Resenha: Selvagens, de Don Winslow

Livro: Selvagens

Autor: Don Winslow



Editora: Intrínseca

Número de páginas: 285

Resenha por: Guilherme Cepeda
Ambientalista e filantropo nas horas vagas, Ben comanda um negócio de venda de maconha em Laguna Beach. Ao lado de seu parceiro, o ex-mercenário Chon, ele fatura lucros consideráveis e mantém uma clientela fiel. No passado, quando seu território foi invadido, Chon tratou de eliminar a ameaça. Agora, porém, os dois amigos parecem estar diante de uma força da qual não podem dar conta – o Cartel de Baja, do México, que quer tomar a região, e avisa que não aceitará uma negativa como resposta. Quando os rapazes se recusam a ceder, o cartel reforça a advertência sequestrando Ophelia, companheira e confidente dos dois. O sequestro de Ophelia deflagra uma gama alucinante de negociações habilidosas e reviravoltas.

Selvagens é um livro que vai dividir a opinião dos leitores. Pra mim o livro veio no momento certo e no dia certo, pois se fosse em outro momento, acredito que não teria gostado do tanto assim.

"Selvagens é o décimo terceiro livro de Don Winslow e sua obra mais elegante, mais atrevida e a que mais prende a atenção. "The New York Times
 
Don Winslow desenvolveu uma trama com violência, sexo e muitas drogas. A personagem central do livro é Ophelia (ou apenas “O” para os mais íntimos), uma garota jovem que busca aproveitar os prazeres da vida ao lado de seus dois “companheiros”, Ben e Chon.
 
Selvagens acompanha a história desses três jovens que viviam em harmonia na pequena Laguna Beach, com seus vícios e negócios nem tão legalizados (no quesito drogas), até que o Cartel de Baja, do México, quer tomar a região e acabar com o negócio deles, deixando um aviso bem claro: não aceitará 'não' como resposta.
 
Após recusar a oferta do Cartel de Baja, Don Winslow embala os leitores em uma narrativa eletrizante com Ben e Chon lutando contra a máfia Mexicana para preservar o seu negócio e salvar a única coisa que une os dois: O.
 
O estilo de escrita do autor é o ponto alto do livro. Com capítulos diferenciados e uma narração onisciente, ou seja,pelo ponto de vista de vários personagens trabalhados individualmente, mas que no decorrer do livro acabam se ligando e explicando o porquê do autor resolver optar por este tipo de narrativa.
 
Os capítulos variam de três paginas a três palavras (como o primeiro capitulo do livro, o qual não convém citar nessa resenha devido ao conteúdo ofensivo de palavras). Don Winslow faz diversas referencias a cultura pop, dando um tom cômico e ao mesmo tempo eletrizante ao livro.
 
Nunca li nada parecido com Selvagens e acredito que isso tenha elevado o livro a outro nível de análise critica. O autor consegue alternar a narrativa entre os personagens, mudar a forma de estruturar os capítulos e pensamentos que passam repentinamente pela história sem perder a linha. 
 

"Selvagens é ao mesmo tempo um início e o ápice; um espetáculo de pirotecnia e uma reflexão profunda sobre a sociedade contemporânea." “Los Angeles Times”  

O livro não é um romance, mas também não se enquadra em um livro sobre violência. Selvagens é original de sua maneira, e pelo o que eu vi, o autor tem vários outros livros e pretendo conferir outras de suas obras.

Recomendo o livro para os leitores que buscam novas experiências e leituras que se completam. Selvagens não é um livro para pessoas com estômago fraco, pois algumas cenas podem facilmente chocar os leitores desprevenidos. Vale a experiência de um livro que já veio como formato de roteiro de filme, conseguia imaginar cada cena com exata precisão das produções de cinema.

Não tive a oportunidade de conferir a adaptação, mas pelos trailers e comentários acredito que o filme seja bem fiel, se não mais eletrizante que o livro.

Eleito um dos 10 melhores livros de 2010 pelo The New York Times, Entertainment Weekly, The Los Angeles Times e Chicago Sun-Times, "Selvagens" narra a aventura de dois produtores de maconha da Califórnia que precisam salvar a namorada deles, sequestrada por um cartel de drogas mexicano.

 

  1. Eu adoro essas narrativas, não tenho nada contra linguagem mais despojada ou até chula quando se enquadra na história e amo livros que te pegam e não te largam até o final. Acho que esse livro é para mim e que vou adorar cada minuto da leitura. Anotado.

  2. Olá! Quando vi o tema drogas nas resenhas que li, eu falei: esse não é para mim. De acordo com o que li na sua resenha, e o fato de talvez haver um momento ideal pra ler o livro, eu acho que agora não é o que eu procuro ler. Talvez mais pra frente, lendo outras resenhas, eu até me interesse pelo livro e o leia, mas no momento a pilha de livros para ler, e a falta de interesse me impedem de fazê-lo.
    Adorei sua resenha, o modo como você tentou defender sua opinião e tudo mais.
    Parabéns!

