Livro: Selvagens

Autor: Don Winslow

Editora: Intrínseca

Número de páginas: 285

Resenha por: Guilherme Cepeda
Ambientalista e filantropo nas horas vagas, Ben comanda um negócio de venda de maconha em Laguna Beach. Ao lado de seu parceiro, o ex-mercenário Chon, ele fatura lucros consideráveis e mantém uma clientela fiel. No passado, quando seu território foi invadido, Chon tratou de eliminar a ameaça. Agora, porém, os dois amigos parecem estar diante de uma força da qual não podem dar conta – o Cartel de Baja, do México, que quer tomar a região, e avisa que não aceitará uma negativa como resposta. Quando os rapazes se recusam a ceder, o cartel reforça a advertência sequestrando Ophelia, companheira e confidente dos dois. O sequestro de Ophelia deflagra uma gama alucinante de negociações habilidosas e reviravoltas.

Selvagens é um livro que vai dividir a opinião dos leitores. Pra mim o livro veio no momento certo e no dia certo, pois se fosse em outro momento, acredito que não teria gostado do tanto assim.

"Selvagens é o décimo terceiro livro de Don Winslow e sua obra mais elegante, mais atrevida e a que mais prende a atenção. "The New York Times
 
Don Winslow desenvolveu uma trama com violência, sexo e muitas drogas. A personagem central do livro é Ophelia (ou apenas “O” para os mais íntimos), uma garota jovem que busca aproveitar os prazeres da vida ao lado de seus dois “companheiros”, Ben e Chon.
 
Selvagens acompanha a história desses três jovens que viviam em harmonia na pequena Laguna Beach, com seus vícios e negócios nem tão legalizados (no quesito drogas), até que o Cartel de Baja, do México, quer tomar a região e acabar com o negócio deles, deixando um aviso bem claro: não aceitará 'não' como resposta.
 
Após recusar a oferta do Cartel de Baja, Don Winslow embala os leitores em uma narrativa eletrizante com Ben e Chon lutando contra a máfia Mexicana para preservar o seu negócio e salvar a única coisa que une os dois: O.
 
O estilo de escrita do autor é o ponto alto do livro. Com capítulos diferenciados e uma narração onisciente, ou seja,pelo ponto de vista de vários personagens trabalhados individualmente, mas que no decorrer do livro acabam se ligando e explicando o porquê do autor resolver optar por este tipo de narrativa.
 
Os capítulos variam de três paginas a três palavras (como o primeiro capitulo do livro, o qual não convém citar nessa resenha devido ao conteúdo ofensivo de palavras). Don Winslow faz diversas referencias a cultura pop, dando um tom cômico e ao mesmo tempo eletrizante ao livro.
 
Nunca li nada parecido com Selvagens e acredito que isso tenha elevado o livro a outro nível de análise critica. O autor consegue alternar a narrativa entre os personagens, mudar a forma de estruturar os capítulos e pensamentos que passam repentinamente pela história sem perder a linha. 
 

"Selvagens é ao mesmo tempo um início e o ápice; um espetáculo de pirotecnia e uma reflexão profunda sobre a sociedade contemporânea." “Los Angeles Times”  

O livro não é um romance, mas também não se enquadra em um livro sobre violência. Selvagens é original de sua maneira, e pelo o que eu vi, o autor tem vários outros livros e pretendo conferir outras de suas obras.

Recomendo o livro para os leitores que buscam novas experiências e leituras que se completam. Selvagens não é um livro para pessoas com estômago fraco, pois algumas cenas podem facilmente chocar os leitores desprevenidos. Vale a experiência de um livro que já veio como formato de roteiro de filme, conseguia imaginar cada cena com exata precisão das produções de cinema.

Não tive a oportunidade de conferir a adaptação, mas pelos trailers e comentários acredito que o filme seja bem fiel, se não mais eletrizante que o livro.

Eleito um dos 10 melhores livros de 2010 pelo The New York Times, Entertainment Weekly, The Los Angeles Times e Chicago Sun-Times, "Selvagens" narra a aventura de dois produtores de maconha da Califórnia que precisam salvar a namorada deles, sequestrada por um cartel de drogas mexicano.

 

Deixe sua opinião aqui :)