Especial: Oscar 2013 com o Burn Book #OscarBurnBook

Olá, leitores do Burn Book. A Danny Resende, nossa colunista de Cinema do BB fez um post super especial com os filmes indicados ao Oscar. Confira e compartilhe as suas apostas com a gente.

Melhor Filme 

APOSTAS CERTAS
 
O Mestre
 
 
Premiado no Festival de Veneza, O Mestre é apontado como um dos fortes candidatos ao Oscar 2013. A Academia, por sinal, já se revelou fã do cinema de Paul Thomas Anderson, que recebeu indicações por Sangue Negro, Magnólia e Boogie Nights – Prazer Sem Limites. O filme é baseado em uma doutrina religiosa “A cientologia” e entra em um terreno pantanoso da cientologia, doutrina religiosa que tem seu núcleo de marketing fincado em Hollywood. "O Mestre" decepcionará quem espera uma radiografia da misteriosa doutrina que tem uma crença baseada em alienígenas e é contra a utilização de remédios para tratar de doenças mentais.
 
Opinião: Achei o filme muito interessante e um pouco assombroso por suas teorias, mas bem produzido e que retrata duvidas das quais você nem sempre entenderá se não conviver e conhecer a
fundo.
 
Os Miseráveis
 
 
Primeiro longa de Tom Hooper desde que conquistou a Academia com seu O Discurso do Rei. Adaptação de peça clássica da Broadway, que por sua vez é inspirada em romance homônimo de Victor Hugo. Tudo no filme – da direção de arte ao grande elenco – diz que ele chegará forte na premiação. A história se passa em plena Revolução Francesa do século XIX. Jean Valjean (Hugh Jackman) rouba um pão para alimentar a irmã mais nova e acaba sendo preso por isso. Solto tempos depois, ele tentará recomeçar sua vida e se redimir. Ao mesmo tempo em que tenta fugir da perseguição do inspetor Javert (Russell Crowe).
 
Opinião: O musical é lindo e sou suspeita para falar, pois amo esse romance de Victor Hugo. Os atores foram bem escolhidos e foram a fundo em incorporar os personagens. A aposta é certa que ganhará prêmios essa noite.
 
A Hora Mais Escura
 
 
Vencedor do primeiro prêmio da temporada (Associação de Críticos de Nova York). Dirigido pela premiada Kathryn Bigelow (Guerra ao Terror), o longa conta com um tema que deve interessar muito o público norte-americano: a caça e o assassinato do terrorista Osama Bin Laden. Os ataques terroristas sofridos pelos Estados Unidos em 11 de setembro de 2001 deram início a uma época de medo e paranoia do povo americano em relação ao inimigo, onde todos os esforços foram realizados na busca pelo líder da Al Qaeda, Osama bin Laden. Maya (Jessica Chastain) é uma agente da CIA que está por trás dos principais esforços em capturar Laden, por ter descoberto os interlocutores do líder do grupo terrorista. Com isso ela participa da operação que levou militares americanos a invadir o território paquistanês, com o objetivo de capturar e matar bin Laden.
 
Opinião: O filme foi bem produzido, mas não senti segurança na mensagem do que de fato ocorreu lá. Não é um filme que encantará a todos, como Guerra ao Terror, mas que nos trás opiniões diversas em como funciona a governo AMERICANO em relação a sua proteção e prevenção a novos ataques terroristas.
 
