Resenha: Vortex, Julie Cross 3
Resenhas

Resenha: Vortex, Julie Cross

Depois da tempestade não haverá calmaria.

Vortex é a segunda parte da jornada de Jackson Meyer no mundo dos viajantes do tempo. O primeiro livro dividiu muitos de opinião. Alguns gostaram, outros não e teve aqueles que não curtiram nem um pouco o final. Mas aquela foi a primeira parte do mistério. Jackson estava apenas descobrindo o potencial de seus poderes e agora as coisas tomam um rumo completamente louco.

O livro continua de onde Tempest parou, com Jackson se unindo a divisão da CIA que luta contra os Inimigos do Tempo. O garoto acaba por se desenvolver mais rápido do que seus colegas poderiam imaginar. Ao mesmo tempo que tenta desvendar seus inimigos, ele não consegue deixar de pensar em Holly, a garota que deixou para trás. Mas seus destinos podem estar mais ligados do que ele pensa quando uma nova organização surgi.

Essa segunda parte acabou sendo melhor que a primeira. É meio estranho dizer isso, porque geralmente é o contrário. As revelações que o autor nos mostra nos próximos livros quase nunca consegue ser tão bom quanto o gostinho dos mistérios que ele criou no primeiro.

Vortex é ação do começo ao fim, o livro se desenrola de uma maneira tão rápida que você vai passando pelas páginas sem perceber. O primeiro teve esse ritmo rápido, mas aqui a ação acabou se sobrepondo ao romance. Não que o romance acabou sendo esquecido. Jackson ainda sofria por sua preciosa Holly, mas não havia muito o que ele podia fazer a não ser se jogar no mundo da espionagem e como foi divertido vê-lo lutando ao lado de seus pai e o resto dos membros de equipe.

Talvez a ação do livro acabou tomando uma parte tão importante, junto com os mistérios que a autora aprofundou, que você meio que não liga muito para o romance. Não sei o que muitos pensavam da Holly no primeiro livro. Eu meio que não ligava muito para ela. Até metade de Vortex eu queria que Jackson se esquecesse dela e fosse apenas “o agente”. Sabe, no estilo 007. Uns flertes aqui. Uns beijos lá. Mas no final, ele só tinha em mente os mistérios a serem desvendados. E como eles estavam presentes. Jackson foi de um lado para o outro e certas revelações me deixaram de queixo caído.

Pelo menos a autora soube como usar Holly de um jeito surpreendente. E claro, o livro teve umas partes que eu achei um pouco estranhas, como o fato dos membros da equipe serem muito jovens e você precisar ter o primeiro livro bem fresco na memória para não ficar confuso. Mais de uma vez eu tive que parar a leitura para me lembrar de algo de Tempest.

Felizmente, certos personagens foram mais aprofundados, e aquele final… A Tempestade ameaça destruir a todos.

*Encontrou algum erro na matéria? Avise-nos

Ouça o último episódio do BurnCast:

Você pode ouvir BurnCast no Burn Book, no Spotify, no Castbox, no Google Podcasts, no Apple Podcasts, no Deezer, na Amazon Music ou no aplicativo de sua preferência. Assine ou siga o BurnCast, para ser avisado sempre que tiver novo episódio no ar.


Resenha: Vortex, Julie Cross 4


Guilherme Cepeda
Guilherme Cepeda é podcaster, blogueiro e escritor. Pós-Graduado em Marketing e apaixonado por tecnologia e literatura desde sempre, em 2010 resolveu criar um blog para compartilhar sua opinião com os amigos. Jamais imaginaria que o projeto chegaria tão longe, tornando-se hoje o Burn Book, um dos maiores portais de literatura jovem do Brasil. Escreveu em co-autoria os livros da série Minha Vida, e em seu trabalho mais recente, já pela Editora Burn Books, publicou o conto “Estarei em Casa para o Natal” na antologia que leva o mesmo nome, também foi publicado em outras antologias pelas Editoras Wish, Villa-Lobos e Rouxinol. Guilherme é co-criador do Podcast “BurnCast”, o qual é responsável pela edição, pós-produção e roteiro há mais de um ano.

Você pode gostar de:

Mais Posts em:Resenhas

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.