O Hobbit – A Desolacao de Smaug – Filme de Peter Jackson

The_Hobbit-The_Desolation_of_Smaug_banner

Sinopse:


Após iniciar sua jornada ao lado de um grupo de anões e de Gandalf (Ian McKellen), Bilbo Bolseiro (Martin Freeman) segue em direção à Montanha Solitária, onde deverá ajudar seus companheiros de missão a retomar a Pedra de Arken, que fará com que Thorin obtenha o respeito de todos os anões e o apoio na luta para retomar seu reino. O problema é que o artefato está perdida em meio a um tesouro protegido pelo temido dragão Smaug . Ao mesmo tempo, Gandalf investiga uma nova força sombria que surge na Terra Média.

 

Crítica:

O Hobbit: A Desolação de Smaug é um grande filme. E não pelo fato de possuir 2h41 de duração, mas por continuar a desenvolver bem seus personagens e por inserir uma ação bem mais empolgante da vista no anterior. É um dos poucos filmes de sagas que termina o filme de maneira inesperada para o espectador, terminando em um momento épico, deixando o espectador um pouco órfão do que está por vir. Tal opção do diretor pode ser até falha em termos de narrativa, afinal não realiza obras com início, meio e fim, mas é inegável que ele mantém seu público na expectativa.

__

Siga o Burn Book no Twitter, no Facebook, no Google + e no Youtube
__

Tive momentos de pura euforia com as cenas, e de muito medo com as cenas de insetos gigantes que me apavoram, chegava a fechar os olhos e tremer de medo, e ao mesmo tempo fazia força para abrir para conseguir ver o filme, mas confesso: foi muito difícil pra mim, pois uma das maiores fobias que tenho é com esse tal inseto. Que medo! /o Mas depois do medo suspirei fundo com a sensação de alivio e de satisfação por ver o LEGOLAS na telona de novo. Meninas! Ele tá mais lindo que nunca. <3

O roteiro explora bem o universo de Tolkien e evita situações de humor sem importância. Vemos mais ação que motivos para boas risadas, mas não que não haja momentos cômicos, a fotografia é perfeita, cenas e imagens lindas que dá vontade de fotografar. Mas preste atenção, esse é um dos poucos filmes que não vale a pena assistir em 3D, pois a imagem fica escura e perde sua beleza em algumas cenas. Comparei vendo nas duas versões.

A trilha repete o que deu certo nos anteriores e os temas de Howard Shore são bem explorados. EU particularmente amo as músicas épicas de Howard. E quem ficar durante os créditos finais (não há cena após) vai se deparar com "I See Fire", bela canção de Ed Sheeran, Amo as músicas e estilo de Ed Sheeran, mas essa música ainda que seja bonita, a música está totalmente fora do clima da produção.

A Desolação de Smaug não é um filme perfeito, estando atrás da trilogia O Senhor dos Anéis, mas sabe muito bem onde está pisando. Agora é esperar para ver O Hobbit: Lá e de Volta Outra Vez, que promete muito. Principalmente por causa dos momentos finais deste segundo filme. Então você que ainda não conferiu essa estória fantástica, corra para as telonas mais próximas e volte aqui e nos deixe sua opinião. 

 

Confira o trailer:

Crítica por Danny Resende

Leia Mais
News: Book trailer do livro “Filha da Tempestade” de Richelle Mead