Amada Imortal (Trilogia Amada Imortal #1)

Autora: Cate Tiernan
Editora: Galera Record
Ano: 2012
Páginas: 280
Resenha por: Guilherme Cepeda
Primeiro livro da trilogia, mistura fantasia sobre imortais a uma história moderna de uma jovem em busca de si mesma e de redenção. Questões de identidade e moralidade aparecem na trama, protagonizada pela imortal Nastasya. Nascida em 1551, acostumada a beber e sair para baladas cada vez mais loucas, ela perdeu o rumo. Suas conexões com outros imortais, interessados apenas em suas habilidades mágicas, a fazem partir em busca de um propósito – E o encontra em uma espécie de clínica de reabilitação para os de sua espécie, onde conhece um pouco mais sobre o próprio passado e cria importantes laços para o futuro. 

Um livro diferente, que me surprendeu positivamente do começo ao fim. Quando a editora me ofereceu o livro pensei “Mais um livro de Vampiros”? A sinopse é meio vaga e passa a ideia de que o livro se trata de vampiros, mas felizmente, eu estava errado.

“Apesar do nosso nome, nós podemos ser mortos. Mas dá trabalho, então nem perca tempo tentando.”
 
Nastasya Crowe é uma imortal de 459 anos, mas mantém a aparência de uma adolescente, assim como a maioria dos imortais. Ela é mimada, festeira e não se preocupa em mergulhar no mundo da ilegalidade, se envolvendo com drogas. Seu lema de vida é Live fast, Party Hard, Die Young (Ops, ela é imortal, corta a parte do “die” do lema).
 
Depois de presenciar um terrivel ato de magia ferindo um mortal, Nastasya Crowe foge para uma espécie de instituto, destinado a reabilitação de imortais que não deram certo no mundo exterior. Lá, ela conhece personagens misteriosos que vão ajudá-la no desenvolvimento da personagem, junto com os estudos sobre magia ligadas a algo muito parecido com wicca. Este é o fato marcante do livro.
 
Cate Tiernan conseguiu criar uma história atual com traços de magia e imortalidade espalhados pelo mundo. Elementos antigos como rituais, regras, magias poderosas e os próprios personagens caracterizariam um ambiente antigo, mas a autora conseguiu equilibrar esses elementos com a realidade.
 

“Ele era um deles, o outro tipo de imortais. O tipo que eu não tinha nada a ver, nada em comum, evitava como a praga, tirava sarro com meus amigos. O tipo que eu desdenhava quase tanto quanto eles me desdenhavam.
O tipo que eu esperava que fosse… me salvar.”


A narrativa do livro segue exatamente a linha de pensamento de Nastasya, com pensamentos confusos focados na aceitação da personagem. O livro é considerado YA (jovem-adulto), porque os personagens principais são imortais que na maioria das vezes mantém a aparencia de adolescentes, mas por trás dessa história de imortais, há cenas que podem ser classificadas como impróprias para o publico alvo, como por exemplo em uma passagem do livro em que uma garota de 10 anos testemunha toda sua familia ser assassinada e decapitada em torno dela.

“- Já faz um tempo — eu disse, ainda sem me mover. Tipo, centenas de anos.”
 
Amada Imortal foi um ótimo inicio para a trilogia. Envolvente e diferente do que estamos acostumados quando se trata de imortalidade, o livro marca a estreia de Cate Tiernan no mercado literário Brasileiro. Recomendo para os leitores que buscam um livro divertido com toques de magia e uma boa dose de romance.

Deixe sua opinião aqui :)

No more articles