Considerada a Nickolas Sparks de saia, Chris Melo é muito mais do que o titio Nick pode escrever. Não desmerecendo as obras de NS que são lindas, emocionantes e trágicas (mas convenhamos todas são puras tragédias e acaba sempre uma lembrando a outra) ele chegou num ponto que não consegue mais se reinventar. Diferente, de Chris Melo, que a cada obra consegue imprimir em suas histórias sentimentos e reviravoltas que não se encontram nos romances atuais. Esqueça os clichês, em Sob Um Milhão de Estrelas você embarca num enredo com pessoas normais, como eu e você, leitor que está lendo esta resenha.

Alma Abreu decidiu ir para a pacata cidade Serra de Santa Cecília, no interior de SP, não somente para reivindicar a herança deixada pela sua avó paterna, dona Samantha. Ela aproveita esta oportunidade para resolver dois problemas: fugir das consequências de um incidente no seu trabalho e para desvendar o passado dos seus pais. E ali, naquela cidadezinha, de casas coloridas e com calçada de paralelepípedos, Alma vai passar por várias transformações.

Naquela pequena cidade ela encontra um vizinho encantador, dono de bar e professor de literatura. Uma casa toda colorida e que parece tão familiar para ela – sendo que a proprietária nunca chegou a conhecê-la quanto estava viva – e ainda ganha um grupo de amigas, daquele tipo de irmandade de escola do ensino médio.

Do outro lado da casa deixada pela avó Samantha, temos o Carlos Eduardo, o fofo vizinho e responsável pelo imóvel deixado para a protagonista. Tal como Alma, Cadu também fugira de sua vida e fora se refugiar em Serra. Para curar suas feridas do furação Elisa, sua ex namorada que o abandonara para viver um romance com um ator inglês (curioso? Basta conferir esta história no primeiro romance da autora, Sob a Luz dos seus olhos que conta a história de Elisa).

Mas, caro leitor, não se preocupe se você nunca ouviu falar de SALDSO (abreviei), porque um livro não está ligado ao outro. Mas, indico porque é uma leitura incrível e inesquecível.

O envolvimento entre Cadu e Alma não é algo instantâneo, mas podemos sentir algo no ar. As famosas fagulhas e comichões na barriga. De uma maneira natural e espontânea, a vida de ambos se entrelaça.

“Sob um milhão de estrelas” é não um livro de conto de fadas, aquele romance de água com açúcar. Não é sobre um casal de protagonistas que se encontram, e logo tem o seu final feliz. Trata de um livro sobre superações, vida real, o cotidiano, como resolver problemas e rotina. Ou seja, uma vida como ela acontece na realidade. Os protagonistas, Alma e Cadu, não vivem no mundinho fechado deles, podemos acompanhar suas interações com os demais personagens. O que cada pancada da vida causa neles, e como eles reagem as desilusões. Eles são pessoas reais, não perfeitas, cheias de defeitos e que erram. Chris Melo permeia a sua história com ensinamentos e com várias reflexões sobre a vida, intercalando com cada reviravolta que acontecia no enredo. Que não sabemos o que está para acontecer nos próximos capítulos. Estes que são narrados com pontos de vistas intercalados.

“Se despedir dói, mas imaginar nunca ter cruzado seu destino com aquela pessoa parece errado e mais sem sentido do que a própria morte. Talvez tudo seja sobre isto: encontros, despedidas e o que você foi capaz de fazer e construir entre esses dois acontecimentos.”

Com o coração na mão e querendo pegar o ônibus para ir para Santa Cecília, Chris Melo presenteia seus leitores com mais uma linda história com personagens carismáticos e reais, que conquistam mais um espaço na minha prateleira de livros.

Deixe sua opinião aqui :)

Formada em jornalismo e apaixonada por livros. Amo tirar fotos, mas não muito em sair nelas. Tem uma incrível capacidade de ver pelo menos umas 20 séries sem se perder e trocar o nome de personagens. Backstreet fã desde os 14 anos. Amo a cultura pop e se pudesse moraria dentro de um livro.

Deixe um comentário aqui :)

You must be logged in to post a comment.