Oksa Pollock e o Mundo Invisível
Autoras: Anne Plichota e Cendrine Wolf
Editora: Suma de Letras
Páginas: 428
Resenha por: Mari

 

 

 

Hoje vou falar para vocês um pouquinho sobre minhas impressões sobre o livro Oksa Pollock e o Mundo Invisível.

 

Digo falar um pouquinho por que a história é tão incrível, detalhada, e tão bem elaborada que tenho certeza que alguma coisa vai ficar de fora na resenha, contudo, espero que ela seja suficiente para fazer com que vocês entrarem na POLLOCK MANIA que está invadindo as redes sociais.

Quem acompanha a editora SUMA DE LETRAS pelo twitter e facebook, sabe o quanto eles vem divulgando seu novo lançamento: OKSA POLLOCK E O MUNDO INVISÍVEL das francesas ANNE PLICHOTA e CENDRINE WOLF.
O livro promete ser a nova mania entre os jovens e não tenho dúvidas de que será sucesso absoluto, ainda mais se for parar nas telas de cinema.

A história gira em torno de Oksa, uma garota que aos 13 anos começa a perceber que coisas diferentes estão ocorrendo com ela desde que uma marca surgiu em seu corpo. Objetos se movem, fogo aparece, valentões são jogados longe, e tudo isso apenas com a força de seu pensamento ou pequenos gestos.

Oksa fica assustada e perdida quando começa a notar esses poderes. Várias mudanças acabaram de ocorrer em sua vida: ela havia se mudado da França para a Inglaterra muito rapidamente, e isso levantava algumas suspeitas nela.

Quando seus poderes começam a se intensificar, ela resolve procurar a avó, Dragomira, para ter uma conversa, pois, apesar de esquisita, a avó sempre fora boa amiga e conselheira. É quando ela ouve (sem querer) uma conversa de Dragomira com seu pai, uma conversa bem peculiar que gira em torno de mundo mágico, poderes, fugas, perigos, etc, e descobre que eles vieram de Edefia, um outro mundo, bastante mágico e distante, e que todos tinham poderes.

Assustada com todas as novidades, Oksa quer saber mais, mas a família se nega a falar, eles acreditam que é melhor que ela saiba aos poucos sua origem e história. Isso faz com que Oksa passe por algum momento de rebeldia, mas que logo é controlado.

A maior sorte que a garota teve foi que ao sair da França, a família de seu melhor amigo, Gus, se mudou para a Inglaterra também, e os dois estavam na mesma escola e mesma sala. Oksa e Gus têm uma relação linda e intensa de amizade e são bastante confidentes. Gus sabe dos poderes de Oksa e nunca duvida da amiga, mas ambos andam de olho em um certo professor de matemática que parece implicar demais e sem necessidade com Oksa.

Estranhando as atitudes do professor, os dois resolvem investigá-lo, e descobrem que ele é agente do FBI e que sabe alguma coisa sobre o mundo invisível de Oksa.

Além de tudo isso, o enredo conta com o assassinato de um jornalista. O homem foi morto por alguém da família de Oksa, resta saber quem e por quê.

Não bastando esse enredo já bastante rico, as autoras criaram seres mágicos com características muito engraçadas e divertidas. Seres que ajudam nos afazeres domésticos (os foldingodos), seres que controlam os poderes, plantas falantes, galinhas que voam, etc. E também toda uma nomenclatura para os serem de Edefia e os seres de fora, que não vou me ater a explicar aqui para não ficar confuso e a resenha enorme.

Sei que muitas comparações serão feitas com o bruxinho Harry Potter, eu mesma comparei passagens e personagens, porém, nenhuma das comparações fez com que eu perdesse o encanto de prosseguir com a leitura, nem que eu deixasse de me interessar por esse mundo de magia que cerca a família de Oksa e o mundo de Edefia.

O modo de narrar das autoras é incrível e nos faz ler de forma incessante. Adorei a criação do mundo de Edefia e a história por trás dele, bem como a formação de cada personagem, que, apesar de Oksa ser a principal, todos tem bastante espaço na trama e são muito bem caracterizados.

Amei os seres mágicos criados e por muitas vezes na leitura eu pensava: “quero um desses pra mim”, especialmente no que diz respeito aos foldingodos, esses eu passei desejando do começo ao fim do livro. Como seria fácil a vida com essas criaturinhas nos rodeando J

Outra coisa que adorei foram os nomes das personagens. Um mais diferente e engraçado que o outro. Não conseguia deixar de soltar uma risadinha cada vez que lia “Dragomira”.

Para quem estava sentindo falta de um mundo mágico muito bem criado e elaborado, pode apostar que OKSA POLLOCK E O MUNDO INVISÍVEL vai suprir essa necessidade e vai conquistar o coração de todos.

Leiam! Leiam! Leiam! E mergulhem no mundo mágico de Oksa!
 

 

E, para finalizar, gostaria de deixar meu agradecimento à editora SUMA DE LETRAS que me enviou a prova do livro. Desde que criei o blog ansiava por receber uma prova de livro e fiquei imensamente feliz quando fui escolhida para ler OKSA antes de seu lançamento. Obrigada Suma e obrigada Halime.

 

Deixe sua opinião aqui :)