Livros Interativos e Colorir - Relação de amor e ódio 16

Livros Interativos e Colorir – Relação de amor e ódio


Antes de começar esse post (desabafo), um tanto quanto polêmico, quero colocar a definição de livro. Sim, tenho reparado que uma boa parte de pessoas não sabem a imensidão que essa palavra abrange.

well

Segundo o dicionário:



LIVRO – S.m.(o)
1. Segundo a Unesco, publicação não periódica, impressa, contendo pelo menos 48 páginas, excluída a capa.
2. Volume impresso considerado do ponto de vista de seu conteúdo.
3. Divisão de uma obra.
4. Volume usado para registro de transações comerciais.
5. Conjunto de folhas de papel, em branco, escritas ou impressas, em brochura ou encadernadas.
6. Obra organizada em páginas, manuscrita, impressa ou digital (ex.: livro escolar, livro infantil, livro técnico).
(Para uma explicação mais completa, clique aqui.)

Bom, agora com a palavra bem definida e entendida, vamos lá.

Os livros de colorir dominaram as livrarias em questão de dias, assim como foi com o Destrua este diário no ano passado, onde começaram a surgir diversos livros intitulados de “Livros interativos” ou “Livros criativos”. E com o sucesso e fãs dessa categoria, obviamente, começaram a surgir também quem odiasse. Até aí, sem problemas! Não podemos agradar a todos e nem forçar que passem a gostar, né?

Mas percebi que as coisas fugiram totalmente do controle quando li de VÁRIAS pessoas falando:

Isso não é livro“, “são não-livros, para não-leitores“, “livros para preguiçosos“, “livros para analfabetos” e por aí vai em um nível absurdamente ofensivo, não só com o livro, mas com quem gosta e inclusive com os autores dos mesmos.

Supernatural-confused-gif

Minha reação quando li esses comentários beiraram a indignação, à risos descontrolados e, confesso, com uma pontada de tristeza. Tenho certeza que algumas pessoas vão dizer: “Lari, você está fazendo drama só porque você publicou um nesse estilo”. Mas não, já tinha essa opinião antes e não é porque lancei um nesse estilo que estou tomando essas dores. Estou tomando as dores, sim, mas como profissional criativa, como leitora e como pessoa que possui e adora tais livros.

Penso que, só porque não gosto de um gênero, eu não tenho o direito de OFENDER quem goste, e muito menos desmerecer o trabalho dos autores que o fizeram. Porque, acreditem, eles utilizaram de muito tempo para fazer cada página e oferecer um livro divertido e bacana para todos. Não estou dizendo que você seja obrigado a gostar ou a não expressar a sua opinião, mas que você a faça respeitosamente com o trabalho e gosto alheio.

E eu, leitora voraz que sou, POSSO gostar de um livro interativo, de colorir, fotografias ou qualquer outro livro, tudo isso ao mesmo tempo. Isso não me faz ser menos leitora ou menos inteligente que uma pessoa que só goste de livros filosóficos, por exemplo. Penso também na quantidade de pessoas que pisaram pela primeira vez em uma livraria, só para comprar um desses livros e a porta que foi aberta para um mundo mágico de novas histórias e personagens. Escutei casos de pessoas que passaram a apreciar a leitura por causa dos livros interativos.

Então é isso, ame qualquer tipo de livro e os odeie também. Mas respeite o gosto alheio. <3

Clapping-gif-tumblr-i19


Livros Interativos e Colorir - Relação de amor e ódio 17

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Leia Mais
Livros Interativos e Colorir - Relação de amor e ódio 27
Resenha: Pequeno Irmao, de Cory Doctorow