Resenha: A verdade sobre o caso Harry Quebert, de Joel Dicker 3
Resenhas

Resenha: A verdade sobre o caso Harry Quebert, de Joel Dicker

119354199_1GG

 

 

Título: A verdade sobre o caso Harry Quebert

Autor: Joël Dicker

Editora: Intrinseca

Número de Páginas: 572

Classificação: 4/5 estrelas

 

 

 

 

 

 

Marcus Goldman viu sua vida se transformar radicalmente. Com apenas vinte e oito anos, publicou um livro que se tornou um best-seller e o alçou ao status de celebridade, com direito a um apartamento chique em Manhattan, um carrão, uma namorada estrela de TV e presenças constantes nos tapetes vermelhos, além de um contrato milionário para um novo romance. E então foi acometido pela doença dos escritores: a síndrome da página em branco. A poucos meses do prazo para a entrega do novo original, pressionado por seu editor e por seu agente, Marcus não consegue escrever nem uma linha sequer.

***

Aclamado pela crítica internacional, A verdade sobre o caso Harry Quebert é um livro que surpreende em alguns pontos, mas deixa a desejar no desenvolvimento da narrativa (mais especificamente o meio do livro), como se o autor tivesse se preocupado apenas em desenvolver o começo e o fim, deixando o “recheio” do livro meia boca.

Joël Dicker conseguiu me levar para dentro da cena, e em certos pontos (no começo do livro) comecei a duvidar se aquela história não era baseada em fatos reais, dada a riqueza de detalhes e intensidade da trama.

harry-quebert_capa

Os personagens criados pelo autor são interessantes e cada um tem seus conflitos internos. O destaque vai para Marcus Goldman, escritor best-seller e protagonista do livro que vai a fundo na investigação para descobrir a verdade sobre o escândalo que envolve seu amigo Harry Quebert.

As passagens mais interessantes do livro são as partes do personagem Harry Quebert, que dá dicas de como escrever/estruturar um livro. O protagonista é um escritor com bloqueio criativo, e se você costuma escrever ou já passou por isso (quem nunca?) vai se identificar e aproveitar as dicas do Harry.

– Se os escritores são criaturas frágeis, Marcus, é porque são passíveis de conhecer dois tipos de sofrimentos sentimentais, ou seja, duas vezes mais que os seres humanos normais: as dores de amor e as dores literárias. Escrever um livro é como amar alguém: pode acabar sendo muito doloroso.

A edição da Editora Intrínseca está boa, e o trabalho gráfico do livro ficou bem simples, mas casou perfeitamente com o clima do livro. A única coisa que me incomodou foi o tamanho da fonte/qualidade da folha que atrapalhou um pouco a leitura, mas entendo que se o papel fosse um pouco mais grosso o livro ficaria parecendo uma bíblia.

Garanta o seu exemplar de A verdade sobre o caso Harry Quebert pelo link

Recomendo o livro para os fãs de livros investigativos com boas narrativas, e também para os leitores que gostam de livros que apesar de serem fictícios, apresentam boas doses de realidade. 

Resenha escrita por Guilherme Cepeda – Burn Book ©

*Encontrou algum erro na matéria? Avise-nos

Ouça o último episódio do BurnCast:

Você pode ouvir BurnCast no Burn Book, no Spotify, no Castbox, no Google Podcasts, no Apple Podcasts, no Deezer, na Amazon Music ou no aplicativo de sua preferência. Assine ou siga o BurnCast, para ser avisado sempre que tiver novo episódio no ar.


Resenha: A verdade sobre o caso Harry Quebert, de Joel Dicker 4


Guilherme Cepeda
Guilherme Cepeda é podcaster, blogueiro e escritor. Pós-Graduado em Marketing e apaixonado por tecnologia e literatura desde sempre, em 2010 resolveu criar um blog para compartilhar sua opinião com os amigos. Jamais imaginaria que o projeto chegaria tão longe, tornando-se hoje o Burn Book, um dos maiores portais de literatura jovem do Brasil. Escreveu em co-autoria os livros da série Minha Vida, e em seu trabalho mais recente, já pela Editora Burn Books, publicou o conto “Estarei em Casa para o Natal” na antologia que leva o mesmo nome, também foi publicado em outras antologias pelas Editoras Wish, Villa-Lobos e Rouxinol. Guilherme é co-criador do Podcast “BurnCast”, o qual é responsável pela edição, pós-produção e roteiro há mais de um ano.

Você pode gostar de:

Mais Posts em:Resenhas

5 Comments

  1. Estou muito curiosa sobre este livro, parece aqueles em que começa a ler e não consegue parar! (É a impressão que tenho.) Adoro um mistério de vez em quando! 🙂 Adorei a resenha!

    Beijos! || ape56.blogspot.com

    1. Oi Natália 🙂

      SIM! No começo eu não conseguia largar, mas lá pela metade do livro achei meio monótomo e acabei desacelerando a leitura, ai demorei um pouco para terminar de ler.

      Obrigado pelo comentário

      Bjs

  2. Guilherme, me ajuda em uma coisa: procurei por esse livro por 2 meses pq pensei q a Saraiva tinha lançado, mas o quero saber é : esse tipo de pintura é de um artist famoso, daquele que desenhava pessoas sentadas nos cafés? sabes o nome dele? Obrigada pela resenha.

    1. Olá Sam, tudo bem?

      Na orelha do livro está como “capa de Victor Burton”, agora não sei se é o Designer da capa OU o artista que fez a pintura.

      O livro saiu pela Intrínseca, e você pode garantir o seu exemplar pelo Submarino http://www.submarino.com.br/produto/119354199/livro-a-verdade-sobre-o-caso-harry-quebert?franq=AFL-03-78902 🙂

      Obrigado pelo comentário

      Bjs

      1. Obrigada Guilherme, vou procurar…abraço

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.