FORTES CANDIDATOS
 
Argo
 
 
Muito criticado como ator, Ben Affleck vem se revelando um grande diretor. Após realizar o elogiado Medo da Verdade e Atração Perigosa, ele, agora, realizou seu melhor trabalho. Argo é um dos filmes mais elogiados do ano e muito provavelmente marcará presença na cerimônia mais badalada da sétima arte. Leia a nossa crítica. 1979. O Irã está em ebulição, com a chegada ao poder do aiatolá Khomeini. Como o antigo xá ganhou asilo político nos Estados Unidos, que haviam apoiado seu governo de opressão ao povo iraniano, há nas ruas de Teerã diversos protestos contra os americanos. Um deles acontece em frente à embaixada do país, que acaba invadida. Seis diplomatas americanos conseguem escapar do local pouco antes da invasão, indo se refugiar na casa do embaixador canadense. Lá eles vivem durante meses, sob sigilo absoluto, enquanto a CIA busca um meio de retirá-los do país em segurança. A melhor opção é apresentada por Tony Mendez (Ben Affleck), um especialista em exfiltrações, que sugere que uma produção de Hollywood seja utilizada como fachada para a operação. Aproveitando o sucesso de filmes como "Guerra nas Estrelas" e "A Batalha do Planeta dos Macacos", a ideia é criar um filme falso, a ficção científica Argo, que usaria as paisagens desérticas do Irã como locação. O projeto segue adiante com a ajuda do produtor Lester Siegel (Alan Arkin) e do maquiador John Chambers (John Goodman), que conhecem bem como funciona Hollywood.
 
Opinião: Li o livro e confesso que gostei mais do livro que o filme. Fato. Mas o filme tem uma pegada legal em se tratando de investigação, invasão e busca de vitimas. É uma ficção cientifica, e logo, não agrada a muitos. Mas Ben Affleck está de parabéns na produção desse filme que já lhe rendeu alguns prêmios inclusivo o globo de ouro.
 
O Lado Bom da Vida  
 
 
 
Mais novo filme de David O. Russell, indicado ao Oscar por O Vencedor, O Lado Bom da Vida tem recebido elogios por onde passa, seja pelo ótimo roteiro ou pelo elenco inspirado. Bradley Cooper, Robert De Niro e Jennifer Lawrence estão no longa. Por conta de algumas atitudes erradas que deixaram as pessoas de seu trabalho assustadas, Pat Solitano Jr. (Bradley Cooper) perdeu quase tudo na vida: sua casa, o emprego e o casamento. Depois de passar um tempo internado em um sanatório, ele acaba saindo de lá para voltar a morar com os pais. Decidido a reconstruir sua vida, ele acredita ser possível passar por cima de todos os problemas do passado recente e até reconquistar a ex-esposa. Embora seu temperamento ainda inspire cuidados, um casal amigo o convida para jantar e nesta noite ele conhece Tiffany (Jennifer Lawrence), uma mulher também problemática que poderá provocar mudanças significativas em seus planos futuros.
 
Opinião: O filme que já rendeu algumas premiações ao seu elenco inclusive Globo de Ouro, é fantástico, e nos passa uma mensagem muito linda. Por que, apesar de tudo, se esquecer do lado bom da vida, sendo que o lado ruim que deve ser esquecido e apenas lembrado para lições futuras? Não perca esse lindo filme e mude sua opinião em relação ao seu dia a dia e principalmente em não fazer mais comentários da vida de seja quem for sem conhecer sua história.
 
Lincoln
 
 
Steven Spielberg e Daniel Day-Lewis investem na história de um dos mais marcantes presidentes dos Estados Unidos. Só isso já é forte o bastante para colocar o filme em posição privilegiada na corrida pelo Oscar. Baseado no livro “Team of Rivals: The Genius of Abraham Lincoln”, de Doris Kearns Goodwin, o filme se passa durante a Guerra Civil norte-americana, que acabou com a vitória do Norte. Ao mesmo tempo em que se preocupava com o conflito, o o 16º presidente norte-americano, Abraham Lincoln (Daniel Day-Lewis), travava uma batalha ainda mais difícil em Washington. Ao lado de seus colegas de partido, ele tentava passar uma emenda à Constituição dos Estados Unidos que acabava com a escravidão.
 
Opinião: Sensacional, isso que posso dizer de inicio. Um filme bem produzido e com um ator que nasceu para esse papel. Retratada a verdadeira história de um dos Presidentes mais populares do EUA e o que mais lutou por uma igualdade social. Merece todos os prêmios como já obteve alguns como o Globo de Ouro.
 
