Olá, leitores do Burn Book.Jacqueline Gomes (leitora e amiga telepata) fez um post especial sobre o filme Pitch Perfect (A Escolha Perfeita) e como eu simplesmente adorei esse filme, resolvi compartilhar o post com vocês.

 

Uma coisa que anda modinha ultimamente, graças a série Glee, são histórias sobre grupos musicais de colégio. Glee mostrou que falar sobre ser diferente, através de covers era legal… por duas temporadas. Sério, abandonei na 3ª, de tão insuportável que estava. Sim, sim, vocês sofrem com bullying, cantem sobre isso, blá, blá, blá….ENOUGH! O sucesso da série deu chance para outros tipos de musicais e isso também estava ficando chato. Ok, I get it… Musicais são legais, e são mesmo. Sou mega fã de musicais, estilo broadway, o resto cansou. E eis que assisto Pitch Perfect

 
Beca (Anna Kendrick) é uma garota isolada do mundo, que entrou forçada pelo pai na faculdade. Seu sonho era trabalhar como DJ em Los Angeles, mas é na Barden University que ela se une as The Bellas, grupo acapela que tenta vencer uma competição entre universidades muito importante. De uma maneira divertida, Beca passa pelas mais engraçadas e divertidas experiências, com pessoas que não possuem nada em comum, a não ser cantar bem. 
 
Eu vi o trailer, achei bonitinho, mas a comparação com Glee era gritante. E tudo que é cópia de outro filme ou série, me irrita. Não é original, é sempre a mesma história e isso cansa! Assisti apenas por curiosidade pela trilha sonora (amo soundtracks de filmes) e não é que tive uma ótima surpresa?
 
 
Sim, há aquela coisa de estereótipos diferentes se encontrando no mesmo grupo, mas é de uma maneira tão engraçada, e a química entre elenco é tão boa, que você diz: "que se f*#$, esse filme é bom". A história introduz personagens interessantes, como uma lésbica viciada em jogo, uma tarada sexual, uma asiática quase muda e Fat Amy (Rebel Wilson), que tá pouco se f&#$!* pra bullying e os babacas da faculdade, zoa a si mesma e é feliz. Confesso que não sou muito fã da atriz, que considero de humor muito forçado, mas ela me fez rir muito nesse filme.
 
Outro fato interessante, que faz você desligar de Glee totalmente, é falado logo no inicio: "Aqui não é lugar para cantar e dançar suas emoções ou sexualidade confusa. Não há nada disso aqui.". É um filme que já diz logo de cara, para ninguém comparar, que isso não é Glee. 
 
 
A trilha é muito boa, com versões acapelas de Since U Been GoneRight Round e Don't Stop The Music. Mas as melhores são as mashups (canção criada a partir da mistura de duas ou mais canções), principalmente as que são cantadas na cena do riff off e no final da competição, que inclui simplesmente a minha música favorita, trilha do melhor filme anos 80,The Breakfast Club (O Clube dos Cinco), Don't You (Forget About Me). É tudo tão bem feito e gostoso de ouvir que fica impossível não cantar junto.
 
Claro que nem tudo são flores. Há pequenas falhas no roteiro, mas se até Christopher Nolan trouxe falhas em O Cavaleiro das Trevas Ressurge, who cares, né? Mas eu pelo menos gostaria de saber como fica a história da Beca em seguir carreira como DJ e como fica esta história da profissão com o pai. Eles tinham um acordo, mas nada é falado depois. Quando o filme acaba, senti até que poderia vir uma sequencia. Vou rezar pra isso não acontecer. Apesar de ser um bom filme, não é necessário. 
 
Pra quem está cansado de musicais com a mesma historinha água com açúcar, fuja do convencional e assista Pitch Perfect.
 
 
Trivia: O filme é baseado no livro Pitch Perfect: The Quest for Collegiate a Cappella Glory, de Mickey Rapkin. Acho estranho um livro sobre um musical, mas como adorei o filme, talvez goste do livro.
 
 
 
 
Nome: Pitch Perfect (A Escolha Perfeita)
Ano: 2012
Gênero: Musical/Comédia
Direção: Jason Moore
Roteiro: Kay Cannon
Elenco: Anna KendrickBrittany Snow, Rebel Wilson e Elizabeth Banks
Nota: 7.5/10
 
 
 
– Confira o Trailer do Filme:
– Extras:
 

 

Deixe sua opinião aqui :)