Empresas virtuais se transformam em parceiras de negócios com clubes brasileiros 16

Empresas virtuais se transformam em parceiras de negócios com clubes brasileiros

O mercado das novas tecnologias está cada vez mais conseguindo espaço no futebol brasileiro. Desde o começo do ano, diferentes clubes estão trocando empresas tradicionais, e mais habituadas a estampar camisas de times, por acordos e parcerias com empreendimentos online. O principal foco tem sido com os bancos digitais, apesar de também existir espaço para outros tipos de produtos.



Um dos clubes pioneiros nisso foi o Botafogo, que desde 2017 possui negócios que envolvem o mundo virtual. O time carioca fechou uma parceria com Felipe Neto, um popular produtor de conteúdo digital que possui o controle de diferentes empresas. No Campeonato Brasileiro de 2018, por exemplo, o clube estampou a marca Neto’s na camisa e o acordo entre as duas partes se mantém até hoje.

 

Recentemente, alguns times abriram negociações com empresas online de apostas de futebol. É um mercado que já ganhou o futebol europeu, com clubes como o Barcelona e a Juventus, e parece disposto a investir no Brasil. No entanto, nenhum contrato foi fechado e as negociações devem ser bem lentas. Estes sites de apostas possuem força no eSports, mas também estão dispostos a investirem em esportes tradicionais.

A própria Seleção Brasileira também possui um parceiro digital. A empresa English Live fornece cursos de inglês totalmente online, utilizando a tecnologia de streaming. Desde 2018, ela é patrocinadora e tem a marca estampada nas camisas de treino e apresentação do Brasil. Ou seja, até a CBF já abriu as portas para empresas que não possuem espaço físicos, mas apenas online.

Os bancos digitais

A equipe do Botafogo novamente chama a atenção, principalmente para 2019. A equipe está negociando com o NuBank como patrocinador principal. O banco digital é um dos maiores sucessos, quando o assunto são fintechs brasileiras. A prova disso foi a conquista do prêmio de melhor banco brasileiro pela revista Forbes, no início deste ano. Porém, o Botafogo não será o primeiro clube que estampa um banco digital no uniforme.

Em 2017, o São Paulo fechou uma parceria com o Banco Inter, que na época ainda era chamado de Intermedium. O acordo de quase R$ 20 milhões foi inédito e chamou a atenção, já que poucas pessoas conheciam aquele banco completamente digital. A parceria foi considerada um sucesso pelas duas partes. Atualmente, existe um cartão especial para os clientes do banco que também são torcedores do Tricolor.

O Cruzeiro é outro time que segue na mesma linha, após realizar acordo com o Banco Digimais. Além de receber uma quantia fixa por ano, o clube mineiro também terá participações nos lucros da empresa. Quanto mais cruzeirenses se transformarem em clientes do banco, mais dinheiro entra na conta do time. É uma espécie de campanha, em que todos ganham com o crescimento.

Existem outros clubes realizando acordos parecidos, como é o caso do Corinthians com o Banco BMG. Porém, é preciso esperar o resultado de todas essas parcerias. A internet já realizou diferentes mudanças no mundo do entretenimento, principalmente com os jogos eletrônicos. Agora, é possível que tais empresas comecem a fazer a diferença em mercados já consolidados, como é o caso do futebol brasileiro.




» Siga o Burn Book no Facebook Instagram e no Twitter e receba todas novidades dos livros, filmes e séries! «

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Leia Mais
Empresas virtuais se transformam em parceiras de negócios com clubes brasileiros 27
Confira o título oficial de Transformers 5!