O Hobbit: Uma Jornada Inesperada
 
 
Todos os três longas da franquia O Senhor dos Anéis receberam indicações ao Oscar de Melhor Filme. Assim, é natural esperar que o mesmo aconteça com o retorno de Peter Jackson à Terra Média. Bilbo Bolseiro (Martin Freeman) vive uma vida pacata no condado, como a maioria dos hobbits. Um dia, aparece em sua porta o mago Gandalf, o cinzento (Ian McKellen), que lhe promete uma aventura como nunca antes vista. Na companhia de vários anões, Bilbo e Gandalf iniciam sua jornada inesperada pela Terra Média. Eles têm por objetivo libertar o reino de Erebor, conquistado há tempos pelo dragão Smaug e que antes pertencia aos anões. No meio do caminho encontram elfos, trolls e, é claro, a criatura Gollum (Andy Serkis) e seu precioso anel.
 
Opinião: Lindo o filme e quem não teve saudades da produção de “O Senhor dos Anéis”? O filme foi o retrato do livro, perfeito! Mas perai gente, não venha comparar produção e estórias como O senhor dos Anéis ser o melhor, claro que é. Senhor dos Anéis é a essência da estória, é toda a ação e produção. O Hobbit é o inicio de tudo, e introdução nem sempre nos trás emoção não é verdade? Vamos parar com essa mania de comparar os filmes, cada um tem sua estória, produção. Aposto em premiações a esse excelente filme.
 
AZARÕES
 
Indomável Sonhadora
 
Principal destaque do cinema americano independente em 2012, Indomável Sonhadora foi premiada no Festival de Sundance e recebeu várias indicações ao Independent Spirit Awards. O longa é dirigido por Benh Zeitlin e conta com uma atuação marcante da jovem Quvenzhané Wallis.
 
O Voo 
 
Volta de Robert Zemeckis aos filmes com atores reais, após passar anos se dedicando a animações como O Expresso Polar e Os Fantasmas de Scrooge. Conta com elogiadas atuações de Denzel Washington, John Goodman, Don Cheadle e Kelly Reilly. Whip (Denzel Washington) está separado de sua esposa e filho, é um experiente piloto da aviação comercial, mas tem sérios problemas com bebidas e drogas. Certo dia, ele acabou salvando a vida de diversas pessoas quando a aeronave que pilotava apresentou uma pane, mas sua frieza e conhecimento permitiu que uma aterrisagem, praticamente, impossível acontecesse. Agora, apesar de ser considerado um herói por muitos e contar com o apoio de amigos, ele se vê diante do jogo de empurra na busca pelos culpados da queda e das mortes ocorridas. É quando seus erros e escolhas do passado passam a ser decisivos para definir o que ele irá fazer de seu futuro.
 
Opinião: O filme deixou a desejar e me admirei em vê o nosso queridinho Denzel Washington, em um filme que apenas prometeu e não cumpriu. A história é interessante, mas faltou um pouco mais de ação e finalidade. Mas calma, o ator, nosso queridinho, apesar do filme não destacar, ele foi sensacional no papel do piloto problemático.
 
As Aventuras de Pi
 
 
Baseado em livro de sucesso de Yann Martel, As Aventuras de Pi é um dos filmes mais fantasiosos dos últimos anos. Conta com efeitos visuais impressionantes e cenários extraordinários. Suraj Sharma e Irrfan Khan brilham na pele do protagonista Pi Patel. Pi Patel (Suraj Sharma) é filho do dono de um zoológico localizado em Pondicherry, na Índia. Após anos cuidando do negócio, a família decide vender o empreendimento devido à retirada do incentivo dado pela prefeitura local. A ideia é se mudar para o Canadá, onde poderiam vender os animais para reiniciar a vida. Entretanto, o cargueiro onde todos viajam acaba naufragando devido a uma terrível tempestade. Pi consegue sobreviver em um bote salva-vidas, mas precisa dividir o pouco espaço disponível com uma zebra, um orangotango, uma hiena e um tigre de bengala chamado Richard Parker.
 
