Burn Cine: Argo 16

Burn Cine: Argo


Olá leitores e amigos do Burn Book. Aqui iremos nos encontrar toda semana para falar sobre um filme. Estaremos noticiando sobre dicas de filmes, estreias, opiniões e muito mais. Esperamos que curtam essa coluna e que participem. Vamos buscar o melhor do entretenimento para vocês.
 
Então vamos nessa, prepare sua pipoca, seja ela de milho ou arroz (no meu caso 😀 ) e vamos nos aventurar, nos emocionar e aprender com esse mundo magnifico e magico que é o cinema. Sejam todos bem vindos.
 

Burn Cine: Argo 17

Por Danny Resende
 
Opinião: É um filme muito complexo para explicar. No filme ocorrem gêneros distintos como a comédia, policial, drama e suspense. Além disso, existem filmes dentro do filme, ficções dentro da ficção, e uma responsabilidade com a memória americana, pois o filme ilustra fatos reais. Por isso Argo, é uma obra de grandes pretensões. Rica em detalhes, produção e não foi atoa que foi o GRANDE vencedor do Globo de Ouro e Oscar do ano.
 
O filme começa com uma animação que parece melancólica demais, mas o que geralmente é utilizado em filmes políticos. São apresentadas as situações políticas dos Estados Unidos e do Irã no final dos anos 1970, com um tom particularmente crítico ao intervencionismo americano. E então segue uma primeira cena, surpreendente, da invasão de uma embaixada.
 
O espectador é posicionado dentro do prédio, junto dos embaixadores apavorados. Uma cena espetacular que já te prende ao filme e sua fantástica evolução. Surge então a ideia improvável de resgatar os prisioneiros fazendo-os passar por profissionais de cinema, em plena produção um filme. Com bom humor e uma ironia mordaz, um especialista da CIA. E no filme você consegue vê a separação entre o real e sua representação em imagens, o final nos créditos do filme os personagens da história são colocados lado a lado com verdadeiras imagens de arquivo, para que o espectador perceba justamente a proximidade nas imagens, mas também a distância inevitável criada pela ficção.
 
O Diretor Bem Affleck vai além: ele compara a política com a representação cinematográfica, fazendo desta falsa e grotesca ficção científica um espelho do próprio filme. E foi essa ousadia e inovação que o levou as premiações e o reconhecimento como Diretor.
 
O filme é dotado de cenas surpreendentes e inteligentes, capaz de mostrar uma mesma cena com dois discursos distintos, e Argo passa do bom roteiro à técnica eficaz, das atuações impecáveis ao olhar crítico à política, e brilhantes atores. Argo representa o que a indústria americana consegue produzir de melhor nos dias de hoje.
 
E com toda ousadia e inovação ele ganha o Oscar de maneira a apresentar a todos que essa é a nova tendência no mundo cinematográfico. Parabéns a todos envolvidos nessa grande produção. E quem ainda não viu eu super-recomendo, e se possível que leiam o livro antes, o livro já é surpreendente e com ele você verá que Ben Affleck se superou em retratar tão bem a história e que surpreendeu ainda mais a maneira tão eficaz em traduzir cenas tão importantes.
 
EU aplaudi mesmo quando li o livro, quando vi o filme e quando merecidamente foi vencedor dos maiores prêmios para o cinema. Parabéns Bem Affleck.




Burn Cine: Argo 18

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Leia Mais
Burn Cine: Argo 28
Resenha: O Tempo Entre Nos, de Tamara Ireland