  3. Terminei o livro ontem para depois ver o filme.
    O Livro é uma porcaria! Não há dramáticidade nos personagens. O Romance entre os três é vago, não tem química, não há ligação emocional, afetiva. São só jovens transando a três e de uma hora para outras começar a atirar nos bandidos sem pestanejar. Gente normal não faz isso!
    A chefe do Cartel aparece para dar umas ordens, tem uma briguinha com a filha. Utilza aqueles clichês de mexicano bruto, pegador. A parte da mãe de Ophelia é totalmente dispensável. A Filha vive com dois caras, usa drogas e ela fica atrás de aconselhar os outros.
    Pra priorar, o livro parace ter sido narrado por um desses fofoqueiros da TV, que vive falando gírias ("High society" ou "Point") ou simplificando as palavras pra ficar mais modernino. Tem como uma história de violência ter veracidade sendo narrada com um ponto de vista desses?
    Esse livro é de 2010 e só foi lançado agora por que serviu de base para o filme do Oliver Stone (que naufragou nas bilheterias, mas, pelo seu histórico, é sempre bom checar os filmes do diretor).
    Espero que o filme seja melhor.
    E tem gente que ainda fala mal da literatura brasileira atual. Se fosse escrito por um brasileiro, todos falariam dos erros que citei. Já com escitor amerricano é outra coisa. Eles sabem como se promover com utilizando essas resenhas/indicações de jornais.
    Ainda bem que paguei barato (R$21,50). Vou trocar em um Sebo pela metade do preço. A vontade mesmo é tacar longe.
    Uma boa história, que poderia mostrar o funcionamento dos cartéis mexicanos na California, mas mutio mal aproveitada.

  4. Assisti ao filme,boa resenha,fiquei com vontade de ler para descobrir o que acontece.
    Pela resenha o tema está ligado ao mundo das drogas, com um cartel no México,disputa de território, e um pouco de ação.
    Foi considerado por jornais renomados como um dos melhores do ano de 2010,quero conhecer para poder concordar ou discordar,não é porque alguém não gostou que vou ter a mesma opinião ou vou deixar de ler,tudo no mundo da leitura é valido,melhores ou piores estamos lendo,aprendendo coisas novas,viajando por lugares… sempre é um aprendizado.

  5. Se o livro for parecido com o filme então é muito bom, eu vi o filme e simplismente adorei, achei que por se tratar de drogas eu nem fosse gostar tanto, mas amei. mas queria uma capa diferente, não gosto de capas de filme em livro..
    beijos.

  6. Pra variar eu não vi o filme. A única coisa que tenho feito por enquanto é ler resenhas deste livro.
    Até vi o livro numa livraria, quando vi o Travolta na capa, pirei, rsrs.

    Pela resenha acho que vou gostar desta leitura. Meio maluca, romance que não é romance, violência que não é muito violento. Hummmmm. Eu vou gostar disso!!!

    Bjkas

  7. Ainda não vi o filme nem li o livro, mais confeso que fiquei com muita vontade de saber mais sobre a história.
    Gostei da resenha, o fato de você dizer que recomenda a leitura para alguém que queria buscar novas experiencias chamou muito minha atenção, pois e sempre bom adiquirir livros que nos mostrem a verdade descaradamente.
    Bjos…
    My recent post Devaneios qualquer

  8. Taí um livro diferente que foge das modinhas sobrenaturais que estamos acostumados a ler. Achei o tema bem interessante, só pelo título mostra o quão agressivo pode ser o livro, mas vendo pela resenha vai bem além… Quero ler!

  9. Já estava decidida a assisti o filme ( principalmente por uma das atrizes do filme ser uma das minhas favoritas) e quando descubro o livro fico ainda mais interessada. Não tenho nada contra livros violentos, contanto que não vire apelativo, é bom não se limitar a somente um estilo de livro. Gostei de colocarem a Mafia Mexicana no meio e o triangulo amoroso que crio uma ligação nada convencional entre eles. O livro parece ser muito bom, e a resenha ajudou bastante com as informações!

  10. Eu não li o livro ainda , e pretendo ler antes do filme.
    Quando li a sinopse achei muito pesada. Relacionado a drogas ou coisas do tipo.
    Fiquei um pouco ressentida, mas depois que vi o trailer do filme, juro, me interessou muito, pois a violência retratada chamou demais minha atenção.
    Eu pretendo ler o livro sim . E depois da sua resenha fiquei com mais vontade, estou até participando da sua promoção. rs
    Sua resenha está ótima, parabéns 😀
    My recent post {RESENHA} Belo Desastre

  11. Gostei da resenha. Levanta um certo interesse pela leitura do livro. Comentário contrário fez o Maurício, contudo o modo como descrito na resenha ainda prevalece sobre o comentário "demolidor".

  12. Quando me deparei com o cartaz do filme e com Del Toro nele logo percebi que vinha coisa boa. Comecei a procurar desesperadamente por opiniões sobre ele e todas foram elogiosas, ufa que alívio. Então agora com o lançamento do livro já se tornou pra mim obrigatório lê-lo e não poderia ser diferente, afinal de contas sempre busco "novas experiências". Obrigado pela dica, belíssima resenha.

  13. Gostei muito de sua resenha, ela realmente foi muito bem escrita. Eu já estava com vontade de ler o livro, até que li, o que faço sempre, os comentários do pessoal, gostei muito das colocações do Mauricio e então quero ter um tempo para ver se esse livro é tão maravilhoso ou uma porcaria como foi citado!

  14. Estou doido para assistir o filme, a única coisa que me impediu ainda foi a vontade de ler o livro antes e sua resenha me deixou com mais vontade ainda. Acho que a ideia de contar a história pela visão de vários personagens e os capítulos serem curtos acabam sendo boas motivações e, além disso, parece ser algo mais maduro e realista e é o tipo de conteúdo que estou procurando no momento.

  15. Além de parecer interessante, por causa de todos os "elementos" que você disse que tem no livro que o torna bom, parece também o tipo de livro que, antes, eu nunca me atreveria a ler. Mas quem sabe, não é? Gosto de ampliar meus "conhecimentos" a respeito de certas coisas.

Leia Mais
Stranger Things | Criadores da série falam de suas maiores inspirações