Opinião: Lindo, lindo! EM produção, fotografia e mensagem. Fiquei fascinada por essa estória quase que infantil, mas que tem uma mensagem de sobrevivência interessante e que poucos conseguem obter a essência. O filme não foi bem aceito pela critica, vamos lá, não é um dos melhores, mas não um dos piores. Se olharmos e captar a mensagem ele se torna fundamental para uma construção de caráter. Eu aposto em uma premiação. 
 
Anna Karenina 
 
 
Joe Wright e Keira Knightley retomam a parceria e realizam um novo drama de época. Anna Karenina promete agradar aos fãs de Orgulho e Preconceito e Desejo e Reparação. Século XIX. Anna Karenina (Keira Knightley) é casada com Alexei Karenin (Jude Law), um rico funcionário do governo. Ao viajar para consolar a cunhada, que vive uma crise no casamento devido à infidelidade do marido, ela conhece o conde Vronsky (Aaron Johnson), que passa a cortejá-la. Apesar da atração que sente, Anna o repele e decide voltar para sua cidade. Entretanto, Vronsky a encontra na estação do trem, onde confessa seu amor. Anna resolve se separar de Karenin, só que o marido se recusa a lhe conceder o divórcio e ainda a impede de ver o filho deles.
 
Opinião: Uma das melhores obras de Tolstói, e sou suspeita em dá muita opinião, pois li o livro, vi a outras adaptações e posso afirmar que essa me deixou a desejar. Não mudaram a essência do filme, ainda bem, mas eu achei tudo meio que perdido. Fato que não deixou que o filme fosse bom, mas o problema desses remakes é tentar mudar o que aconteceu há séculos pros dias modernos, gente, isso não dá certo, a estória é essa e pronto. Mas gostei de vê a atuação de Keira Knightley ela é uma ótima atriz. O filme é retratado como um teatro, o que não ficou muito legal. 
 
Django Livre
 
 
Quentin Tarantino pode voltar a chamar a atenção da Academia três anos após Bastardos Inglórios, indicado a Melhor Filme. Em sua estreia em faroestes, o cineasta contou com um grande elenco: Jamie Foxx, Christoph Waltz, Samuel L. Jackson, Leonardo DiCaprio e muitos outros. Django (Jamie Foxx) é um escravo liberto cujo passado brutal com seus antigos proprietários leva-o ao encontro do caçador de recompensas alemão Dr. King Schultz (Christoph Waltz). Schultz está em busca dos irmãos assassinos Brittle, e somente Django pode levá-lo a eles. O pouco ortodoxo Schultz compra Django com a promessa de libertá-lo quando tiver capturado os irmãos Brittle, vivos ou mortos. Ao realizar seu plano, Schultz libera Django, embora os dois homens decidam continuar juntos. Desta vez, Schultz busca os criminosos mais perigosos do sul dos Estados Unidos com a ajuda de Django. Dotado de um notável talento de caçador, Django tem como objetivo principal encontrar e resgatar Broomhilda (Kerry Washington), sua esposa, que ele não vê desde que ela foi adquirida por outros proprietários, há muitos anos. A busca de Django e Schultz leva-os a Calvin Candie (Leonardo DiCaprio), o dono de "Candyland", uma plantação famosa pelo treinador Ace Woody, que treina os escravos locais para a luta. Ao explorarem o local com identidades falsas, Django e Schultz chama a atenção de Stephen (Samuel L. Jackson), o escravo de confiança de Candie. Os movimentos dos dois começam a serem traçados, e logo uma perigosa organização fecha o cerco em torno de ambos. Para Django e Schultz conseguirem escapar com Broomhilda, eles terão que escolher entre independência e solidariedade, sacrifício e sobrevivência.
 
Opinião: Fantástico. Poderia terminar aqui, mas vou falar da atuação de James Fox que foi o que mais enriqueceu o filme. E o resto deixarei a serem ditas pelas premiações que aposto que serão muitas. Será?
 
