela garanta boas risadas durante sua jornada junto a irmã para resolver o mistério de sua morte.

Ao menos agora ela tinha uma imagem clara do que o Jogo das Mentiras era: Garotas Escoteiras para psicopatas.

O ponto alto do livro são os chamados “jogos da mentira”, onde Sutton e companhia pregam peças nas pessoas, e não são brincadeirinhas leves, tanto que suspeitam que um desses jogos resultou na morte de Sutton.

The-Lying-Game-I-O-Jogo-da-Mentira

Garanta o seu exemplar de "O jogo da mentira" pelo link.

Sara Shepard criou um mistério envolvendo vários personagens, o que torna “O jogo da mentira” um livro dinâmico e perfeito para os fãs de livros repleto de acontecimentos que vão te fazer pensar: Mas quem é o assassino(a)? Será que Sutton está viva? Recomendo! 

*Encontrou algum erro na matéria? Avise-nos

Ouça o último episódio do BurnCast:

Você pode ouvir BurnCast no Burn Book, no Spotify, no Castbox, no Google Podcasts, no Apple Podcasts, no Deezer, na Amazon Music ou no aplicativo de sua preferência. Assine ou siga o BurnCast, para ser avisado sempre que tiver novo episódio no ar.


Resenha: O Jogo da Mentira, de Sara Shepard 4


Guilherme Cepeda
Guilherme Cepeda é podcaster, blogueiro e escritor. Pós-Graduado em Marketing e apaixonado por tecnologia e literatura desde sempre, em 2010 resolveu criar um blog para compartilhar sua opinião com os amigos. Jamais imaginaria que o projeto chegaria tão longe, tornando-se hoje o Burn Book, um dos maiores portais de literatura jovem do Brasil. Escreveu em co-autoria os livros da série Minha Vida, e em seu trabalho mais recente, já pela Editora Burn Books, publicou o conto “Estarei em Casa para o Natal” na antologia que leva o mesmo nome, também foi publicado em outras antologias pelas Editoras Wish, Villa-Lobos e Rouxinol. Guilherme é co-criador do Podcast “BurnCast”, o qual é responsável pela edição, pós-produção e roteiro há mais de um ano.

Você pode gostar de:

Mais Posts em:Resenhas

2 Comments

  1. Resenha muito boa, trazando pontos relevantes do livro, familiarizando os leitores com a atrama, despertando o interesse para a leitura.

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.