Guia de Sobrevivência do Escritor #9 19

Guia de Sobrevivência do Escritor #9

Sem título

 



Então a Jú enviou essa pergunta na semana passada, e fiquei aqui pensando em como transformar isso num post. Porque a verdade é que é uma questão um tanto pessoal, e o objetivo da coluna é falar menos de mim e mais de todos nós, certo? Então, como responder E ser útil ao mesmo tempo?

Pensando nisso, me dei conta de como cada caso é um caso (you don’t say). Em cada projeto, a gente encontra uma dificuldade diferente, e cada dificuldade acaba se resolvendo por caminhos distintos. Mas acho que a luta maior pra quase todos nós é ligar o começo e o fim de uma história.

200_s (1)

Eu sei. Parece óbvio colocado desse jeito: se você já tem o começo e o fim, o que tem no meio já está praticamente lá, né? Bom, na verdade não. Especialmente praqueles de nós que escrevem fantasia, desvendar os caminhos pelos quais nossos personagens vão crescer do momento em que o livro se inicia até aquele final épico que a gente tem em mente pode ser uma jornada meio torturante. Isso porque existem centenas de possibilidades a serem escolhidas, vários pormenores que precisam ser decididos, inúmeras coisinhas que vão se ligando aqui e ali até formar o todo, e é muito difícil ter controle sobre tudo isso.

Tem quem seja da opinião que é a história que leva a gente, e não a gente que leva a história. E embora isso possa ser verdade em boa parte das vezes, também tem aqueles momentos em que a história está levando você para lugar nenhum. E aí você se vê parado, no meio de uma rua deserta na sua imaginação, cercado por várias estradinhas menores que desembocam em mil lugares, mas você não sabe exatamente o que vai acontecer se escolher um deles. Ou pior, você escolhe uma estrada, e descobre que ela, na verdade, era uma rua sem saída, que te deixou de mãos atadas e sem a menor ideia do que fazer pra seguir a história. E aí enfrentamos o pior dos medos: o de abandonar um livro pela falta de ideias.

200_s

Acho que o segredo pra não cair nessa encruzilhada do demônio é mesmo se entregar ao planejamento. Ele pode não resolver todos os problemas, mas ter uma história pré-planejada te ajuda a fugir das emboscadas – se você já sabe pra onde quer chegar, pode ter ideias de pra onde ir. Então nos próximos posts aqui do Guia, vou falar sobre como esquematizar uma história. Voltem nas próximas quintas-feiras, que esse assunto vai dar muito pano pra manga 😉

E lembrando que se você quiser ter sua pergunta respondida aqui, é só deixá-la nos comentários! Nos vemos na semana que vem! 🙂

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Leia Mais
Guia de Sobrevivência do Escritor #9 29
News: Capa de The One, da autora Kiera Cass