Moonrise Kingdom
 
Um dos filmes mais delicados do ano. É impossível assistir e não sair sorrindo. Conta com boas atuações de Bruce Willis, Edward Norton, Bill Murray e companhia. E a direção e roteiro de Wes Anderson são característicos. Anos 60, em uma pequena ilha localizada na costa da Nova Inglaterra. Sam (Jared Gilman) e Suzy (Kara Hayward) sentem-se deslocados em meio às pessoas com que convivem. Após se conhecerem em uma peça teatral na qual Suzy atuava, eles passam a trocar cartas regularmente. Um dia, resolvem deixar tudo para trás e fugir juntos. O que não esperavam era que os pais de Suzy (Bill Murray e Frances McDormand), o capitão Sharp (Bruce Willis) e o escoteiro-chefe Ward (Edward Norton) fizessem todo o possível para reencontrá-los. Um é seu tema habitual, a família desconexa, o primeiro amor, a bela sacado de insinuar coisas, é a criatividade demonstrada em situações corriqueiras.
 
O resultado é um filme bastante divertido, que consegue explorar bem o ambiente bucólico do local em que todos vivem. Vale a pena conferir, rir e se emocionar. Ah e quem sabe aprender um pouco da inocência que ainda há em nós e a deixamos adormecida.
 
TORCIDA 
 
Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge
 
 
Em 2009, a Academia foi muito criticada por não incluir Batman – O Cavaleiro das Trevas dentre os indicados a Melhor Filme. Esse, inclusive, foi um dos motivos que levaram a mudança de regras nos anos seguintes, com a possibilidade de até dez indicados na categoria. O Cavaleiro das Trevas Ressurge fecha a trilogia de Christopher Nolan com chave de ouro e seria legal vê-lo na cerimônia. Leia a nossa crítica.
 
Melhor Ator
 
APOSTAS CERTAS
 
Daniel Day-Lewis (Lincoln) Vencedor do Oscar de Melhor Ator por Meu Pé Esquerdo e Sangue Negro, Daniel Day-Lewis parece com muitas chances de levar sua terceira estatueta. Ele só recebeu elogios por sua atuação como Abraham Lincoln.
 
Joaquin Phoenix (O Mestre)
 
A Academia sempre gostou de Joaquin Phoenix, que recebeu indicações por Gladiador e Johnny & June. Pelo visto, nem as loucuras que ele aprontou nos últimos tempos, como fazer um falso documentário e anunciar sua aposentadoria, devem conseguir tirá-lo da disputa por sua atuação em The Master.
 
FORTES CANDIDATOS
 
Denzel Washington (O Voo)
 
Aí está outro queridinho da Academia. Recebeu estatuetas por Tempo de Glória e Dia de Treinamento, e pode repetir a dose com o novo filme de Robert Zemeckis. Ele vive um piloto que passa de herói o investigado numa trama que envolve um acidente com um avião.
 
John Hawkes (As Sessões)
 
Mesmo contando com 53 anos, John Hawkes é um nome em ascensão em Hollywood e tem tudo para conseguir sua segunda indicação em três anos. A primeira foi por Inverno da Alma e, agora, tem chances pelo trabalho em As Sessões. Anthony Hopkins (Hitchcock) 
 
 
Anthony Hopkins interpreta Alfred Hitchcock. Precisa de mais motivos?
 
Bradley Cooper (O Lado Bom da Vida)
 
Conhecido pelo trabalho em Se Beber, Não Case!, Bradley Cooper vem tentando a sorte no mundo dos dramas recentemente. E ele pode ser recompensado pelo trabalho em O Lado Bom da Vida, em que vive um sujeito que perde emprego e esposa ao mesmo tempo e acaba em um sanatório.
 
Bill Murray (Um Final de Semana em Hyde Park)
 
Lincoln não é o único presidente norte-americano que pode "levar" um Oscar. Bill Murray vive Franklin D. Roosevelt na comédia dramática Um Final de Semana em Hyde Park e está bem contado para receber uma indicação.
 
AZARÕES
 
Hugh Jackman (Os Miseráveis)
 
Jackman já mostrou seus dotes musicais no palco do Oscar, quando apresentou a cerimônia em 2009. Agora, ele mostrou em cena que pode cantar muito bem. Seu Jean Valjean, de Os Miseráveis, pode lhe render sua primeira estatueta.
 
