Empresas virtuais se transformam em parceiras de negócios com clubes brasileiros

O mercado das novas tecnologias está cada vez mais conseguindo espaço no futebol brasileiro. Desde o começo do ano, diferentes clubes estão trocando empresas tradicionais, e mais habituadas a estampar camisas de times, por acordos e parcerias com empreendimentos online. O principal foco tem sido com os bancos digitais, apesar de também existir espaço para outros tipos de produtos.

Um dos clubes pioneiros nisso foi o Botafogo, que desde 2017 possui negócios que envolvem o mundo virtual. O time carioca fechou uma parceria com Felipe Neto, um popular produtor de conteúdo digital que possui o controle de diferentes empresas. No Campeonato Brasileiro de 2018, por exemplo, o clube estampou a marca Neto’s na camisa e o acordo entre as duas partes se mantém até hoje.

 

Recentemente, alguns times abriram negociações com empresas online de apostas de futebol. É um mercado que já ganhou o futebol europeu, com clubes como o Barcelona e a Juventus, e parece disposto a investir no Brasil. No entanto, nenhum contrato foi fechado e as negociações devem ser bem lentas. Estes sites de apostas possuem força no eSports, mas também estão dispostos a investirem em esportes tradicionais.

A própria Seleção Brasileira também possui um parceiro digital. A empresa English Live fornece cursos de inglês totalmente online, utilizando a tecnologia de streaming. Desde 2018, ela é patrocinadora e tem a marca estampada nas camisas de treino e apresentação do Brasil. Ou seja, até a CBF já abriu as portas para empresas que não possuem espaço físicos, mas apenas online.

Os bancos digitais

A equipe do Botafogo novamente chama a atenção, principalmente para 2019. A equipe está negociando com o NuBank como patrocinador principal. O banco digital é um dos maiores sucessos, quando o assunto são fintechs brasileiras. A prova disso foi a conquista do prêmio de melhor banco brasileiro pela revista Forbes, no início deste ano. Porém, o Botafogo não será o primeiro clube que estampa um banco digital no uniforme.

Em 2017, o São Paulo fechou uma parceria com o Banco Inter, que na época ainda era chamado de Intermedium. O acordo de quase R$ 20 milhões foi inédito e chamou a atenção, já que poucas pessoas conheciam aquele banco completamente digital. A parceria foi considerada um sucesso pelas duas partes. Atualmente, existe um cartão especial para os clientes do banco que também são torcedores do Tricolor.

O Cruzeiro é outro time que segue na mesma linha, após realizar acordo com o Banco Digimais. Além de receber uma quantia fixa por ano, o clube mineiro também terá participações nos lucros da empresa. Quanto mais cruzeirenses se transformarem em clientes do banco, mais dinheiro entra na conta do time. É uma espécie de campanha, em que todos ganham com o crescimento.

Existem outros clubes realizando acordos parecidos, como é o caso do Corinthians com o Banco BMG. Porém, é preciso esperar o resultado de todas essas parcerias. A internet já realizou diferentes mudanças no mundo do entretenimento, principalmente com os jogos eletrônicos. Agora, é possível que tais empresas comecem a fazer a diferença em mercados já consolidados, como é o caso do futebol brasileiro.

Leia Mais
Promo: Halloween Literario | Resultado