Richard Gere (A Negociação) 
 
Você sabia que Richard Gere nunca recebeu uma indicação ao Oscar? Isso pode sensibilizar a Academia em 2013, embora não seja dos nomes mais cotados. Ele atua em A Negociação, de Nicholas Jarecki.
 
TORCIDA
 
Brad Pitt (O Homem da Máfia)
 
Brad Pitt muitas vezes é julgado por ser um galã, mas é inegável que se trata de um grande ator. Ele mostra isso de forma bem intensa em O Homem da Máfia, em que interpreta um assassino profissional.
 
Matthew McConaughey (Killer Joe – Matador de Aluguel)
 
Quem também brilhou na pele de um assassino foi Matthew McConaughey. Seria interessante ver a Academia reconhecendo um dos melhores anos da carreira do ator, que também atuou em Magic Mike e The Paperboy.
 
Melhor Atriz APOSTAS CERTAS
 
Jennifer Lawrence (O Lado Bom da Vida)
 
Sucesso nas franquias Jogos Vorazes e X-Men, Jennifer Lawrence é uma das novas queridinhas de Hollywood. Ela recebeu uma indicação ao Oscar por Inverno da Alma e é forte candidata a repetir a dose na pele de uma jovem problemática em O Lado Bom da Vida.
 
Marion Cotillard (Ferrugem e Osso)
 
Vencedora do Oscar por Piaf – Um Hino ao Amor, Marion Cotillard é apontada como uma das favoritas ao prêmio da Academia pelo trabalho no drama francês Ferrugem e Osso. Ela vive uma treinadora de orcas que sofre um acidente que muda radicalmente sua vida.
 
FORTES CANDIDATAS
 
Jessica Chastain (A Hora Mais Escura)
 
Indicada em 2012 pelo trabalho em Histórias Cruzadas, Jessica Chastain é considerada forte candidata ao prêmio de Melhor Atriz no Oscar 2013. Ela é uma das responsáveis pela caça a Osama Bin Laden em A Hora Mais Escura.
 
Quvenzhané Wallis (Indomável Sonhadora)
 
Com apenas seis anos e sem nunca ter trabalhado nos cinemas, a pequenina Quvenzhané Wallis roubou a cena em Indomável Sonhadora e tem tudo para marcar presença na cerimônia do Oscar. Não só como convidada, mas como uma das concorrentes a Melhor Atriz.
 
Keira Knightley (Anna Karenina)
 
A parceria de Knightley com o diretor Joe Wright pode render uma nova indicação ao Oscar para a atriz. Ela concorreu por Orgulho e Preconceito e está bem cotada para repetir a dose com o drama Anna Karenina, baseado em romance de Liev Tolstói.
 
AZARONAS
 
Judi Dench (O Exótico Hotel Marigold) 
 
Com seis indicações e uma estatueta, Judi Dench realizou o delicado O Exótico Hotel Marigold em 2012 e tem tido seu nome cotado, embora sem muita força, para as premiações do ano que vem.
 
Helen Mirren (Hitchcock)
 
Outra veterana que pode marcar presença dentre as indicadas ao Oscar 2013 é Helen Mirren que vive Alma Reville, a esposa de Alfred Hitchcock, em seu novo filme.
 
Meryl Streep (Um Divã para Dois)
 
Atual vencedora do Oscar por A Dama de Ferro, Meryl Streep pode ter sua 18ª indicação pela comédia romântica Um Divã para Dois. Não é das favoritas, mas como é muito querida no meio pode sim disputar a premiação mais uma vez.
 
TORCIDA
 
Mary Elizabeth Winstead (Smashed)
 
Smashed deve passar despercebido pela temporada de premiações, mas seria bom se voltassem a atenção para a dura performance de Mary Elizabeth Winstead como uma jovem que procura mudar de vida e se livrar de uma dependência com o álcool.

Leia Mais
News: Parceria com a Editora V&R